Inseticidas registrados para a mosca-das-frutas

0
151

O grau de ataque das moscas-das-frutas varia grandemente com a safra, a região produtora, o histórico do pomar e o manejo da praga

 

AdaltonRaga

Pesquisador científico do Instituto Biológico – Laboratório de Entomologia Econômica

adalton@biologico.sp.gov.br

 

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

As espécies de moscas-das-frutas de importância econômica atacam diretamente os frutos. No Brasil, temos mais de 115 espécies de moscas-das-frutas (Diptera: Tephritridae), das quais aproximadamente oito têm importância econômica e causam graves prejuízos econômicos aos produtores, distribuidores e consumidores.

As fêmeas desses insetos ovipositam no interior dos frutos e o desenvolvimento da larva causa destruição da polpa. O ataque do inseto normalmente causa posterior queda do fruto. Em laranjas e tangerinas pode ocorrer queda precoce dos frutos devido à incidência de patógenos após a realização da postura dos ovos.

Não há estimativas oficiais sobre perdas econômicas ou volume perdido com moscas-das-frutas no Brasil. Há perdas em áreas de produção e de lazer, inclusive em áreas urbanas e periurbanas. Sabe-se que as perdas podem chegar a 100% da produção no caso das frutas mais suscetíveis conduzidas sem manejo da praga.

Frutas atacadas

Aproximadamente 200 espécies vegetais são hospedeiras conhecidas de moscas-das-frutas no Brasil. Frutas cítricos, goiaba, manga, maçã, carambola, frutas de caroço, nêspera, caqui, uva, acerola e abóbora podem apresentar perdas consideráveis, dependendo da região produtora.

Condições para a praga

As principais espécies de moscas-da-frutas atacam diversas espécies de frutos, migrando para pomares com frutos em desenvolvimento e maduros. As condições climáticas variam consideravelmente de Norte a Sul do País, mas não são limitantes ao desenvolvimento de moscas-das-frutas. Por isso, a disponibilidade de frutos é chave para o desenvolvimento da praga.

Prevenção e controle

Medidas preventivas, como monitoramento da praga e retirada de frutos atacados, são medidas preventivas eficazes. Mas, com a praga já instalada, o produtor deverá adotar medidas de controle químico, como o uso de iscas tóxicas e, em último caso, a aplicação de inseticidas em cobertura total.

Existem aproximadamente 13 ingredientes ativos com uso autorizado para o controle de moscas-das-frutas, entre organofosforados, piretroides, neonicotinoides e espinosina. Os produtos e respectivas culturas podem ser consultados no site http://agrofit.agricultura.gov.br/agrofit_cons/principal_agrofit_cons

Quando bem aplicado, a maioria dos produtos apresenta controle satisfatório da moscas-das-frutas, mas possuem reduzido período de proteção, não superior a sete dias.Todos esses produtos apresentam um custo-benefício altamente favorável, desde que as medidas sejam tomadas corretamente no tempo e no espaço.

Essa matéria você encontra na edição de julho 2016  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.