Mini-equipamentos: A versatilidade para as florestas

0
147

Autor

Diego Weslly Ferreira do Nascimento Santos
Doutor em Engenharia Agrícola e professor de Máquinas e Mecanização Agrícola – Universidade Federal de Lavras (UFLA)
diegoweslley89@gmail.com
Crédito Painel Florestal

A utilização de maquinários nas operações florestais é um processo contínuo de melhorias, com a finalidade de otimizar todas as etapas do processo de produção de madeira. Nesse sentido, a introdução das minicarregadoras e miniescavadeiras aumenta a versatilidade das operações florestais, especialmente para o pequeno e médio produtor.

Os modelos mais utilizados de miniequipamentos são os de pneus, mas também existem opções com esteiras. As minicarregadeiras podem ser equipadas com múltiplos implementos, como caçambas, valetadeiras, perfuratrizes, roçadeiras e garfos pallets.

Já na miniescavadeira podem ser instalados diversos implementos, a exemplo de garras de toras, marteletes, perfuratrizes, cabeçotes florestais e caçamba. Essas máquinas atendem as mais diversas aplicações, como colheita, movimentação de terra, carregamento e manipulação de objetos.

Vantagens

A principal vantagem dessas máquinas é o tamanho reduzido, que possibilita sua movimentação em pequenos espaços de forma rápida e eficiente, proporcionando assim o aumento da produtividade e, consequentemente, a redução do custo de produção.

Outra vantagem é a multifuncionalidade dos equipamentos, que promove a economia de recursos e a possibilidade de direcionamento desses recursos para outras necessidades. Por fim, as minicarregadeiras e miniescavadeiras têm menor relação peso/potência, o que aumenta a eficiência energética dessas máquinas e, consequentemente, reduz o custo de produção e emissão de gases poluentes para a atmosfera.

As minicarregadeiras são empregadas principalmente em operações de movimentação de terra e sistematização de áreas. Já as miniescavadeiras são utilizadas nas operações de corte e processamento de madeira. De maneira geral, essas máquinas são excelentes para atuarem em terrenos irregulares, com pequeno espaço para movimentação das máquinas e solos com baixa capacidade de sustentação, sensíveis à passagem de maquinários mais pesados.

Custo

O custo operacional dessas máquinas é bastante semelhante, diferindo apenas em alguns custos variáveis, como por exemplo, o custo com combustível. Mediante isso, o custo de produção é um indicador econômico mais eficiente e preciso para ser analisado e comparado, pois é calculado mediante o quociente entre o custo operacional e produtividade dos equipamentos.

Dessa forma, quanto maior a produtividade das máquinas, menor será o custo de produção. Cabe salientar que a produtividade é influenciada por diversos fatores, a exemplo das condições operacionais e habilidade do operador.

Critérios

Deve ser adotado um planejamento das operações e utilização de mão de obra qualificada. O planejamento das operações é essencial para os produtores, pois proporciona melhorias na qualidade do produto e serviços, minimização dos impactos ambientais, melhorias nas condições de saúde e segurança dos trabalhadores, aumento de produtividade e redução dos custos.

O planejamento deve ser realizado de acordo com as peculiaridades de cada empresa, devendo ser considerados os fatores técnicos, econômicos, ambientais e sociais. A qualificação da mão de obra é um fator primordial para o sucesso das operações.

Empregados qualificados requerem maiores investimentos, contudo, proporcionam agilidade na execução de tarefas, contribuem com a multiplicação de conhecimentos e propõem soluções para problemas decorrentes de processos, por isso, compensam o investimento feito.

Já a mão de obra pouco qualificada aumenta a probabilidade das atividades serem refeitas diversas vezes, ocasionando o aumento do tempo de execução da tarefa e consequente redução de produtividade. 

Como evitar os erros

Os erros ocorrem devido à falta de conhecimento técnico para a escolha de determinados equipamentos, o que reduz a eficiência das operações e também porque alguns produtores não adotam medidas de segurança, resultando no aumento do número de acidentes.

Regras de segurança no trabalho partem de um conjunto de medidas técnicas, educativas, médicas e psicológicas adotadas para prevenir acidentes. Tais medidas visam a eliminação das condições inseguras do ambiente de trabalho e instrução e convencimento das pessoas sobre a necessidade de implantação de práticas preventivas.