Manejo de plantio de acerola

0
52

Leila Aparecida Salles PioProfessora – Universidade Federal de Lavras e colaboradora da startup Agroakileila.pio@ufla.br

A acerola é uma das frutas com maior teor de vitamina C que se tem conhecimento, perdendo apenas para o camu camu e, por isso, é considerada um “super alimento”.

Em algumas cultivares, alcança até 5.000 miligramas de vitamina C por 100 gramas de polpa. Esse fato tem impulsionado a comercialização de frutos verdes para a fabricação de medicamentos. Além disso, o fruto contém significativo valor nutritivo e elevada atividade antioxidante total, o que previne doenças graves, como câncer, diabetes e problemas cardíacos.

A área colhida de acerola no Brasil atualmente é em torno de 10.000 hectares, sendo que a produção em cada hectare pode ser de 6,5 a 40 t, a depender da idade da planta. A planta começa a produzir a partir do oitavo mês de plantio e a safra ocorre, na região sudeste, de outubro a abril. Durante esse período é possível colher frutos por até 30 vezes na mesma planta. Isso porque nem todas as acerolas amadurecem de uma vez.

A acerola possui um grande potencial para a industrialização, sendo a produção de polpas congeladas e suco os principais produtos, correspondendo a 95% da produção nacional. Apenas 5% vão para o mercado de fruta fresca, e são comercializados normalmente em bandejas de isopor.

Manejo

As cultivares mais indicadas para a região sudeste são Olivier, Apodi e Frutacor, sendo que as duas últimas, selecionadas pela Embrapa, alcançaram valores de 22 a 25 toneladas de acerola por hectare, e a Olivier, selecionada por um produtor do interior de São Paulo, produz 30 toneladas, com média de 90 kg de frutos por planta em cultivo de sequeiro. 

Lembrando que em cultivos irrigados esses volumes serão bem mais elevados. Vale salientar que é importante a presença de duas ou mais cultivares no mesmo pomar, justamente para proporcionar a polinização cruzada, o que beneficia ainda mais o pegamento dos frutos.

A polinização é realizada por abelhas, então a colocação de colmeias pode ser uma opção interessante.

O plantio da aceroleira deve ser realizado, preferencialmente, no início ou durante os meses da estação das chuvas, em solos profundos e bem drenados. Exceto no inverno, o plantio pode ser feito em qualquer época do ano, se houver disponibilidade de irrigação.

 Os espaçamentos mais utilizados são 5 x 5 m, 6 x 4 m e 5 x 4 m, com 400 a 500 árvores por hectare.

As práticas culturais usuais são: capinas, adubações de plantio e cobertura (de acordo com as análises de solo), podas de formação e de limpeza e irrigação. Adubos orgânicos contribuem para que os frutos fiquem maiores e a aceroleira mais produtiva.

Os principais problemas da cultura são ataque de pragas como pulgões, formigas cortadeiras, cigarrinhas e mosca-das-frutas, e doenças como nematoides, antracnose, cercosporiose, seca descendente de ramos e podridão de frutos. Para um controle fitossanitário efetivo, recomenda-se consultar um engenheiro agrônomo.

Os frutos devem ser colhidos maduros ou quando estão mudando de coloração do verde para o vermelho, a cada dois ou três dias durante o período de safra. Não é recomendável deixar frutos caídos no pé das plantas.