Inicio Revistas Hortifrúti Mangas adensadas rendem mais

Mangas adensadas rendem mais

0
504

 

Moacir Brito Oliveira

Rafael Pereira Sales

Irani Pereira

Mangaclara ” Consultoria e Serviços Especializados em Fruticultura

mangaclara@nortecnet.com.br

 

Crédito Eduardo Ferraz
Crédito Eduardo Ferraz

O cultivo da mangueira iniciou-se em sistemas mais extrativistas, semelhantes a bosques, começando pelo cultivo convencional em espaçamentos ainda grandes, como 10 x 10m, 10 x 08 m, sendo conduzidas árvores muito grandes e de difícil manejo.

Esse sistema evoluiu para espaçamentos um pouco menores, como 08 x05 m, por volta da década de 80 e 90. A partir de então, produtores e consultores foram experimentando continuamente espaçamentos menores, passando para 07 x 4,5 m, 06 x 04m, 06 x 2,5 m, e desde então já conseguiram altas produtividade num período um pouco menor, além da facilidade de manejo do pomar.

Evolução

Atualmente, já se vê em produção áreas em espaçamento de 04 x02 m, que conferem uma população de 1.200 plantas/ha. No Norte de Minas Gerais, no Projeto Jaíba e Projeto Gorutuba foi possívelque os pomares entrassem no processo produtivo com 20 meses de idade, com uma produção inicial de 25 a 30 toneladas por hectare, estando bem à frente de um sistema com espaçamento antigo (08 x05 m), que inicia o processo produtivo com 2,5 anos de idade e uma produção de 10, no máximo, 12 ton/ha.

Um dos principais benefícios dos sistemas de cultivo adensado é a precocidade de se iniciar o ciclo de produção e alcançar o máximo potencial produtivo, uma vez que a ocupação do espaço geográfico é muito mais rápida, visto que precisaremos de plantas pequenas.

Outro fator de grande importância é que o sistema de plantio adensado traz facilidade de manejo em tratos manuais e colheita. Contudo, deve-se estar atento ao porte dos tratorese equipamentos em função do espaçamento entrelinhas, que devem se adequar.Outro fator importante é ser sempre cauteloso nas podas para manutenção do porte das plantas e com a dose de paclobutrazol, para não ser excessiva.

Atenção

O produtor não deve investir no sistema adensado, iludindo-se com a maior produtividade, que pode ou não acontecer. Na verdade podemos ter um incremento, mas não tão grande quando comparamos com uma área de espaçamento antigo, mas com plantas grandes. Nesta condição as produções podem ser muito próximas.

Assim, devemos nos atentar para outros benefícios já comentados e, principalmente, atingir o potencial máximo de produção em menor tempo,levando, para isso, cerca de três anos, ao contrário de seis a oito anos em um espaçamento antigo.

Atualmente, tem produção em espaçamento de 04 x 02 m, que conferem uma população de 1.200 plantas ha - Crédito Eduardo Ferraz
Atualmente, tem produção em espaçamento de 04 x 02 m, que conferem uma população de 1.200 plantas ha – Crédito Eduardo Ferraz

Qual espaçamento é o melhor?

Quando pensamos em qual espaçamento utilizar hoje, acreditamos em algo não menor que 500 plantas/ha, até 1.000 plantas/ha, em virtude do custo de implantação com as mudas.

Dessa forma, um espaçamento de 05 x03 m a 05 x 2,5 m (666 a 800 plantas/ha) é uma boa e equilibrada opção, em função do custo de implantação, uma vez que uma boa muda pode custar até R$ 12,00. Mas, nada impede de se implantar uma área com espaçamento de 4,40 x02m (1.136 plantas/ha), uma vez que produzir 30 ton/ha nesse espaçamento na primeira safra não é tarefa difícil.

Deve-se ressaltar que esses espaçamentos (04 x02 m, 04 x 1,5, entre outros) vêm sendo utilizados na região semiárida do Brasil. Em regiões onde o índice pluviométrico é alto não tem se observado ainda esse sistema de plantio, mas nada que o impeça, exigindo, talvez, um pouco mais de cautela no manejo fitossanitário. Contudo, é importante experimentar e avaliar.

Lavouras com 20 meses de idade e produção inicial de 25 a 30 toneladas por hectare - Crédito Embrapa Semiárido
Lavouras com 20 meses de idade e produção inicial de 25 a 30 toneladas por hectare – Crédito Embrapa Semiárido

Custo

Quando pensamos em implantar um pomar em sistema adensado, temos que ter em mente que isso terá um custo um pouco maior, uma vez que estamos investindo visando a precocidade do processo produtivo.

Dessa maneira, se pensarmos apenas nas mudas e consideramos materiais de qualidade que custem R$ 10,00, plantar um pomar de 800 plantas/ha resulta em um custo de R$ 8.000,00/ha. O sistema de irrigação também incrementará o custo (não necessariamente o dobro), o gasto inicial com fertilizantes será maior, a quantidade de paclobutrazol para a primeira safra será maior, a mão de obra com poda, dentre outros fatores que incrementarão o custo.

Assim, o custo do sistema adensado pode ultrapassar os R$ 30.000/ha, dependendo dos diversos fatores já mencionados.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de setembro 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

SEM COMENTÁRIO