Inicio Revistas Hortifrúti Mancha púrpura – Doença comum e importante no cultivo da cebola

Mancha púrpura – Doença comum e importante no cultivo da cebola

0
1117

Valdir Lourenço Jr.

Ailton Reis

Engenheirosagrônomos, doutores em Fitopatologia epesquisadores da Embrapa Hortaliças

Gilmar Paulo Henz

Engenheiro agrônomo, doutor em Fitopatologia epesquisador da Embrapa Sede

 

Crédito Valter Rodrigues Oliveira
Crédito Valter Rodrigues Oliveira

A mancha púrpura, também conhecida como queima ou crestamento das folhas, é a principal doença da parte aérea da cebola no Brasil. Essa doença é causada pelo fungo Alternaria porri, que pode causar perdas acima de 50% na produção de cebola em cultivares suscetíveis e em condições ambientais altamente favoráveis.

A doença também ocorre em outras espécies de aliáceas, como o alho, a cebolinha e o alho-poró. Até o momento, o principal método de controle da doença é a aplicação de fungicidas.

Os sintomas típicos da mancha púrpura são observados nas folhas. Inicialmente, há a formação de lesões pequenas, aquosas e irregulares, similares aos sintomas causados por bactérias. Essas lesões se tornam esbranquiçadas e, posteriormente, adquirem um formato arredondado e com coloração púrpura, geralmente com halo amarelo.

Em condições de alta umidade, observam-se anéis concêntricos de coloração marrom a cinza escuro, correspondente às frutificações do fungo. Com o progresso da doença ocorre o aumento e a coalescência das lesões, causando murcha e queima das folhas.

Em algumas situações, ocorre a queima das pontas das folhas quando a infecção se inicia no ápice foliar. O fungo também causa lesões nos bulbos durante a colheita. Observam-se podridão e enrugamento das escamas de cor amarela. Posteriormente, as lesões se tornam avermelhadas devido ao pigmento produzido pelo fungo.

Agente etiológico

Aparentemente, Alternaria porri é o principal agente causal da mancha púrpura em cebola. No entanto, outro fungo, Stemphyliumvesicarium, também causa sintomas similares que podem ser facilmente confundidos a campo.

Dessa forma, é necessária a identificação em laboratório por especialista para verificar a presença dos patógenos, que podem causar a mesma doença na cultura da cebola.

  1. porri produz corpos de frutificação denominados de conidióforos, onde são produzidos os esporos (conídios) de cor marrom-escura. Os esporos são produzidos em condições de alta umidade e a sua liberação e dispersão pelo vento ocorre em baixa umidade. Não há informação da ocorrência de reprodução sexuada nesse fungo.

Aspectos epidemiológicos

A doença é favorecida por temperaturas na faixa de 20 a 30°C e alta umidade relativa, ou seja, acima de 90%. Nessas condições ambientais, A. porri produz grandes quantidades de esporos que podem ser dispersos para outras plantas sadias e, assim, iniciar novas infecções.

Além disso, o fungo pode ser disperso a longas distâncias pela semente ou bulbos. Plantas mais velhas, debilitadas e com ferimentos causados por pragas, são mais suscetíveis a A. porri.

Os ferimentos causados por pragas favorecem a penetração do fungo no tecido da planta hospedeira. Após a colheita da cebola, o fungo sobrevive no período de entressafra na forma de micélio e esporos em restos de cultura.

 Lesões arredondadas com anéis concêntricos escuros causados pelo fungo Alternaria porri em cebola - Crédito Ailton Reis
Lesões arredondadas com anéis concêntricos escuros causados pelo fungo Alternaria porri em cebola – Crédito Ailton Reis

Manejo

Apesar de não haver genótipos de cebola com resistência completa à mancha púrpura, recomenda-se o uso de cultivares ou híbridos moderadamente resistentes. Informações sobre a resistência de cultivares ou híbridos comercializados no Brasil podem ser obtidos com as empresas ou instituições públicas ou privadas que desenvolveram esses materiais.

Essas informações também podem ser obtidas a partir de um estudo de reação de genótipos de cebola à mancha púrpura, conduzido na Embrapa Hortaliças e publicado no Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento nº 98, de abril de 2013, que pode ser acessado em www.embrapa.br/publicacoes

Outra medida importante no manejo da mancha púrpura é a aplicação de fungicidas em condições ambientais favoráveis ao desenvolvimento dessa doença. Os fungicidas registrados para o manejo de A. porri em cebola podem ser consultados no sistema “Agrofit“ do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). A recomendação técnica é fundamental antes de utilizar os fungicidas no manejo da doença.

Práticas culturais

O uso de práticas culturais é importante no manejo integrado da mancha púrpura em conjunto com o uso de genótipos de cebola com resistência moderada e aplicação de fungicidas. As principais práticas culturais são:

  • Uso de sementes sadias;
  • Rotação de culturas com espécies de outras famílias botânicas distintas, como as gramíneas;
  • Manejo adequado da irrigação por aspersão para evitar microclima favorável ao desenvolvimento do fungo;
  • Adubação equilibrada, principalmente com nitrogênio, para evitar deficiência de nutrientes, o que favorece o desenvolvimento da doença;
  • Evitar o plantio sucessivo de cebola ou com outras espécies de aliáceas, tais como alho, cebolinha e alho-poró;
  • Evitar o plantio em áreas de baixadas sujeitas à alta umidade.

Essa matéria você encontra na edição de janeiro 2016  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.

SEM COMENTÁRIO