16.6 C
Uberlândia
terça-feira, maio 28, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosInjetor de fertilizantes garante maior precisão na fertirrigação

Injetor de fertilizantes garante maior precisão na fertirrigação

A precisão na fertirrigação atinge um novo patamar com o injetor de fertilizantes, proporcionando um manejo eficiente e personalizado para otimizar o crescimento das plantas.

Luis Lessi dos Reis
Doutor e professor – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (Ifsuldeminas) – Campus Machado
luis.reis@ifsuldeminas.edu.br

José Augusto Pereira Neto
Engenheiro agrônomo e mestrando em Fitotecnia – ESALQ/USP
joseaugustoap37@gmail.com

Os produtores rurais já podem contar com um equipamento injetor de fertilizantes que proporciona praticidade e precisão na fertirrigação. A novidade é que ele dosa os fertilizantes líquidos seguindo a “receita” diretamente na linha de irrigação, permitindo programar o setor a ser irrigado, a receita de fertirrigação e a concentração na calda (condutividade elétrica (EC)) por meio de um display gráfico com teclado.

A solução nutritiva é essencial para o cultivo hidropônico
Crédito: Taciana Guimaro

Ainda, é possível utilizar uma fórmula e EC específicos para cada setor.

Direto no alvo

A fertirrigação é um método utilizado na agricultura que consiste na aplicação simultânea de água e fertilizantes diretamente no solo, durante o processo de irrigação. Essa técnica integra a irrigação convencional com a adubação, permitindo uma distribuição mais eficiente e precisa dos nutrientes necessários para o desenvolvimento das plantas.

A combinação da irrigação e da fertilização em um único processo oferece vantagens significativas, como a otimização do uso de recursos hídricos e a garantia de uma nutrição adequada das culturas.

Ferramentas úteis

O injetor de fertilizantes é um dispositivo utilizado na agricultura para aplicar fertilizantes de maneira eficiente e precisa nas plantações. Ele é projetado para injetar ou misturar fertilizantes líquidos ou solúveis em água diretamente na corrente de irrigação, garantindo uma distribuição uniforme dos nutrientes no solo, possuindo diversos modelos no mercado.

Irrigação e nutrição simultâneas

Como mencionado anteriormente, a fertirrigação une dois manejos essenciais para as plantas – a irrigação e a nutrição. Com isso, surgiram os injetores de fertilizante, os quais são unidos a sistemas totalmente automatizados, permitindo a programação e controle remoto da dosagem, proporcionando conveniência aos agricultores.

Integrando essa tecnologia aos sistemas de irrigação, como gotejamento, aspersão e pivô central, simplificam o processo e reduzem a necessidade de mão de obra manual, economizando tempo e recursos.

Um ótimo exemplo se dá em um viveiro de produção de mudas, onde o produtor possui diversas espécies, tanto olerícolas quanto frutíferas. Sabendo que cada uma delas demanda uma quantidade específica de fertilizantes em fases fenológicas determinadas, torna-se essencial a segmentação do viveiro para efetuar a nutrição precisa de cada espécie ou grupo.

Dessa forma, o injetor assume um papel fundamental, pois é capaz de operar em quantos setores forem necessários, inserindo distintas soluções nutritivas. A única exigência é a programação e preparação adequadas da solução, minimizando drasticamente a demanda por mão de obra na execução da nutrição das plantas.

Precisão na dosagem de fertilizantes líquidos

A precisão na dosagem de fertilizantes é essencial para garantir a entrega adequada de nutrientes às plantas. Os equipamentos de injeção de fertilizantes apresentam características específicas que contribuem para essa precisão, o que inclui:

Sistemas de medição volumétrica: a função principal desses sistemas é medir com precisão a quantidade de fertilizantes ou nutrientes que estão sendo misturados com a água de irrigação. Isso é importante para garantir que as plantas recebam a quantidade correta de nutrientes, evitando subnutrição ou superalimentação, o que poderia prejudicar o crescimento das plantas e até mesmo causar danos ambientais.

Controladores: esses dispositivos eletrônicos são projetados para controlar e automatizar o processo de fornecimento de nutrientes (fertilizantes) às plantas durante a irrigação.

Injetor: deve atentar-se também para o tipo de injetor que será adotado no sistema, pois cada um deles tem características específicas. Os principais são:

Injetores Venturi: funcionam com base no princípio do tubo Venturi, no qual a água em movimento cria uma pressão negativa que suga o fertilizante para dentro da corrente de água. Isso permite a injeção proporcional de fertilizantes, e a taxa de injeção pode ser controlada ajustando-se a vazão da água.

Injetores de Diafragma ou Pistão: utilizam um diafragma ou pistão para controlar a injeção dos fertilizantes. A movimentação do diafragma ou pistão cria uma pressão negativa que puxa o fertilizante para a água de irrigação. Sua principal característica é a alta durabilidade e precisão.

Injetores de Bomba Peristáltica: têm um tubo flexível que é espremido em intervalos regulares, criando uma pressão negativa que suga o fertilizante e o injeta na corrente de água. São conhecidos pela precisão na dosagem e pela capacidade de trabalhar com uma ampla variedade de produtos químicos.

Injetores de Membrana: usam uma membrana flexível que se expande e contrai para criar uma pressão negativa, permitindo a entrada do fertilizante na água de irrigação. Podem ser eficazes em condições de baixa pressão.

Injetores de Motor Hidráulico: utilizam um motor hidráulico para controlar a injeção de fertilizantes. A taxa de injeção pode ser ajustada pelo controle do motor. São frequentemente utilizados em sistemas de irrigação de grande escala.

Injetores Elétricos: alguns sistemas modernos utilizam injetores elétricos controlados por um sistema automatizado. Esses dispositivos podem oferecer precisão e flexibilidade na dosagem dos fertilizantes.

Uma característica relevante reside na utilização de materiais de construção de alta qualidade para garantir durabilidade, evitando assim o desgaste prematuro do sistema, o que poderia resultar em uma precisão inferior.

A conjunção dessas qualidades assegura uma dosagem precisa ao longo do tempo, atendendo de maneira eficaz às exigências nutricionais das plantas.

Fertirrigação eficiente

O conceito de “receita” em um injetor de fertilizantes permite aos produtores programar e ajustar a fertirrigação com base em fórmulas específicas de nutrientes. Isso fornece uma aplicação personalizada, adaptando a mistura de fertilizantes às necessidades das culturas em diferentes estágios de crescimento.

Considerando a necessidade de empregar vários fertilizantes para elaborar uma “receita” específica para determinada espécie, é importante observar que nem todos os fertilizantes são compatíveis para serem misturados no mesmo recipiente.

Assim, é necessário tomar alguns cuidados no preparo da solução. Um exemplo ocorre ao misturarmos o nitrato de cálcio e fertilizantes fosfatados. Se a mistura desses fertilizantes for realizada no mesmo recipiente, pode levar à formação de compostos insolúveis ou desencadear reações químicas indesejadas.

O fosfato tem a capacidade de reagir com íons de cálcio, resultando na formação de fosfato de cálcio, um composto pouco solúvel em água. Essa instabilidade pode provocar a precipitação do fosfato de cálcio, comprometendo a absorção eficiente de nutrientes pelas plantas.

A automação da dosagem economizada no tempo reduz os erros humanos e se adapta às condições variáveis, garantindo eficiência na utilização de nutrientes ao longo do tempo.

No mercado existem diversos injetores totalmente automatizados
Crédito: Shutterstock

Opções

No mercado existem diversas empresas que desenvolvem injetores totalmente automatizados que permitem diversas programações.

A presença de um display gráfico com teclado em equipamentos de fertirrigação proporciona vantagens significativas para os produtores. Esse recurso oferece uma interface intuitiva e fácil de entender, permitindo uma navegação simplificada pelos menus.

Além disso, possibilita a visualização instantânea de dados relevantes, facilitando a configuração personalizada, com feedback imediato e alertas visuais em caso de problemas. A programação se torna simples, contribuindo para um treinamento mais fácil dos operadores.

A capacidade de armazenar configurações predefinidas agiliza a transição entre diferentes condições de cultivo.

Flexibilidade

Para ter um sistema automatizado e setorizado, é necessário automatizar todo o processo, começando por uma válvula solenoide para setor, controlada por um controlador ou pelo próprio injetor de fertilizantes.

Após a montagem de todo o sistema e setorização, iremos identificar a necessidade das plantas que serão cultivadas, como os macronutrientes primários nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K), os secundários cálcio (Ca), magnésio (Mg), enxofre (S) e micronutrientes.

Após isso, será necessário preparar as receitas e deixá-las prontas para o injetor. Vamos separá-las em três soluções concentradas prontas para uso – A, B e C. O recipiente com a solução A será composto somente por nitratos, como nitrato de cálcio, pois como já vimos, ele não pode ficar em contato com fosfato.

Já a solução B será composta por fosfatos, sulfatos e ácido bórico, enquanto nossa última solução, que é a C, será composta somente por micronutrientes, pois irá facilitar na hora de programar as receitas.

Com todas as soluções preparadas, será necessário realizar a configuração de cada setor no injetor para que ele injete uma determinada quantidade em um setor específico.

Vamos supor que no setor 1 está sendo cultivada alface, sendo seu EC recomendado para fertirrigação de 1,3 dS m-1. Para atingir este valor, será necessário injetar 200 ml da solução A, 200 ml da solução B e 50 ml da solução C.

Já no setor 2 é cultivado tomate, com EC recomendado de 2,5 dS m-1. Para atingir essa condutividade, será necessário 385 ml da solução A, 385 ml da solução B e 96 ml da solução C.

Após a primeira configuração do injetor, ele será capaz de calcular automaticamente a quantidade de solução para cada setor, com base na EC exigida, proporcionando uma tecnologia que beneficia consideravelmente o produtor, reduzindo a probabilidade de erros e mão de obra necessária para as operações.

ARTIGOS RELACIONADOS

Enxofre auxilia no combate a lagartas

Os benefícios do enxofre no combate às lagartas, os desafios e as soluções. Veja também dados de viabilidade para esse tipo de aplicação.

Bioestimulante – Alternativa para fortalecer as plantas

Considera-se bioestimulante qualquer substância ou microrganismo aplicado nas plantas visando melhorar a absorção e o aproveitamento dos nutrientes, a tolerância a estresses abióticos e a produção e sua qualidade, independentemente de seu conteúdo nutricional.

Substâncias húmicas aumentam a absorção de nutrientes da solução hidropônica

  Glaucio da Cruz Genuncio Doutor em Nutrição de Plantas/UFRRJ glauciogenuncio@gmail.com Everaldo Zonta Doutor em Fertilidade do Solo/UFRRJ Elisamara Caldeira do Nascimento Doutoranda do CPGA-CS/UFRRJ   Segundo Canellaset al. (2006), as substâncias húmicas...

Como combater a fitotoxicidade do tomateiro

Diego Henriques Santos Engenheiro agrônomo da Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo (Regional Noroeste) - CODASP dihens@bol.com.br   O tomateiro é uma cultura de estação quente, sendo...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!