22.8 C
Uberlândia
quarta-feira, julho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiManejo nutricional da alface

Manejo nutricional da alface

Amanda Santana ChalesEngenheira agrônoma, mestranda em Ciência do Solo – Universidade Federal de Lavras (UFLA)amandaachales@gmail.com

Júlio César RibeiroEngenheiro agrônomo, doutor em Agronomia/Ciência do Solo – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)jcragronomo@gmail.com

Alface – Foto: Pixabay

Atualmente, a busca por um hábito alimentar mais saudável tem aumentado, proporcionando, de modo geral, um maior consumo de vegetais, principalmente de hortaliças folhosas, por apresentarem uma ampla diversidade de características, como textura, sabor, cor e a forma de preparo, sendo uma ótima opção prática para saladas nas refeições diárias.

A alface (Lactuca sativa L.) dentre as hortaliças folhosas, é a mais consumida e comercializada no Brasil, apresentando em sua composição elementos que são considerados importantes para o bom funcionamento do organismo humano, sendo fonte de vitaminas e sais minerais. Além disso, é considerada de fácil manejo, facilitando assim sua produção, a qual ocorre ao longo do ano.

Para a obtenção de plantas de alface com boa qualidade, é necessário atenção com relação às características climáticas e do solo da região de cultivo, além do seu manejo nutricional ao longo da produção.

Exigências da alface

A cultura da alface apresenta preferência por solos com textura média, que apresente um pH na faixa de 6,0 a 6,8, sendo necessário que a saturação por bases (V%) do solo esteja no mínimo a 70%.

É de fundamental importância a realização de adubações ao longo do ciclo de produção da cultura da alface, a fim de fornecer nutrientes necessários para o adequado desenvolvimento das plantas, sendo o nitrogênio, fósforo, potássio e cálcio os nutrientes mais requeridos.

Considerando o ciclo curto da cultura, assim como seu sistema radicular, o qual se desenvolve na camada superficial do solo, recomenda-se a utilização de adubos com uma boa solubilidade, a fim de proporcionar o fornecimento de nutrientes com maior rapidez.

Além disso, uma adubação orgânica se faz importante, auxiliando na melhoria do condicionamento físico e químico do solo ao longo do tempo, proporcionando uma boa produção e, consequentemente, uma adequada produtividade.

Como implantar a técnica

Para alcançar uma boa produtividade, antes de iniciar o cultivo da alface é necessário a realização de um planejamento de produção, assim como a realização de avaliações de alguns aspectos da região, como o clima, precipitação e histórico fitossanitário da área, a fim de evitar prejuízos ao longo do ciclo da cultura.

Ao iniciar a produção de alface, uma etapa de suma importância é a escolha da cultivar que será produzida, tendo em vista que a mesma deve ser adaptada ao clima da região. A escolha de sementes ou mudas também é outro aspecto importante, o qual deve ser realizado com o máximo de atenção possível, considerando que as sementes devem ser certificadas, assim como as mudas, devendo estas apresentar boa sanidade, o que garantirá a obtenção de plantas de qualidade e uma adequada produtividade.

Por onde começar

Antes da implantação da cultura é fundamental a realização de uma análise de solo, a fim de efetuar, caso necessário, a correção de sua acidez, garantindo a elevação da saturação por bases (V%), neutralização do alumínio e o fornecimento de cálcio.

As adubações devem ser realizadas no plantio e em cobertura, sempre seguindo as recomendações de acordo com os resultados da análise de solo, sendo o fósforo todo aplicado no plantio, e o nitrogênio e potássio parcelados entre plantio e cobertura.

De modo geral, realizam-se três aplicações em adubação de cobertura, sendo a primeira após o pegamento das mudas, a segunda na formação de novas folhas e a terceira no início da formação das cabeças.

Da semeadura à colheita

A semeadura pode ser realizada em bandejas de isopor ou de plástico, utilizando-se um substrato que tenha boa retenção de água e um bom teor de nutrientes, a fim de garantir o desenvolvimento adequado das mudas.

Após apresentarem quatro folhas definitivas, as mudas podem ir para o canteiro, onde ficaram até o final do ciclo de produção. O espaçamento para o cultivo de alface em canteiros pode variar de 0,25 a 0,35m x 0,25 a 0,35m, dependendo da cultivar escolhida.

A colheita pode ser realizada entre 65 e 80 dias após a semeadura, entretanto, esse tempo pode ser reduzido se a alface for cultivada, por exemplo, em estufas, onde seu ciclo pode compreender entre 45 e 50 dias.

De modo geral, se for realizado o correto manejo da cultura da alface, sua produtividade em campo pode variar de 80.000 a 120.000 plantas ha-¹, dependendo do nível tecnológico utilizado para sua produção, o que pode proporcionar um retorno financeiro satisfatório, sempre tomando como base a oferta e a procura do produto de qualidade no mercado.

Atenção redobrada

[rml_read_more]

A alface é uma cultura bastante exigente em água, visto que o seu não fornecimento adequado afeta diretamente a produtividade e a qualidade da planta. Desse modo, deve-se sempre manter a umidade do solo a pelo menos 80% ao longo do ciclo da cultura, desde o transplantio das mudas para os canteiros até a colheita.

Quando necessário, deve-se utilizar a irrigação para suprir a necessidade da planta, a fim de que se mantenha uma boa produtividade. Atenção também deve ser dada no que se refere ao momento correto de colheita, pois após o pendoamento das plantas, sua comercialização torna-se inviável.

A realização de uma adubação sem critérios técnicos pode comprometer toda a produção, levando a um desequilíbrio nutricional das plantas, tendo em vista que a cultura é exigente em nutrientes. Uma adubação exagerada pode causar toxidez às plantas, além de gerar custos desnecessários de produção.

Considerando que essa etapa é o ponto-chave para o sucesso da atividade, junto a outros fatores já citados, é necessário que a adubação seja realizada sempre com base nos resultados de uma análise de solo, para que quantidades balanceadas de nutrientes sejam aplicadas sempre de acordo com as exigências da cultura.

Custo-benefício

Por apresentar um ciclo curto, é possível que a produção de alface ocorra durante o ano todo, isso sempre levando em conta um bom manejo e a utilização de cultivares adaptadas às características climáticas de cada região, o que possibilita uma ótima opção de renda ao produtor.

O custo de produção da alface varia de acordo com a região, tecnologia e insumos utilizados, podendo variar entre R$ 0,59 a R$ 1,03 por planta, entretanto, uma boa lucratividade pode ser obtida pelo fornecimento de um produto de qualidade, principalmente em épocas de escassez do produto no mercado.

De modo geral, o acompanhamento técnico é fundamental para o sucesso da atividade, tendo em vista que um bom planejamento e um manejo adequado evitam erros que podem levar à perda de produtividade e a um bom retorno financeiro.

ARTIGOS RELACIONADOS

Sakata iField promove troca de experiências entre horticultores

Plataforma digital oferecerá uma ampla gama de produtos e serviços, além de conteúdos técnicos e atendimento em tempo real.

JR Agroplásticos – Caixas na medida certa

  A JR Agroplásticos nasceu com o propósito de agregar tecnologia e mobilidade ao agronegócio.Localizada em Rio Claro (SP), a empresa conta com sede própria...

Agrivalle lança biofungicida Twixx-A®,

A Agrivalle, empresa pioneira no segmento de bioinsumos no Brasil, lançou o Twixx-A®, ...

Manejo de estruturação de plantas

O manejo de regulação de crescimento em plantas visa reduzir o porte das plantas para prevenir problemas, enquanto o manejo de estruturação busca otimizar a forma e o desenvolvimento das plantas para aumentar sua produtividade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!