18.1 C
São Paulo
sábado, agosto 13, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Irrigação com tubos gotejadores subterrâneos em café

Irrigação com tubos gotejadores subterrâneos em café

 

Aconteceu, nos últimos anos, uma demanda muito grande por gotejadores subterrâneos em lavouras de soja, algodão, feijão e café

Implantação do gotejo enterrado e lavoura após um ano da implantação do sistema - Fotos MasterGotas
Implantação do gotejo enterrado e lavoura após um ano da implantação do sistema – Fotos MasterGotas

O gotejo enterrado é uma irrigação invisível, que traz vantagens imensuráveis, muitas delas ainda desconhecidas pelo produtor. A irrigação por gotejamento é a entrega de água de maneira satisfatoriamente uniforme na lavoura, mas compreende uma série de outros benefícios que não são tão utilizados, como aplicação de adubos e de agroquímicos via água.

 Implantação do gotejo enterrado e lavoura após um ano da implantação do sistema - Fotos MasterGotas
Implantação do gotejo enterrado e lavoura após um ano da implantação do sistema – Fotos MasterGotas

No pivô e na aspersão, explica Guilherme Ferreira Souza, engenheiro agrícola, mestre em Irrigação e Drenagem, existem dois detalhes que são limitantes para o desenvolvimento do produto. “A aspersão tem um nível de uniformidade bem menor do que o gotejamento, com 80% de uniformidade, enquanto o gotejamento pode chegar a 98%. Considerando que o produtor está aproveitando o sistema para aplicar outros produtos solúveis, os quais possuem maior necessidade de investimento, a precisão dele tem que ser alta para viabilizar o projeto“, pontua.

Ainda segundo o profissional, a vantagem do sistema de gotejo subterrâneo é que, além da aplicação de água, ele agrega operações. “Essa é uma tendência para os produtores mais tecnificados, e em muitas propriedades já é uma realidade, especialmente devido à escassez e regulamentação do uso da água. Além do recurso hídrico,com a utilização do gotejo subterrâneo haverá uma economia muito grande de mão de obra, de mecanização e proteção ao meio ambiente, porque reduz consideravelmente a passagem de tratores na área (veículos de queima de combustível fóssil) e, por consequência, o custo de produção“, enumera Guilherme Ferreira.

Guilherme Ferreira Souza, mestre em Irrigação e Drenagem - Crédito Rivulis
Guilherme Ferreira Souza, mestre em Irrigação e Drenagem – Crédito Rivulis

É viável?

Entre as vantagens do gotejo subterrâneoestá que toda a água, nutriente e defensivo serão colocados diretamente na raiz da planta. “O principal macronutriente que usamos em nossas lavouras hoje é o nitrogênio, por meio da ureia, que tem custo mais acessível que outras fontes nitrogenadas, entretanto, é volátil. Ou seja,quando se programa uma dose de nitrogênio,o que chega à planta, na realidade, é menor, porque parte se perde no caminho. Aplicando via gotejo, o nitrogênio não se perde, porque colocamos a ureia na solução fluídica, que vai para o solo. Só nesse quesito a economia que o produtor faz é de 20%“, calcula o engenheiro agrícola.

 

Cuidados

São vários os cuidados e observações para garantir o bom funcionamento do sistema, e qualquer erropode custar caro para o produtor, podendo até inutilizar todo o sistema de irrigação dele.

1ºcuidado: não plantar o café com o gotejamento já subterrâneo. Geralmente o plantio de café é feito com sulcos e a terra é trabalhada para receber a muda,com isso, o solo fica desestruturado. Com a desestruturação do solo, a tendência da água é descer imediatamente. Assim, a distribuição da água abaixo do solo fica comprometida, já que a distribuição lateral e a elevação da água no solo faz com que a umidade atinja toda extensão da zona radicular.

Quando o solo está estruturado, várias tensões ocorrem em cada partícula de água aplicada. É isso que faz com que a umidade se distribua. Por isso, a indicação é que o gotejo seja enterrado após algum período de reestruturação natural do solo, geralmente com um ano após o plantio.

2º cuidado:Para implantar o tubo gotejadorsubterrâneo, é necessário uma máquina que corta o solo, enterrando a tubulação a uma profundidade de aproximadamente 15cm, dependendo da análise física do solo (quantidade de argila x areia). Trata-se de um equipamento bem simples, similar a um sulcador, e pode muitas vezes ser construído na própria fazenda.

3º cuidado:a distância adequada da mangueira e do pé de café é de 20cm.Enterrar o gotejo, na cafeicultura, é uma necessidade para que ostubos gotejadores não atrapalhem nos tratos culturais, o que é comum na região doCerrado, onde acontece a colheita mecanizada e em seguida o recolhimento mecanizado, além das capinas.

Investimento

O investimento necessário para implantação do gotejo subterrâneo é exatamente o mesmo do gotejo superficial. Entretanto, Guilherme Ferreira lembra que o produtor deve acompanhar de perto o sistema, porque, caso haja algum entupimento, este não será visto facilmente, e o prejuízos podem aparecer somente um ano depois.

“Em média, 50% do preço de um projeto de irrigação são para os tubos gotejadores, e a outra metade são bombas, filtros e PVC.Temos situações em que mais de 20% dos tubos gotejadores são danificados de um ano para outro, o que corresponde a 10% de reposição do projeto de irrigação todo ano. Se o projeto custou R$ 100 mil, a reposição anual é de R$ 10 mil, que deixa de existir se o sistema for enterrado“, compara o engenheiro agrícola.

O gotejo enterrado desenvolve melhor a raiz - Crédito Daniel Vieira
O gotejo enterrado desenvolve melhor a raiz – Crédito Daniel Vieira

Mais produtividade

Quanto ao ganho de produtividade, é mais visível em lavouras que trabalham com alta tecnologia, especialmente na cafeicultura. “Comparando o gotejo enterrado com o superficial, sabemos que a água nesse último só tem um caminho, para baixo. Quando o gotejo está enterrado, a água tem outros caminhos – a ascensão da umidade pela tensão matricial do solo, e temos que pensar em que profundidade e largura queremos colocar essa umidade.Isso é importante porque possibilita colocar os nutrientes nas regiões prioritárias“, explica Guilherme Ferreira.

O sistema radicular de um pé de café pode atingir até dois metros, mas em 40 cm estão 80% dele. Por isso é interessante que a umidade fique nessa profundidade.

Essa matéria completa você encontra na edição de outubro 2016 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

 

Inicio Revistas Grãos Irrigação com tubos gotejadores subterrâneos em café