27.7 C
São Paulo
terça-feira, maio 17, 2022
- Publicidade -
- Publicidade -
Inicio Revistas Grãos Manejo da adubação fosfatada em amendoim

Manejo da adubação fosfatada em amendoim

Crédito Shutterstock

Alisson André Vicente Campos
Engenheiro agrônomo e doutorando em Agronomia/Fitotecnia – UFLA
alissonavcampos@yahoo.com.br
Ademilson Oliveira Alecrim
Engenheiro agrônomo, doutor em Agronomia/Fitotecnia e professor – Faculdade de Ciências e Tecnologias de Campos Gerais (Facica)
ademilsonagronomia@gmail.com

O amendoim responde eficientemente à adubação fosfatada, sendo que alguns trabalhos apresentam resultados expressivos para produção de vagens e grãos, utilizando-se concentrações de 40 kg/ha e 80 kg/ha de P2O5. A adubação fosfatada será recomendada em virtude dos teores de fósforo no solo.

Benefícios para o amendoim

A produção de amendoim para a safra 2021/22 está prevista em torno de 717,7 mil toneladas, com crescimento de 20,2% em relação à safra anterior. A média nacional é de 3.671 kg ha-1, com a produção concentrada na primeira safra (98,7%), em relação à segunda safra.
A produtividade média do Brasil ainda é baixa, observando-se que algumas cultivares, como a IAC 505 apresentam potencial produtivo de até 6.500 kg ha-1. Dessa forma, a adubação fosfatada é uma importante prática para atingir maiores produtividades.
O fornecimento de fósforo para o amendoim favorece o desenvolvimento radicular, acúmulo de reservas, crescimento das plantas e formação de grãos. Sua função na planta é a formação de adenosina trifosfato (ATP), responsável por ser fonte de energia, realização do processo fotossintético, divisão celular, entre outras.
Embora seja considerada uma cultura rústica, o correto manejo da adubação do amendoim é fundamental para altas produtividades, levando em consideração a análise de solo e o potencial produtivo das cultivares utilizadas.

Manejo

A adubação fosfatada é aplicada de forma localizada, fornecida logo na adubação de plantio. Sua fonte deve ser fornecida de uma única vez, devido à forte adsorção que o P apresenta em solos tropicais, com altos teores de óxidos de ferro e alumínio.
São utilizadas fontes como o super fosfato simples, assim como super fosfato triplo, além de outras fontes mais tecnológicas, como fertilizantes de eficiência aumentada. Alguns fertilizantes, como o MAP, até podem ser utilizados conforme sua disponibilidade, porém, como o amendoim é uma leguminosa, dispensa o uso de fertilizantes que tenham N na sua composição.

Produtividade

O amendoim é uma planta que tem facilidade em utilizar o P, principalmente em locais onde o solo é pobre nesse elemento. Alguns autores recomendam limites em adubações fosfatadas entre 40 a 80 kg ha-1 de P2O5.
Porém, trabalhos mais atuais com faixas de doses de adubos fosfatados têm evidenciado aumento de até 49% na produtividade. Doses crescentes de 30, 60, 90 e 120 kg de P2O5 utilizadas na semeadura, com o uso de super fosfato triplo, proporcionaram produtividades de até 6.500 kg ha-1.
Houve um aumento substancial na produção de vagens por planta, consequentemente de grãos, número de grãos por vagem e peso de 100 sementes. É importante salientar que o acréscimo da dose de P2O5 não é linear, seguindo uma curva em forma de parábola, decorrente da lei dos Incrementos Decrescentes.
Em trabalho com doses de 0, 50, 100 e 150 kg de P2O5, Pinto et al. 2020 observaram maiores produtividades com doses de 100 kg de P2O5.

No alvo

A maioria das áreas utilizadas para produzir amendoim são em cultivos na intersafra da cana-de-açúcar, podendo encontrar dificuldade em encontrar novas áreas. A mecanização agrícola da cultura do amendoim também deixa a desejar, quando comparada com outros cultivos agrícolas.
A textura do solo é fundamental para a implantação da lavoura, uma vez que solos mais argilosos podem dificultar a penetração dos ginóforos. O amendoim é relativamente tolerante à acidez do solo, porém, requer aplicação de calcário dolomítico, por ser exigente em Ca e Mg.
As adubações do amendoim devem levar em conta as doses pela densidade de plantio, cultivares e nível crítico do solo, sendo essencial uma adequada análise de solo. A janela de plantio, dependendo da região, deve ser observada, pois seu ciclo pode variar de 100 a 130 dias, evitando que coincida a colheita com períodos chuvosos.

Recomendações

As áreas de plantio devem apresentar disponibilidade de plantio, independentemente da principal cultura, quando intercalada. Há possibilidade de mecanizar, principalmente o plantio e a colheita. Solos mais leves são mais indicados para facilitar o desenvolvimento radicular, penetração dos ginóforos e colheita.
A análise de solo sempre deve ser considerada para as recomendações de calagem, gesso e adubações de P e K. Na região sudeste do Brasil, em especial no Estado de São Paulo, deve ser iniciado o preparo entre setembro a outubro, com a colheita programada para abril.

Foco

A cultura do amendoim, embora rústica, deve ter o foco na mecanização sempre que a topografia e o nível tecnológico do produtor permitirem. O uso de fertilizantes que apresentam alta tecnologia também é uma boa estratégia, optando por fontes fosfatadas mais disponíveis para a planta, visto seu ciclo relativamente curto.

Custo

O componente adubação no custo de produção da cultura do amendoim representa cerca de 15,5%. Porém, os aumentos do preço dos fertilizantes têm tornado essa prática mais cara a cada ano.
Somente os fertilizantes fosfatados tiveram acréscimo de 106% de 2020 para 2021. O custo total de produção está em torno de R$ 12.363,78, apresentando rentabilidade de 26,68%, segundo fontes da Henn Consultoria Agropecuária. O uso de operações mecanizadas possibilita que as adubações fiquem mais baratas, devido à menor mão de obra utilizada na atividade.

Investimento x retorno

A produtividade é o principal componente da receita de um cultivo agrícola. O aumento das doses do P2O5 possibilita que o amendoim produza até 49% a mais. Mesmo em um cenário com a alta dos preços dos fertilizantes, doses maiores, de até 80 kg ha-1, têm sido interessantes aos produtores.
Para que a atividade seja interessante para o agricultor, a produtividade deve variar de 4.000 a 6.000 kg ha-1, dependendo da cultivar, nível tecnológico do produtor, hábito de crescimento da planta, dentre outras características.
A saca de amendoim a R$ 90,00 a saca torna interessante o incremento de produtividade, mesmo que os custos variáveis acompanhem esse investimento. Quando adotado em sistema de sucessão com cultivos ou plantio intercalar, apresenta a vantagem de fixar N no solo, podendo ser utilizado posteriormente para outras culturas, principalmente em áreas de cana-de-açúcar.

Inicio Revistas Grãos Manejo da adubação fosfatada em amendoim