Maior enraizamento da soja

0
294

Talis Melo ClaudinoEngenheiro agrônomo e mestrando em Agronomia – UNESP/FCA – Botucatu (SP)t.claudino@unesp.br

Rodrigo Ferrari ContinEngenheiro agrônomo e mestrando em Agronomia – UENP de Bandeirantes (PR)

Soja – Créditos: shurtterstock

A utilização de substâncias fisioativadoras na cultura da soja são metodologias de manejos que trazem benefícios produtivos e maior segurança ao produtor, principalmente quando se trata de fatores abióticos que venham a reduzir a produção, e assim a rentabilidade.

Uma diversidade de fatores que favorecem ou desfavorecem o crescimento é encontrada no cultivo da soja, como por exemplo a presença de alumínio, sendo um dos grandes fatores que levam ao menor desenvolvimento radicular.

Ainda, a presença de cálcio em subsuperfície faz com que as raízes se aprofundem e possam explorar maior volume de solo. Todavia, a utilização de substâncias aplicadas nas sementes, plântulas ou até mesmo nas plantas podem ativar o sistema fisiológico do enraizamento.

Fisiotivação

Vários fisiotivadores estão presentes no mercado, como por exemplo substâncias húmicas, extratos de algas, aminoácidos e vitaminas que apresentam funções diretamente relacionadas ao maior crescimento radicular, sendo que este fenômeno normalmente está baseado na maior produção do fitohormônio auxina, responsável pelo crescimento principalmente das áreas meristemáticas, como é o caso das raízes.

Esta técnica, para maior enraizamento, faz com que as plantas possam absorver maior quantidade de água e nutrientes, e além disso, a liberação de exsudados radiculares ocorre em maior quantidade ao liberar ácidos orgânicos, como o ácido cítrico, solubilizar fósforo não lábil.

Além disso, quando os vegetais com desenvolvimento radicular acentuado passam por estresses hídricos, eles superam da melhor forma e com menores impactos na produtividade, assim como observa-se maior tolerância a pragas e doenças pelo maior vigor e nutrição da planta.

Manejo

A utilização de enraizadores pode ser feita de diversas formas, desde o tratamento das sementes, via sulco ou foliar, principalmente no início do desenvolvimento (V2-V4). Com diferentes mecanismos de ação, a aplicação deste tratamento deve seguir a recomendação técnica do fabricante para o melhor resultado do produto a ser utilizado.

Uma frase de grande valia é: “O posicionamento faz o resultado do produto”.  Ou seja, quão mais bem posicionado, melhor resultado, e assim maior incremento de produtividade.

Enraizadores auxínicos apresentam bons resultados quando aplicados via foliar, visto que as auxinas são sintetizadas e deslocadas do meristema apical superior para os inferiores.

É muito observado o maior desenvolvimento radicular a partir da utilização de substâncias húmicas quando aplicados de 4,0 – 6,0 mmolc mL-1. Campos Jr. (2018) observou o maior vigor de diferentes sementes de soja e crescimento de raízes quando tratadas com 6,0 mL kg-1 de ácidos húmicos + fúlvicos.

Plantas com maior vigor desde o início de seu estabelecimento apresentam maiores chances de obterem altas produtividades, podendo incluir em até 20% os atributos produtivos em relação a plantas que não apresentaram um ótimo desenvolvimento e exploração do solo durante seu ciclo produtivo.

Não se descuide

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.