Mais produtividade e qualidade da batata com o ácido húmico

0
164

Autores

Regina Maria Quintão LanaProfessora de Fertilidade e Nutrição de Plantas – Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Mara Lúcia Martins MagelaDoutoranda em Fitotecnia – UFU

Rosana Aline Ribeiro da MotaMestranda em Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas – UFU

Luciana Nunes GontijoDoutoranda em Produção Vegetal – UFU

A batata (Solanum tuberosum L.) é o quarto alimento de maior importância econômica no mundo, ficando atrás somente do trigo, arroz e milho, que são parte da base alimentar de vários países (Queiroz, 2011).  No Brasil, a área total de cultivo da batata no ano de 2018 foi de 119 mil hectares, com produção total de 3,7 milhões de toneladas e produtividade média de 31 t ha-1 (IBGE, 2020).

A estimativa de uso de fertilizantes em lavouras de batata é de 2.8 t ha-1 (Pereira, 2018) e os principais fertilizantes utilizados são constituídos por fontes minerais concentradas, que muitas vezes são aplicadas em doses excessivas, resultando na perda de nutrientes, principalmente por lixiviação, fixação e volatilização. 

Esse fator, associado à baixa aplicação de matéria orgânica no solo, tem promovido a redução da qualidade do mesmo, com efeitos negativos para a sustentabilidade do sistema de produção, aumento do custo de cultivo e declínio parcial da produtividade (Singh; Kaur, 2016). 

O uso de biofertilizantes, como as substâncias húmicas, tem crescido em sistemas de produção agrícolas, com excelentes resultados para as hortaliças, sendo direcionado com o objetivo de promover crescimento de raízes, atenuar as condições de estresse, reduzir a densidade do solo e o índice de salinidade, aumentar a absorção de nutrientes, manter a fotossíntese ativa, promover balanço hormonal positivo, melhorar a qualidade e produtividade das colheitas (Lana, 2015).

O ácido húmico melhora as propriedades físico-químicas e biológicas do solo, aumentando a diversidade microbiana, podendo favorecer a quantidade de bactérias e fungos benéficos ao crescimento das plantas e desfavorecer os fungos patogênicos (LI et al., 2019).

Nutrição da batata

As substâncias húmicas podem ser utilizadas em complemento com os fertilizantes minerais, orgânicos e organominerais. Apresentam alta atividade bioquímica e sua presença regular no solo melhora a capacidade das plantas na utilização de água, nutrientes e pode reduzir a necessidade de adubação (Harfoush et al., 2017).

Os fertilizantes organominerais contendo ácido húmico representam um mercado em expansão no Brasil. Pesquisas vêm demonstrando vários benefícios na aplicação de substâncias húmicas em hortaliças, como a batata, o que incentiva os produtores rurais a buscarem por fertilizantes que contenham essas substâncias em sua composição e, assim, movimentam e inovam o mercado brasileiro de fertilizantes.

Esses resultados positivos em relação à produtividade são devido à melhoria que as substâncias húmicas proporcionam ao sistema solo-planta, como aumento da taxa de mineralização, da CTC, retenção e liberação de nutrientes, assim como redução das perdas por lixiviação (N e K), volatilização (NH3) e adsorção (P); promoção do efeito tampão, que contribui para a estabilidade do pH do solo; aumento da estabilidade de agregados, melhorando a aeração, infiltração e retenção de água; e aumento da proliferação de microrganismos (Virgolino et al., 2017).

 Como consequência, tem-se um aumento no desenvolvimento e vigor das plantas que, por sua vez, resultará em aumento de produção e qualidade do produto. Assim, tem sido crescente a aplicação de substâncias húmicas na cultura da batata devido ao melhor custo/benefício da aplicação, que proporciona aumento na produtividade e rentabilidade aos bataticultores.

Pesquisas

Em experimento realizado em 2019 na empresa Agrícola Wehrmann com a cultivar FL-1867 no período de inverno, sob irrigação com pivô central, observou-se aumento na produtividade da batata com a aplicação do ácido húmico Denka-H5.

A cultura da batata é altamente responsiva à adição de nutrientes e bioestimulantes. Neste experimento no grupo Wehrmann (2019), observou-se aumento nas variáveis de crescimento da batata com a aplicação do ácido húmico Denka-H5, as quais demonstraram estar diretamente relacionadas com o aumento da produtividade (Figuras 1a, 1b, 1c, 1d e 1e).

Figura 1. Aumento percentual em relação ao controle de algumas variáveis de crescimento da batata.

Dosagem de ácido húmico na cultura da batata

As doses de 10 a 25 L ha-1 de ácido húmico Denka-H5 proporcionaram maiores produtividades de batata de Primeira, em relação à não aplicação do ácido húmico (Figura 2a). A aplicação das doses de 10, 15, 20 e 25 L ha-1 de ácido húmico Denka-H5 destacaram-se, proporcionando 26, 55, 33, e 58% a mais de tubérculos que a ausência de aplicação (Figura 2b).

Figura 2a. Produtividade de batata com aplicação de ácido húmico, b. Aumento percentual do controle em relação às doses do ácido húmico Denka-H5.

Caixa de Texto: b

Observou-se, também, que a partir da dose de 15 L ha-1 do ácido húmico Denka-H5 todas as classificações de interesse comercial (batata de Primeira, de Segunda e de Terceira) foram beneficiadas com a aplicação, com destaque para as batatas destinadas para a Indústria de “chips” (batatas de primeira e de segunda), que são as de maior valor agregado, sendo 35% superior com a aplicação do ácido húmico (Figura 3).

Figura 3. Rendimentos (R%), em relação ao controle.

Foi observado que a aplicação de ácido húmico Denka-H5 proporcionou aumento linear na obtenção de batata de Primeira, em que a cada litro de ácido húmico aplicado se obteve aumento de 0.27 t ha-1 de batata (Figura 4a).

Figura 4. Classificação de tubérculos de plantas de batata em função das doses do ácido húmico H5 (L ha-1).

As doses entre 10 a 25 L ha-1 de Denka-H5 resultaram em maior produtividade, classificação e qualidade dos tubérculos de batata.

Efeito do ácido húmico sobre a raiz da planta

A aplicação de ácido húmico Denka-H5 nas doses de 20 a 25 L ha-1 aumentaram em aproximadamente 18% o peso seco de raiz e em 20% o volume da raiz da batata em relação à ausência de aplicação (Figuras 5a e 5b, respectivamente). Isso acarretou no aumento do número de estolões em 35% (Figura 5c).

Figura 5.  Peso seco da raiz, volume da raiz e número de estolões de plantas de batata.

Caixa de Texto: c

Em relação ao percentual do número de tubérculos, o ácido húmico resultou no aumento de 33% em relação à não aplicação (Figura 6a), obtendo peso fresco de tubérculos de 36% a mais (Figura 6b).

Figura 6. Número e peso fresco de tubérculos de plantas de batata.

Esses resultados estão relacionados à ação que as substâncias húmicas exercem sobre o crescimento das plantas, principalmente devido à sua atividade hormonal auxínica, que promove estímulos de desenvolvimento da planta, auxiliando em processos metabólicos, como fotossíntese.

Observou-se que os benefícios do ácido húmico foram evidentes, como reflexo dos efeitos positivos no crescimento e volume das raízes, explorando grande volume de solo desde o início do ciclo, promovendo maior absorção e acúmulo de água e nutrientes; maior desenvolvimento da parte aérea e, consequentemente, maior produtividade, qualidade e menor descarte de tubérculos (Figura 7).

Figura 7: À esquerda (ausência de aplicação de ácido húmico) e à direita (com aplicação de ácido húmico Denka-H5).

Ácido húmico sobre a qualidade da batata

Além da produtividade, as substâncias húmicas proporcionaram alta qualidade dos tubérculos, em que se obteve batatas com teores de sólidos solúveis adequados e com baixo defeito para a indústria de processamento.

Observou-se, também, aumento no teor de sólidos solúveis com a aplicação de ácido húmico, em que os palitos de batata apresentaram menor quantidade com pontas leves. Também se observou redução nos defeitos. A aplicação de 10 L ha-1 de ácido húmico Denka-H5 proporcionou 0% de defeitos (Figura 8).

Figura 8. Tipos de defeitos nos tubérculos de batata. Fonte: FAEP, 2018. Disponível em: <http://www.faep.com.br/comissoes/frutas/cartilhas/hortalicas/batata.htm>.

 A aplicação de ácido húmico Denka-H5 resultou em menor porcentagem de descarte em relação à não aplicação (Figura 9).

Figura 9. Percentual de descarte em função dos tratamentos.

Absorção de nutrientes x ácido húmico

Observou-se acúmulo de nutrientes nos tubérculos de batatas com o uso de ácido húmico H5. As doses de 10 e 20 L ha-1 de ácido húmico Denka-H5 acarretaram em aumento dos macro e micronutrientes.

Em relação ao enxofre, magnésio, nitrogênio, cobre e zinco nos tubérculos de batata, todas as doses do ácido húmico H5 resultaram em maior acúmulo em relação ao controle (Figuras 10a, 10b, 10c, 10d e 10e). O ácido húmico H5 atuou melhorando a disponibilidade de nutrientes e promovendo maior absorção dos mesmos.

Figura 10. Acúmulo de macro e micronutrientes (kg ha-1) em tubérculos de batata e rendimentos (R%), em relação ao controle.

Caixa de Texto: c

 A aplicação do ácido húmico resultou em incrementos significativos e maior diferença percentual em relação à ausência de aplicação nas variáveis:

ð Produtividade comercial;

ð Produtividade total;

ð Qualidade de tubérculo;

ð Variáveis de crescimento: número e comprimento de haste, massa fresca e seca da parte aérea, raiz e tubérculos, volume de raiz, número de estolões e número de tubérculos.

Substâncias húmicas nos fertilizantes organominerais

Diante de todos os benefícios que as substâncias húmicas levam à cultura da batata, é importante priorizar fertilizantes que contenham a matéria orgânica, como os fertilizantes organominerais.

A fração orgânica desses fertilizantes, além de potencializar a eficiência da fração mineral, também possui quantidade de substâncias húmicas, não húmicas, traços de macro e micronutrientes e aminoácidos, aumentando a bioatividade do solo e, consequentemente, a produtividade e qualidade da batata.