19 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiMandioquinha-salsa Alternativa de renda garantida

Mandioquinha-salsa Alternativa de renda garantida

A mandioquinha-salsa, também conhecida por mandioquinha, batata-baroa (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Distrito Federal e parte de Minas Gerais) ou batata-salsa (Paraná e Santa Catarina), é originária da cordilheira dos Andes, do Peru à Colômbia.

Foi introduzida no Brasil há pouco mais de 100 anos, tendo se adaptado a regiões serranas do Sudeste e do Sul do país. Observa-se, nos últimos anos, uma mudança nos padrões de produção, representando ótima oportunidade de mercado.

É alternativa muito interessante devido à sua rentabilidade, especialmente para pequenos e médios produtores em função da grande exigência em mão de obra caprichosa, sobretudo no preparo de mudas, no plantio e na colheita.

Ela possui algumas peculiaridades, como o ciclo relativamente longo e a reduzida conservação pós-colheita, o que, na verdade, representa características que asseguram sua condição de alimento nobre e especial e preços muito interessantes para os produtores.

A mandioquinha-salsa pode ser consumida de diversas maneiras, sendo considerada uma verdadeira iguaria culinária por seu odor e paladar característicos, além de ser alimento rico em carboidratos de fácil digestão e possuir teores interessantes de vitaminas e minerais.

Oferta x procura

Em geral, a procura pelo produto é superior à oferta. Entretanto, por ser uma cadeia produtiva que carece de organização por parte dos agricultores, observa-se a concentração de cultivos em uma mesma época e desabastecimento em outras, o que é parcialmente resolvido pelo armazenamento da produção no campo e pela colheita paulatina à medida que o mercado vai absorvendo a produção.

Neste ano, por eventos climáticos principalmente no Sul do Brasil (veranicos e geadas), a demanda está muito acima da oferta e deve faltar mandioquinha-salsa por alguns meses, observando-se a colheita de campos precocemente, ainda que bem abaixo do potencial produtivo, em função dos elevados preços atingidos em outubro/novembro (até R$ 200 a caixa com 40 kg na roça).

Rentabilidade

A rentabilidade é, geralmente, compensatória, mas é preciso analisar com cautela os valores praticados atualmente. Devido ao desabastecimento atual, os preços estão altíssimos, fora da realidade, e mesmo lavouras com baixa produtividade apresentam uma rentabilidade altíssima, com retorno de até 10:1 em relação ao investimento.

ARTIGOS RELACIONADOS

Soja é comercializada em ritmo lento no Rio Grande do Sul

FecoAgro/RS estima queda de 22% nos preços do grão praticados pelas originadoras   Pelo quinto ano consecutivo o Rio Grande do Sul deve bater recordes na...

Estratégias de manejo para as manchas foliares em soja

Durante o Open Sky Soja, em Campo Verde, pesquisador aponta cercosporiose e mancha alvo como principais doenças que vem causando impacto econômico na maioria das cultivares plantadas

Aminoácidos reduzem estresse do pessegueiro

Fernando Simoni Bacilieri Engenheiro agrônomo e doutorando em Fitotecnia - ICIAG-UFU ferbacilieri@zipmail.com.br Roberta Camargos de Oliveira Engenheira agrônoma e doutora em Fitotecnia robertacamargoss@gmail.com José Geraldo Mageste Engenheiro florestal e professor -...

CropLife Brasil promove seminário

Evento, que tem inscrições gratuitas, acontecerá no Pavilhão de Engenharia da ESALQ, em Piracicaba (SP), na próxima quinta-feira (30).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!