Inicio Eventos Loyder Brasil: fábrica é inaugurada em Olímpia

Loyder Brasil: fábrica é inaugurada em Olímpia

0
83

A Loyder Brasil, especializada na produção de fertilizantes NPK (nitrogenados, fosfatados e potássicos), foi inaugurada no dia 9 de junho, no Complexo Industrial do Essere Group, na cidade de Olímpia, interior de São Paulo.

A construção da nova fábrica foi alinhada ao planejamento traçado pelo Essere Group até 2030, que visa a expansão desta tecnologia com a construção de outras unidades, como também ampliar parcerias estratégicas com misturadoras parceiras, possibilitando assim, estar presente nos principais mercados estratégicos do agro nacional.

Além disso, o Grupo visa atender à crescente demanda pela produção de alimentos. Assim, é natural que o produtor brasileiro necessite utilizar fertilizantes que possam tornar sua lavoura mais produtiva e rentável. Para se ter uma ideia, o Brasil consome mais de 40 milhões de toneladas de fertilizantes por ano e, notando esse cenário, a Loyder chega para suprir um mercado em franco crescimento.

“Na safra 2021/22, cultivamos no Brasil 79 milhões de hectares e o Brasil produziu 45 milhões de toneladas de fertilizantes. No Estado de São Paulo a cana-de-açúcar tem uma expressão muito grande neste sentido, demandando 60% dos fertilizantes agrícolas, e os outros 40% demandados por soja, milho, pastagem, café, amendoim, entre outros. Nossa missão foi tornar a eficiência desses fertilizantes ainda maior”, diz Luiz Fernando Schmitt, Diretor de Marketing e Novos Negócios.

Para ele, o Brasil ainda tem milhares de hectares para crescer na agricultura, e a construção da nova fábrica foi alinhada ao planejamento traçado pelo Essere Group até 2030, “que visa a expansão desta tecnologia com a construção de outras unidades, como também ampliar parcerias estratégicas com misturadoras parceiras, possibilitando, assim, estarmos presentes nos principais mercados estratégicos do agro nacional”.

Tecnologia de última geração

A nova fábrica está equipada com equipamentos de última geração, como a misturadora automatizada com capacidade produtiva de 60 toneladas por hora, podendo produzir até 200 mil toneladas de fertilizantes NPK por ano.
Além disso, conta com a participação da Sackett, indústria pioneira no desenvolvimento de processos e sistemas, com projetos e fabricação de mais da metade das plantas de fertilizantes nos Estados Unidos e em outros países, inclusive no Brasil.
Luciano de Gissi, Diretor de Operações no Essere Group, destaca: “A fábrica possui uma misturadora de alta intensidade, com capacidade de produzir 2.000 quilos de fertilizantes a cada 20 segundos. Nossa fábrica foi desenvolvida para trabalhar com fertilizantes 100% especiais, que vão ‘turbinar’ a produção agrícola”, define.
Em se tratando de empregos, a nova fábrica terá, inicialmente, uma equipe de 40 colaboradores para operação em dois turnos, ressaltando que várias áreas serão operacionalizadas pela área corporativa, entre elas: segurança do trabalho, RH, departamento financeiro, administração de vendas, departamento fiscal, supply chain e marketing.

Investimentos

Para a edificação da Loyder Brasil foram investidos R$ 50 milhões. Estima-se que nos próximos 10 anos deverão ser investidos R$ 300 milhões para a participação em território nacional. “A capacidade de produção projetada nos próximos 10 anos é de um volume ao redor de 500 mil toneladas de fertilizantes ao ano, o que vai capturar uma participação mercadológica de 1% de um mercado de 50 milhões de toneladas, previsto até 2030”, revela Luiz Fernando Schmitt, Diretor de Marketing e Novos Negócios.

O faturamento previsto é de R$ 350 milhões em 2022, chegando a R$ 800 milhões em 2026, o que deverá representar ao Essere Group 50% do seu faturamento a partir deste ano, mantendo-se para os próximos anos.

Antonio Carlos de Gissi Jr., CEO do Essere Group, destaca: “A união de colaboradores, fornecedores e parceiros que, com empenho e trabalho focado, também são os responsáveis pela chegada da nova fábrica”. Ainda de acordo com o CEO, a Loyder Brasil chega ao Noroeste paulista para agregar valor ao mercado de fertilizantes e gerar ainda mais divisas para a região, para o país e o agro nacional.

SEM COMENTÁRIO