16.4 C
Uberlândia
quinta-feira, julho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosIAC lança seis cultivares de feijão

IAC lança seis cultivares de feijão

Feijão – Foto: IAC

O Instituto Agronômico (IAC) lançou seis cultivares de feijão. As novas cultivares de feijão são duas de tegumento branco, três de coloração vermelha e uma de tegumento rajado arredondado. Inédita no Brasil, a cultivar IAC 2154 de tegumento branco e com grãos pequenos já atrai o interesse de algumas empresas para a fabricação de farinha de feijão branco, muito utilizada na culinária americana e também nacional.

O grão de tegumento branco é conhecido no mercado internacional como feijão Navy Beans. Essa denominação se deve ao fato de ser muito utilizado pela marinha americana, na forma de feijão enlatado, para a alimentação de soldados. Os ingleses também consomem esse feijão na forma de molho, durante o café da manhã.

Outra cultivar de feijão branco intenso e com poucas estrias é a IAC 2157. Seus grãos são bem pesados e em formato alongado e tubular. Essas características a qualificam para o mercado internacional. É conhecido como Alúbia, tipo muito cultivado na Argentina. “O IAC trabalha há anos no desenvolvimento de uma cultivar de tegumento Alúbia e tivemos êxito com a cultivar IAC 2157, que tem ciclo precoce e é muito produtiva”, resume o pesquisador do IAC, Sérgio Augusto Morais Carbonell.

IAC 2152 tem alto potencial produtivo

Com coloração vermelha, a IAC 2152 tem alto potencial produtivo, com grão pequeno, semelhante ao do feijão carioca, que é bem aceito pelo brasileiro. Esse tipo de feijão é conhecido no mercado internacional como small red. Essa cultivar poderá ser utilizada para práticas de exportação, mas sua principal destinação é o mercado interno. “As regiões que já consomem esse tipo de feijão são o litoral de Santa Catarina, Sul de Minas Gerais e Leste do estado do Rio de Janeiro”, comenta Chiorato, pesquisador do IAC, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA).

Outra de coloração vermelha é a IAC 2155, que tem excelente qualidade de grão. Conhecido como bolinha vermelho, esse tipo de grão é muito apreciado nos estados de Santa Catarina e Minas Gerais. “Também é muito comercializado a granel em mercados municipais e apresenta pequenos nichos de mercado”, diz Chiorato.

A IAC 2156 tem coloração vermelha, com formato longo e tubular. Conhecido como Dark Red Kidney, é muito apreciado em países europeus. Porém, grande parte de todo o feijão exportado pelo Brasil referente a esse tipo de grão é proveniente de cultivares crioulas, adquiridas de outros países e sem registro junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), de acordo com o cientista do IAC.

Há tempos o Instituto Agronômico vinha trabalhando nesse tipo de grão e obteve sucesso com a IAC 2156 por apresentar excelente qualidade de grão, uniformidade na coloração vermelha, alta produtividade, resistência às principais doenças da cultura e ciclo precoce. “A cultivar já está em fase de produção, com interesse das principais empacotadoras nacionais. Está em andamento um trabalho para incentivar o consumo interno desse tipo de grão no Brasil”, comenta Carbonell.

Com tegumento rajado arredondado tipo cranberry, a IAC 2153 é voltada principalmente para a exportação por ser muito apreciada na Europa. Ela apresenta alta produtividade, grãos pesados e calibre que corresponde a 170 grãos em uma amostra de 100 gramas, de acordo com Chiorato. A IAC 2153 foi desenvolvida para substituir a cultivar IAC Nuance, lançada em 2015, que foi a primeira cultivar de tegumento rajado tipo cranberry desenvolvida no Brasil.

ARTIGOS RELACIONADOS

Importância da adubação verde para as florestas

Antonio Carlos Botelho Müller Carioba Agricultor orgânico, formado em Administração, Gestor da UC - RPPN Reserva Ecológica Amadeu Botelho e atual presidente da Federação das...

Brasil contra a Ferrugem na Soja

Bayer e UPL têm atitude inovadora em prol do produtor e manejo de resistência   O manejo de resistência é a principal ferramenta de controle da Ferrugem Asiática...

Banana: Redução de produção marca a atividade

A estimativa da produção brasileira de banana para 2019, segundo o Hortifrúti/Cepea da ESALQ/USP, deverá ter uma redução de 1,1% em relação a produção de 2018.

Abelhas impulsionam renda e grãos no MT

Projeto Semêa, realizado pela Fundação Bunge, incentiva o uso desses polinizadores para fomentar agricultura regenerativa e de baixo carbono

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!