Maracujá Catarina

0
173
Maracujá Catarina – Foto: Divulgação

Agricultores interessados em comprar sementes do maracujazeiro azedo SCS437 Catarina já podem fazê-lo. Basta enviar um e-mail para eeur@epagri.sc.gov.br, com o assunto “semente de maracujá Catarina”, para receber a lista dos fornecedores credenciados junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). São três fornecedores catarinenses, localizados nos municípios de Treze de Maio, Urussanga e Pedras Grandes.

Henrique Belmonte Petry, pesquisador da Estação Experimental da Epagri em Urussanga (EEUR), destaca que estes fornecedores são indicados principalmente para produtores de mudas, tanto viveiristas profissionais ou para produção própria.

Já os agricultores que desejam se tornar futuros produtores e fornecedores de semente do maracujá Catarina, devem aguardar publicação do edital da Epagri de comercialização de sementes de categoria genética, que segundo Petry explica, já está em confecção. A publicação deste edital será divulgada no site e redes sociais da Epagri.

Outra possibilidade é a venda ou troca de sementes do maracujá Catarina realizada entre agricultores familiares, ambos com Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), o que é permitido pela legislação. Neste caso, o comprador não terá a comprovação de origem, trata-se mais de uma relação de confiança entre as partes.

Super

maracujá SCS437 Catarina se destaca no mercado nacional pelo seu tamanho e quantidade de polpa. Normalmente, 80% dos frutos são classificados como super pela tabela Ceagesp, em decorrência de teu tamanho. A casca, grossa e amarela, favorece o transporte. A polpa é alaranjada.

A produtividade potencial é de 75t/ha em cultivos de primeiro ano, com uso de alta tecnologia, aliado à prática de polinização manual no florescimento. O cultivar foi selecionado por pesquisadores da EEUR num trabalho de mais de 20 anos, realizado em conjunto com produtores do litoral catarinense.