22.8 C
Uberlândia
quarta-feira, julho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiMini melancia sob cultivo protegido

Mini melancia sob cultivo protegido

Crédito SXC

Paula Almeida Nascimento

Engenheira agrônoma e doutoranda em Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)

paula.alna@yahoo.com.br

A produção da mini melancia sem semente, principal tipo exportado, se concentra na região do Rio Grande do Norte/Ceará. Nesta área, praticamente todo o volume produzido é destinado à exportação, majoritariamente para a União Europeia. O período de envio é, principalmente, de agosto a março, na entressafra da Espanha – principal produtor de melancias na Europa.

Segmento

Existe o mercado da mini melancia, que vem ganhando expressão pela maior demanda do consumidor, devido ao peso da fruta ser bem menor, variando de 1,5 a 4,0 kg, e muitas famílias têm procurado nos mercados hortaliças menores. Para obtenção do sucesso das culturas, é necessário implantar a lavoura em clima adequado e seguir o manejo correto, no entanto, o cultivo da mini melancia é recente.

A mini melancia apresenta grande potencial produtivo em casa de vegetação, tanto no verão quanto no inverno, dependendo do manejo dos fatores ambientais. Nesse ambiente, como forma de aumentar a eficiência do uso da área, as plantas são conduzidas no sistema vertical, o que pode gerar uma produtividade três vezes superior à obtida em cultivos rasteiros.

Contudo, para que isso seja atingido, devem ser realizados manejos culturais específicos, como poda e condução das plantas, e utilizar uma densidade de plantas que proporcione o melhor retorno econômico ao produtor.

Além disso, a condução das plantas no sentido vertical facilita a aplicação de defensivos, a ventilação entre as plantas, a distribuição da radiação solar sobre o dossel e possibilita o aumento da densidade de plantas, gerando maior número de frutos por área. O adensamento das plantas pode elevar a produtividade. Entretanto, também pode reduzir o tamanho dos frutos.

O sistema de condução na vertical promove melhor aplicação de defensivos, maior ventilação das plantas, melhorando a distribuição da radiação solar sobre o dossel da planta, assim resultando em melhor aparência dos frutos pela uniformidade da coloração. O cultivo de melancia desempenha importante papel na alimentação humana, especialmente nas regiões tropicais, onde o consumo é elevado.

O cultivo da melancia no Brasil atualmente apresenta uma grande importância econômica e social, sendo cultivada por pequenos produtores em vários ambientes, com baixo custo de produção e um bom retorno financeiro. O cultivo pode ser irrigado ou de sequeiro.

Há cultivares que manifestam colorações de polpa amarela, laranja, branca ou verde.

Os híbridos

[rml_read_more]

As mini melancias são híbridos de alta precocidade, que permitem maior adensamento no momento do plantio e possuem plantas mais compactas o que facilita seu transporte e acondicionamento. Assim, devido ao tamanho reduzido, são bastante adequadas para atender às necessidades de pequenas famílias e ocupam menos espaço na geladeira.

As melancias sem sementes são híbridos autoestéreis que produzem melancias globulares sem sementes, com polpa vermelho-vivo, de alta qualidade sensorial e que pesam de 5,0 a 8,0 kg.

A luminosidade é muito importante e interfere na produtividade e na qualidade da melancia. A queda da produtividade está relacionada com a falta de luz para a cultura. Situações de dias longos e quentes, seguidos por noites quentes, são consideradas ideais para a cultura.

Outro fator climático que influencia no cultivo da melancia é o vento, que quando são muito fortes podem ocasionar: ferimentos nas plantas, porta de entrada para microrganismos; disseminação mais rápida de doenças; abortamento floral; diminuição da polinização, devido à baixa mobilidade dos agentes polinizadores; redução das taxas de assimilação de dióxido de carbono, devido ao fechamento estomático já citado anteriormente.

Artigo anterior
Próximo artigo
ARTIGOS RELACIONADOS

Fitossanidade da melancia pode abalar a produção

  Felipe Augusto Moretti Ferreira Pinto Engenheiro agrônomo, doutor em Fitopatologia e pesquisador da Epagri/Estação Experimental de São Joaquim felipemoretti113@hotmail.com A melancia (Citrulluslanatus) foi a segunda fruta mais...

Beterrabas – Genética garante uniformidade e resistência à  cercóspora

César Augusto Santos Stefani Silva Bustamonte Graduandos em Engenharia Agronômica - UNESP/FCAT Pâmela Gomes Nakada Freitas Engenheira agrônoma e professora assistente - UNESP/ FCAT pamela.nakada@unesp.br Antonio Ismael Inácio Cardoso Engenheiro agrônomo...

Berçário sobreposto à bancada final de cultivo

  Elisamara Caldeira do Nascimento Talita de Santana Matos Doutoras em Agronomia - UFRRJ Glaucio da Cruz Genuncio Doutor em Agronomia e professor adjunto - UFMT glauciogenuncio@gmail.com O uso da...

A qualidade da madeira, a demanda do cliente e o manejo florestal

  Vitor Cezar Miessa Coelho Engenheiro florestal, doutor, consultor, membro do Grupo de Pesquisa Ciência e Tecnologia da Madeira e Produtos Florestais/UFPR/CNPqe professor da ULT -...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!