17.6 C
Uberlândia
quinta-feira, julho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosInoculação elimina adubação nitrogenada

Inoculação elimina adubação nitrogenada

Maria Idaline Pessoa Cavalcanti Engenheira agrônoma e doutoranda em Ciência do Solo – Universidade Federal da Paraíba (UFPB)idalinepessoa@hotmail.com

José Celson Braga Fernandes Engenheiro agrônomo e doutorando em Biocombustíveis – UFU/UFVJM – Fundador da Agro+celsonbraga@yahoo.com.br

Feijão – Crédito: Luize Hess

O feijão é uma leguminosa de grande importância no mundo todo e se destaca economicamente por ser cultivado por pequenos e grandes produtores e em diversificados sistemas de produção, principalmente vinculados à agricultura familiar.

O feijoeiro, para alcançar elevadas produtividades, necessita de grandes aportes de nitrogênio para obter altas produtividades. Normalmente, os agricultores utilizam de 80 a 150 kg de N/ha. Entretanto, como todas as leguminosas, o feijoeiro também se beneficia da fixação biológica de nitrogênio (FBN), para suprir de forma muito mais econômica este nutriente.

A busca por melhores produtividades e rentabilidade na cultura passa pela melhoria das características do solo e da nutrição vegetal, em especial da adubação nitrogenada (Malavolta, 2006).

A eficiência da inoculação é dependente de diversos fatores relacionados ao manejo. As pesquisas têm demonstrado que com o uso de inoculante na cultura do feijoeiro pode-se obter ganhos de produtividade acima de 20%, com uma grande economia no investimento em fertilizante nitrogenado, desde que o processo de inoculação seja feito corretamente.

O processo

A inoculação do feijoeiro é feita utilizando o inoculante específico para esta cultura, produzido com bactérias classificadas como Rhizobium tropici. Este produto é misturado às sementes no momento do plantio, devendo-se proceder à semeadura no menor tempo possível, pois as bactérias, permanecendo por muito tempo sobre as sementes fora do solo, vão perdendo sua viabilidade, em especial se as sementes estiverem tratadas com produtos químicos, diminuindo assim os ganhos de produtividade alcançados em estudos.

[rml_read_more]


Dicas

Um cuidado especial deve ser tomado com relação ao uso de fertilizantes nitrogenados na cultura do feijoeiro quando se utiliza o inoculante: altas doses de nitrogênio na base inibem a formação dos nódulos, o que afeta diretamente a fixação biológica do nitrogênio.

Agricultores de diversas partes do País, tanto de baixa como de elevada tecnologia, utilizam a inoculação como forma de diminuir custos da lavoura com aumento de produtividade, aproveitando ainda o nitrogênio que fica no solo para a cultura seguinte.

Custo-benefício

Em relação à economia, o inoculante é o insumo com melhor custo-benefício na agricultura. Em termos práticos, no caso do feijão, se em vez de se usar 100 kg de nitrogênio via fertilizante nitrogenado, ao custo aproximado de R$ 220,00, usarmos três doses de inoculante, teremos um custo aproximado de R$ 15,00.

Ou seja, uma diferença de mais de R$ 200,00 por hectare. E tão importante quanto a redução de custo e aumento de produtividade, o uso do inoculante em feijoeiro também resulta em ganhos para o ambiente, pela redução da emissão de gases de efeito estufa.

ARTIGOS RELACIONADOS

Sagra – Parceira fiel do produtor rural

  O produtor Adriano de Almeida, em Araxá, é cliente antigo da Sagra e conta que a eficiência dos produtos é inquestionável e a empresa...

Couve – Produção de no sistema orgânico

Ainda que predomine o sistema convencional de produção no setor hortifrúti, o cultivo em sistemas alternativos, como o orgânico, cresce a cada ano devido a uma maior preocupação, por parte dos consumidores, com a qualidade dos alimentos e com a preservação do ambiente.

Algas melhoram enraizamento e arranque inicial das plantas

  O uso de substâncias bioestimulantes é amplamente difundido entre os agricultores para favorecer o crescimento inicial das plantas. No mercado brasileiro, são muitas as...

Inoculação + cobalto e molibdênio elevam produtividade da soja

Jorge Jacob Neto Professor titular, Ph.D. do Departamento de Fitotecnia " Instituto de Agronomia " Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) j.jacob@globo.com Joice de Jesus...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!