Maiores produtores e exportadores de algodão

0
210

Autores

Lucas Pereira da Silva // Éder Jr de Oliveira Zampareder.zampar1@gmail.com //Bruna Cristina de Andrade

Engenheiros agrônomos e mestrandos em Agronomia – Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Priscila Angelotti ZamparEngenheira agrônoma e doutoranda em Agronomia – UEM 

Mylena Chaves CarvalhoEngenheira agrônoma – Universidade Federal de Lavras (UFLA)

A cotonicultura é uma das principais culturas exploradas no Brasil e no mundo, sendo o comércio mundial responsável por movimentar anualmente cerca de US$ 12 bilhões de dólares com produtos e subprodutos advindos deste cultivo.

Além disso, nosso país é responsável por movimentar mais de R$ 14 bilhões, sendo responsável por uma significativa parcela no produto interno bruto (PIB) do agronegócio brasileiro, desempenhando papel social e de grande importância, no qual emprega direta e indiretamente milhares de pessoas dentro da sua cadeia produtiva (Neves et al., 2018).

Existem diversas empregabilidades aos produtos finais da cultura do algodão, tornando-o assim uma cultura com diversos mercados finais disponíveis, por exemplo, a fibra, que é o principal produto da cultura, é destinado à indústria têxtil para confecção de tecidos, bem como a fabricação de películas fotográficas e chaves para radiografia.

Já o caroço de algodão é rico na concentração de óleo (18 – 25%), sendo destinado para a alimentação humana, a torta de algodão, que é o subproduto do caroço, é destinada para a alimentação animal, devido ao seu alto valor proteico (40% a 45%) e, além disso, é possível utilizar o tegumento para a fabricação de certos tipos de plásticos e borrachas sintéticas.

Já a fabrilha é uma fina penugem agarrada ao caroço, que pode ser empregada na indústria química de plásticos e explosivos (Borém & Freire, 2014).

Produção

Segundo dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), atualmente são cultivados mais de 1.671 hectares de algodão, valor este dobrado, se comparado com os 868,4 mil hectares plantados no início da década de 2000, o que mostra a relevância desta cultura no nosso País.

Atualmente, a produtividade média do algodão em caroço é de 4.305 kg/ha, da pluma de algodão é de 1.723 kg/ha e do caroço é de 2.582 kg/ha. Já a última produção anual registrada do algodão em caroço foi de 7.194 toneladas, o da pluma de algodão de 2.879 toneladas e o do caroço de 4.315 toneladas. 

Quando observamos os números por regiões, atualmente a região centro-oeste é a que mais se destaca, possuindo 1.239,8 hectares plantados, sendo a produtividade média do algodão em caroço de 4.290 kg/ha, da pluma de algodão de 1.716 kg/ha e do caroço de 2.574 kg/ha, o primeiro com produção de 5.318,5 toneladas, enquanto de pluma de algodão de 2.127,9 toneladas e do caroço de 3.190,6 toneladas.

Diversos estados no território brasileiro realizam o cultivo do algodão, entretanto, é o Mato Grosso que se destaca como o maior produtor da cultura, com cerca de 1.169 hectares plantados, com a produtividade média do algodão em caroço de 4.289 kg/ha, da pluma de algodão de 1.716 kg/ha e do caroço de 2.573 kg/ha, o que torna este o Estado com maiores recursos tecnológicos para desenvolvimento da cultura.

Economia

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.