23.3 C
São Paulo
quarta-feira, julho 6, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Manejo biológico no controle de nematoides em alface

Manejo biológico no controle de nematoides em alface

Rodrigo Vieira da Silva

Engenheiro agrônomo, doutor em Fitopatologia pela Universidade Federal de Viçosa e professor do IF Goiano ” campus Morrinhos

rodrigo.silva@ifgoiano.edu.br

Sinara Vieira Amaral

Engenheira agrônoma

Sílvio Luís de Carvalho

Engenheiro agrônomo,mestrando em Olericullturae professor Universitário da Fafich ” Campus Goiatuba

CréditoShutterstock
CréditoShutterstock

A olericultura é uma das atividades agrícolas que geralmente utiliza pequenas áreas de cultivo, larga demanda de mão de obra e apresenta a capacidade de produção durante o ano todo. Atualmente, o consumidor brasileiro tem tido mais acesso à informação, e por isso tem demandado produtos mais diversificados, mais saudáveis e especialmente sustentáveis dos pontos de vista técnico e social.

A alface

A alfaceLactuca sativa L. é considerada a mais importante hortaliça folhosa, sendo consumida pela maioria dos brasileiros, destacando-se como fonte de algumas vitaminas, como A e C, e minerais como ferro e o fósforo, sendo de baixo valor calórico e componente básico de saladas.

Sua forma predominante de comercialização é in natura. Com aproximadamente 35 mil hectares, a alface é a sexta hortaliça em importância econômica e a oitava em termos de volume produzido no Brasil. Em algumas centrais de distribuição, o conjunto das espécies de alface representa quase 50% de todas as folhosas que são comercializadas, com destaque para as cultivares do grupo Crespa, com quase 40% do total.

Fitonematoides em alface

Os nematoides parasitas de plantas, também conhecidos como fitonematoides, representam uma grave ameaça à produção de alimentos em todo o planeta. Prova disso é a inclusão deles na lista do Ministério da Agricultura como as pragas de maior potencial de provocar prejuízo à agricultura brasileira.

Características como agressividade, alta capacidade reprodutiva, espécies hospedeiras, facilidade de disseminação e dificuldade de controle por meio de produtos químicos traz a necessidade de novas alternativas de controle.

Dentre as hortaliças mais atacadas por fitonematoides, a alface representa uma das mais prejudicadas em razão de sua alta suscetibilidade. Os sintomas mais característicos que observamos estão associados à deficiência de nutrientes, devido à dificuldade de absorção das raízes, tais como: amarelecimento, nanismo da planta, cabeças menores, mais leves e folhas mais soltas e murchas.

Raízes de alface infectadas pelo nematoide de galhas Meloidogyne spp. - Crédito Lara Nascimento Guimarães
Raízes de alface infectadas pelo nematoide de galhas Meloidogyne spp. – Crédito Lara Nascimento Guimarães

Os sintomas nas raízes dependem do gênero do fitonematoides que está presente na área. No caso do ataque por Meloidogyne spp., conhecido como nematoide das galhas radiculares, no local onde o nematoide se instala na raiz ocorre a formação de engrossamentos de variados tamanhos, denominados de galhas.

O sistema radicular torna-se ineficiente na absorção de água e nutrientes, afetando o crescimento das plantas.Geralmente as raízes são mais curtas, com número menor de raízes laterais e presença de galhas, podendo ocorrer uma diminuição drástica das raízes finas, engrossamentos, rachaduras e degradação dos tecidos corticais.

O principal sintoma de infecção pelo nematoide-das-lesões-radiculares Pratylenchus spp. é a coloração marrom avermelhado, constituída de finos traços ocasionados por células danificadas ou mortas nas raízes.

Na alface, as folhas, que são amplas e crescem em roseta em volta do caule, podem ser lisas ou crespas, formando ou não cabeça, e os sintomas da parte aérea são semelhantes aos causados por deficiência nutricional, subdesenvolvimento, folhas pequenas e amareladas.

Porém, pode ocorrer também: murcha, necrose foliar, queda de folhas, declínio geral, causando redução na produção e depreciação do produto comercial e, em caso de alta densidade de nematoide, pode até levar à morte da planta.

O controle biológico de fitonematoides é uma alternativa sustentável no manejo de pragas - CréditoShutterstock
O controle biológico de fitonematoides é uma alternativa sustentável no manejo de pragas – CréditoShutterstock

Prejuízos

As cultivares de alface plantadas no Brasil estão reunidas em cinco grupos, sendo todos severamente atacados por nematoides fitoparasitas. O fato de a venda do produto ocorrer praticamente na forma “in natura“ e os danos causados pelos nematoides, tanto em raízes quanto em folhas, apresentarem sintomas, entre outros, de folhas pequenas e amareladas, além de murcha e necroses, possibilita correlacionar diretamente os danos causados pelos nematoides com os prejuízos econômicos da falta de qualidade do produto destinado às vendas.

Controle

O controle de nematoides é muito dispendioso, principalmente devido ao fato de que a erradicação é praticamente impossível. O sucesso do controle em áreas infestadas depende de um conjunto de medidas associadas, visando principalmente reduzir o nível populacional e impedir a sua multiplicação e, consequentemente, reduzir os danos.

A  erradicação de nematoides é praticamente impossível - Crédito Shutterstock
A erradicação de nematoides é praticamente impossível – Crédito Shutterstock

Essa matéria completa você encontra na edição de dezembro 2016  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

 

Inicio Revistas Hortifrúti Manejo biológico no controle de nematoides em alface