21.6 C
Uberlândia
segunda-feira, junho 24, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiMandioquinha-salsa: Sul e sudeste em destaque

Mandioquinha-salsa: Sul e sudeste em destaque

Mandioca-salsa – Crédito: shutterstock

A área de produção de mandioquinha-salsa no Brasil é de aproximadamente 15 mil hectares, movimentando cerca de R$ 2 bilhões ao ano. Dentre as regiões brasileiras, o Sul e o Sudeste são responsáveis pela maior parte da produção de mandioquinha-salsa no País, sendo que Minas Gerais responde pela maior produção entre os Estados brasileiros.

Em 2017, o Estado obteve uma produção estimada em mais de 67 mil toneladas em uma área que totaliza mais de 4 mil hectares (Rodrigues e Alencar, 2018). As regiões centro-sul do Brasil apresentam maior destaque na produção devido às condições climáticas semelhantes às do seu local de origem.

Pela boa aceitação do consumidor brasileiro, alto valor de mercado e baixo custo de produção, a mandioquinha-salsa é uma ótima alternativa para pequenos e médios produtores, em especial para os que estão envolvidos com a agricultura familiar, dada a necessidade de mão de obra para a atividade.

Assim, seu cultivo requer cuidados e o emprego de técnicas corretas para altas produções e produto de melhor qualidade, sendo fundamental o conhecimento do manejo adequado desta cultura.

Genética

Segundo Madeira et al. (2017), há três cultivares registradas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) até 2017, melhoradas tradicionalmente e lançadas pela Embrapa: ‘Amarela de Senador Amaral’ (lançada em 1998), ‘BRS Rubia 41’ ou simplesmente Rubia (lançada em 2014) e ‘BRS Catarina 64’ ou simplesmente ‘Catarina’ (lançada em 2015). A primeira (‘Amarela de Senador Amaral’) responde por de 95% da área de produção. Existem, ainda, pelo menos outras três variedades não registradas, com menor expressividade de produção.

O mercado de mandioquinha-salsa se encontra em evolução, sendo necessário o desenvolvimento de técnicas de produção que possibilitem a expansão das áreas de cultivo com produtos de qualidade para comercialização in natura, miniprocessamento e na indústria alimentícia como matéria-prima para industrialização na forma de sopas, cremes, pré-cozidos, alimentos infantis (“papinhas”), fritas fatiadas (“chips”) e “purês”.

Custo médio

O custo médio total estimado para produção de 1,0 hectare de mandioquinha-salsa com produtividade esperada de 750 caixas de 20 kg, segundo a Emater/DF é de R$ 20.526,97, sendo este valor composto pela soma dos insumos (R$ 8.511,97) e serviços (R$ 12.015,00). O custo por unidade de comercialização é estimado em R$ 27,37.

Autoria:

Givago Coutinho Doutor em Fruticultura e professor efetivo do Centro Universitário de Goiatuba (UniCerrado)givago_agro@hotmail.com

ARTIGOS RELACIONADOS

Fundecitrus lança aplicativo para ajudar a calcular pulverizações

Sistema auxilia citricultor a otimizar aplicações e proporciona redução dos custos O Fundecitrus " Fundo de Defesa da Citricultura criou um aplicativo para ajudar o...

FiiB – Alta tecnologia em irrigação é destaque na feira

Com 100 marcas presentes, 26 palestras, nove minicursos e oficina especializada em agricultura irrigada, a Feira Internacional da Irrigação Brasil 2018 (FIIB 2018) e...

Calboron® e Fisiocal® na luta contra o fundo preto

    Eng. Agr. Juliano Gullo de Salvo Mestre em Solos e Nutrição de Plantas e coordenador técnico da Green Has do Brasil detec@greenhb.com.br Eng. Agr. Clevison...

Controle do oídio no morango em estufas

O oídio, causado pelo fungo Oidiumsp. (Sphaerothecamacularis), vem ocorrendo em algumas áreas do Brasil, com intensidade variável, principalmente em função do uso do cultivo...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!