23.3 C
São Paulo
terça-feira, julho 5, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Notícias Inverno mais quente contribui com o cultivo do cacau no país

Inverno mais quente contribui com o cultivo do cacau no país

Crédito-Arquivo.
Crédito-Arquivo.

Climatempo explica porque regiões como Bahia e Pará, que mantêm temperaturas mais altas o ano inteiro, favorecem a produção

Comemorando bons resultados na safra do cacau, o Pará se destaca na produção da cultura. A região já ocupa a segunda posição no ranking do país, ficando atrás apenas da Bahia e, ambos esperam crescer ainda mais nos próximos anos. Um dos segredos para o desenvolvimento do fruto nesses estados está no clima, já que ele precisa de temperaturas mais altas o ano todo para atingir seu potencial máximo.

Segundo dados do Inmet – Instituto Nacional de Meteorologia, as duas regiões apresentam médias históricas de temperatura alta, até mesmo durante a estação mais fria do ano. Em Ilhéus, na Bahia, a média da temperatura máxima em Agosto de 2015 foi 24,2ºC e 16,6ºC de mínima. Já em Altamira, no Pará, os números foram ainda mais altos, com máxima de 33,5ºC e mínima de 23,7ºC.

De acordo com Bianca Lobo, meteorologista da Climatempo, a explicação para o inverno quente está na localização das duas cidades. “Como a região Norte está próxima ao Equador, a radiação solar incidente varia muito pouco ao longo do ano“, explica. “Mas as diferenças de temperatura observadas entre o verão e o inverno estão mais associadas à quantidade de nuvens. No verão, quando temos mais umidade e consequentemente maior quantidade de nuvens, o número de horas de sol é menor. Já no inverno, com menos umidade e menor nebulosidade, a quantidade de horas de sol é maior, então você tem mais tempo para aquecer o ar“, conta.

Esses fatores têm sido realmente a combinação perfeita nos dois estados, principalmente no Pará. “Nos últimos anos estamos mantendo uma média de 10% a 12% de crescimento e o clima têm ajudado bastante“, diz Raimundo Melo Junior, Superintendente Adjunto da Ceplac no Pará.

Quase 90% da colheita no estado já foi concluída e a estimativa de produção aponta para 110 mil toneladas, o que representa um crescimento de 10% comparado à safra anterior. “Certamente o Brasil voltará a ser exportador de cacau. O setor industrial já alega que a produção nacional conseguirá abastecer a demanda do país por chocolate“, explica Junior.

E se depender do clima, o restante da colheita do cacau no estado do Pará não enfrentará problemas. A tendência é de chuva abaixo da média para a região de Medicilândia [grande produtor do fruto] e as temperaturas vão continuar altas, completa Lobo.

Sobre o Grupo Climatempo
O Grupo Climatempo é a principal empresa privada de meteorologia do país. Fornece, atualmente, conteúdo para mais de 50 retransmissoras nacionais de televisão, para rádios de todo o Brasil e para os principais portais. Com cerca de dois mil clientes oferece conteúdo meteorológico estratégico para o setor de agricultura, moda e varejo, energia elétrica, construção civil, seguradoras e indústrias farmacêutica e de alimentos.

O Portal Climatempo transformou-se no veículo líder em visitação do país. É referência na divulgação de conteúdo que estimula a consulta diária de previsão do tempo. Classificado nos principais institutos de pesquisa entre os 30 sites mais visitados do país em língua portuguesa, é visitado por mais de 1, 5 milhão de usuários por dia, chegando a quase 3 milhões nas vésperas de feriados e durante fenômenos extremos de tempo e clima, com um crescimento anual na marca de 30%. O Grupo é presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 27 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.

Inicio Notícias Inverno mais quente contribui com o cultivo do cacau no país