Hora de programar safra e safrinha

0
172

 

O plantio de inverno já se tornou a maior safra, e a safrinha agora é no verão

 

Crédito Marco Lucini
Crédito Marco Lucini

Dados os valores e toda a dimensão da produção de um ano agrícola, se o produtor não parar para fazer o orçamento e o planejamento de sua safra, ele estará fazendo um “voo cego“. Segundo Anderson Galvão, diretor da Céleres, essa programação evita surpresas desagradáveis à frente.

“O plantio da safra verão, se analisarmos a região do Triângulo Mineiro, começa no final de outubro e início de novembro, dependendo do município e de onde a chuva vier mais cedo. Quanto à safra de inverno, o plantio começa a partir da metade de janeiro de 2016“, relata o especialista.

Para o plantio de verão as opções de cultivo nesta mesma região são soja e milho, este último de forma reduzida, mas ainda relevante. Já nas demais regiões brasileiras, a soja é a principal culturaem área plantada no verão, o milho a segunda, e depois o arroz e o feijão.

Para a safra de inverno os produtores contam com o milho, que é a principalcultura, dominando praticamente nove milhões de hectares plantados, seguido pelos cultivos próprios de inverno, que são trigo, cevada e triticale. “Não haveria safra de inverno se não tivesse a safra de soja. É ela que garante a base para a safra de inverno devido à própria forma que a propriedade é gerida e pelo sistema agrícola em si“, explica Anderson Galvão.

Além de todos esses fatores, a soja é uma leguminosa, e como tal o plantio do milho, que é uma gramínea, vem na sequência. Nesse cenário tem-se a rotação de culturas, muito benéfica para as planas e para o solo.Ainda como vantagem há a possibilidade de plantio antecipado da soja.

“Nos últimos anos, uma série de inovações, como o encurtamento de ciclo da soja, permitiu a redução de risco de produção da safra de inverno.Até cinco anos atrás a soja gastava de 130 a 140 dias para encerrar seu ciclo de produção. Agora são apenas 105 dias a 110, dependendo da variedade e da região“, pontua o especialista.

Variedades

A escolha da variedade certa se tornou algo tão específico que, dentro de uma mesma propriedade, dependendo da época que inicia e encerra o plantio, chega-se a ter até cinco materiais.

Assim, os critérios a serem adotados para a escolha da semente ideal são: qualidade fitossanitária superior, independente da variedade, com alto teor de germinação, alto vigor da semente, procedência, adaptabilidade, entre outros. Tomando isso como base, Anderson Galvão informa que o próximo passo é o produtor identificar a sua capacidade de plantar em cada período da janela de plantio, e só depois escolher a combinação de variedades de modo a encaixá-las na capacidade de plantio e colheita.

O milho é a primeira opção mais adotada na safrinha - Crédito Shutterstock
O milho é a primeira opção mais adotada na safrinha – Crédito Shutterstock

Manejo

O manejo não interfere na possibilidade de ter safra e safrinha. O que realmente determina as duas safras é a data de plantio e a cultivar escolhida. “O produtor pode ganhar até cinco dias porque dessecou a sua lavoura, mas isso não faz grande diferença.Para o sucesso da safra/safrinha, é preciso, sobretudo, ter solos muito bem corrigidos, pois estamos falando de culturas de alta performance que exigem capricho na correção e fertilização“, ressalta o consultor.

Ele volta a enfatizar a importância de escolher bem a semente de qualidade que se adéque à capacidade de produção e de plantio da propriedade. Um terceiro ponto é contar com capacidade e estrutura para duas safras, para que, no decorrer do ano, todas as pulverizações sejam feitas no ponto correto, de forma correta, no momento ideal, com equipamento adequado e tudo mais.

“Com tudo isso, voltamos ao planejamento, com controle de custos, estimativas de vendas e fixação de preços“, diz.

Números dizem tudo

O Brasil encerrou a safra 2014/15 com 31,6 milhões de hectares plantados com soja, aproximadamente 6,1 milhões de hectares com milho verão e 8,6 milhões de hectares no inverno, que está terminando de ser colhido agora.

Mas, Anderson Galvão lembra que a chamada’safrinha’ agora acontece no verão. “Alguns produtores ainda usam o termo deforma errada, mas o plantio de inverno já se tornou a maior safra, e a safrinha agora é no verão, ou seja, elas inverteram seus papéis. No verão o plantio acontece em menor área e com menor produção“, conclui.

Essa matéria você encontra na edição de julho da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar.