Morango: Como otimizar o cultivo em calhas

0
186

Autores

Gilberto Almeida Consultor da Growing Frutas Almeida Santosgilberto@frutasalmeidasantos.com.br

Nyvea CamposEngenheira agrônoma, consultora e sócia proprietária da Hortfertnyveacampos@hotmail.com

Morango – Fotos: Gilberto Almeida

As calhas de poliestireno (isopor®) da Growing Frutas Almeida Santos estão consolidadas nas principais regiões produtoras de morango e em tantas outras que despontam para o cultivo desses apreciados frutos.

Nossas calhas de poliestireno não proporcionam apenas um meio de suporte para o substrato e, consequentemente, para as plantas, mas também leva conforto térmico às raízes.

Com inúmeras publicações e experimentos ao redor do mundo descrevendo a importância do conforto térmico na zona radicular das plantas (Journal of Agricultural Science; Vol. 8, No. 5; 2016), a Growing Frutas Almeida Santos desenvolveu e modelou este sistema de cultivo adequado para as condições brasileiras, não só as condições climáticas como econômicas também.

Além deste principal benefício do sistema, podemos citar outros, como melhor ergometria, redução no uso de agroquímicos, melhor uso da água, menor custo e maior rendimento da mão de obra. No sistema tradicional, em média, é necessário uma pessoa para quatro mil plantas, enquanto no cultivo em calhas de isopor® saltamos para pelo menos oito mil plantas, podendo chegar a muito mais, com experiência de manejo.

Condições para as frutas

As plantas de morango, em sua fase vegetativa, preferem temperatura ambiente moderadamente mais elevada que em sua fase de floração, porém, em nenhuma dessas fases as temperaturas preferencialmente devem estar “estouradas”, abaixo de 12°C ou acima 30°C, respectivamente.

Cientes das temperaturas ambiente máxima e mínima para o bom desenvolvimento e produtividade da planta do morangueiro, chegamos à amplitude térmica necessária para que a maioria das variedades faça a diferenciação floral.

É neste ponto que o sistema Growing Frutas Almeida Santos se destaca, pois a amplitude térmica não se aplica à zona radicular. Ali, ter menor variação de temperatura leva inúmeras vantagens para a planta, o que se dá devido à zona radicular não ser capaz de regular sua própria temperatura, como é o caso da parte alta das plantas.

Atenção

As plantas do morangueiro são capazes de resistir melhor às flutuações da temperatura ambiente com uma temperatura constante da zona da raiz. Simplificando, podemos dizer que manter as raízes em ambiente com menor oscilação de temperatura permite que as plantas tolerem calor e frio ambiente mais extremo.

Na prática

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.