22.7 C
Uberlândia
terça-feira, junho 25, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasMonitorar colheita de soja

Monitorar colheita de soja

Soja – Créditos: shurtterstock

Um kit de monitoramento de perdas na colheita de soja, desenvolvido pela Embrapa na década de 1980, é um dos grandes responsáveis pela redução de desperdício da cultura ao longo dos anos no estado do Paraná. Ao medir o desperdício e identificar as causas, o monitoramento integrado da colheita da soja no estado registrou a redução das perdas de três a sete sacas por hectare, nos anos 1980, para pouco mais de uma saca pela mesma medida de área (1,05 saca/ha) na última safra 2019/2020. Índice bem próximo do aceitável, estabelecido pela Embrapa, para desperdícios da leguminosa: até uma saca de 60 kg por hectare plantado.

No Brasil, estima-se que as perdas durante a colheita de soja sejam de duas ou mais sacas por hectare, em média. Os levantamentos realizados são ferramentas de diagnóstico porque, a partir da caracterização do cenário de campo, podem ser elaboradas estratégias corretivas para os locais em que ocorrem desperdícios.

Na década de 1980, a Embrapa desenvolveu um kit bem simples que pode reduzir muito os prejuízos causados por perdas no momento da colheita (acesse a Agência Embrapa de Notícias e confira o quadro completo com informações sobre o tema). “A otimização do processo de colheita da soja passa pela quantificação das perdas e o entendimento das suas causas, bem como a promoção de treinamentos para a qualificação de operadores de colhedoras”, informa o pesquisador da Embrapa Osmar Conte.

O histórico de adoção de boas práticas e os atributos para reduzir o desperdício estão descritos em Circular Técnica, editada pela Embrapa, com os Resultados do monitoramento integrado da colheita da soja na safra 2019/2020 no Paraná. O trabalho é uma parceria entre a Embrapa Soja (PR) e o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná).

Alguns sojicultores perderam apenas 0,2 saca por hectare

Na safra 2019/2020, em 624 lavouras amostradas no Paraná pela Embrapa e IDR, no âmbito do Programa de Redução das Perdas de Grãos na Colheita de Soja, destaca-se a região noroeste do estado, cuja média de perdas foi de apenas 0,67 saca por hectare. “Tivemos produtores no Paraná que perderam apenas 0,2 saca por hectare e outros desperdiçaram até seis sacas por hectare, o que mostra a necessidade de continuarmos o trabalho de transferência dessa tecnologia de monitoramento para que os produtores reduzam as perdas e tenham maior lucratividade”, destaca o extensionista do IDR-Paraná Edivan José Possamai.

Ao se realizar um cálculo simples, é possível contabilizar as perdas. Ao se considerar o desperdício de três quilogramas de soja por hectare e multiplicando-se o valor desperdiçado pela área cultivada no Paraná (5,5 milhões de hectares), chega-se a 275 mil sacas de soja. “Considerando que o preço de dezembro/2020 era de R$ 148,00 a saca, representa R$ 40,7 milhões desperdiçados nas lavouras paranaenses, de forma direta, sem contabilizar os custos com o controle da soja guaxa ou pragas e doenças que persistente no ambiente devido aos grãos que ficam no local e germinam”, destaca.]

Confira a matéria completa com fotos e imagens acessando a Agência Embrapa de Notícias

ARTIGOS RELACIONADOS

Alternativas eficientes contra a resistência de insetos

Com a expansão das áreas de colheita de cana sem queima (cana crua), a cigarrinha das raízes (Mahanarva fimbriolata) se mantinha como uma praga que tinha pouca importância econômica, porém, atualmente vem causando sérios danos, tornando-se um problema de relevância para a cultura.

Um novo conceito de mecanização para a cafeicultura

Trabalhar o ano todo nas operações da cultura cafeeira (colheita, pulverização e poda) com espaçamentos tradicionais e adensados, oferecendo ao produtor maior competitividade é...

Correto manejo nutricional da seringueira

José Geraldo Mageste Engenheiro florestal, Ph.De professor da Universidade Federal de Uberlândia (UFU/ICIAG) jgmageste@ufu.br Fernando Simoni Bacilieri Doutorando em Agronomia "UFU ferbarcilieri@hotmail.com Lisias Coelho Engenheiro florestal, Ph.De professor - UFU/ICIAG...

A hora da colheita da manga

Givago Coutinho Engenheiro agrônomo e doutor em Fruticultura givago_agro@hotmail.com Herick Fernando de Jesus Silva Engenheiro agrônomo e doutorando em Fitotecnia/UFU herickfernando@gmail.com   O critério mais usado para a...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!