Morango o ano todo

0
145

Nelson M. Iida
Gestor Agroflex e Plasticultura BR
nelson@agroflexbrasil.com

Ter morango o ano todo era o desejo de consumidores e é claro, de todos os produtores brasileiros, principalmente dos que plantam nas regiões do Sul de Minas Gerais, do Paraná, do Espírito Santo, do Rio Grande do Sul, do Distrito Federal e quem diria, atualmente na Bahia e até mesmo no Ceará. Sonhos realizados graças às pesquisas de novas variedades e tecnologia de produção, como os filmes plásticos agrícolas de cobertura de solo e assim por diante.
Atualmente, é possível cultivar morangos em todo o País. Acabou o ditado de que somente se pode plantar em climas frios, regiões altas ou serranas. Para que isso seja possível, basta investir em tecnologia, muita pesquisa, conhecer as variedades mais adequadas para sua região, suas origens e o período ideal para receber as mudas.
Não é tão fácil encontrar as mudas certas, entretanto, consultando profissionais sérios e competentes você certamente irá encontrá-las, mas, lembre-se: quando você as adquirir, seu sonho se inicia e é nelas que você irá depositar toda esperança de boas colheitas, com rentabilidade, para que possa seguir com seus projetos e novos investimentos.
Por isso, não compre pelo preço, pela amizade ou pela facilidade, e sim pela certeza de que obterá mudas que certamente lhe darão bons frutos. Essas mudas nem sempre estarão disponíveis com facilidade, portanto, é necessário, em alguns casos, ter paciência e grande esforço para obtê-las.
Com as mudas certas para o seu tipo de região em mãos, você já terá dado o primeiro passo para o cultivo da sua fruta dos sonhos.

Sistema de cultivo

Nesta trajetória de cultivo de morangos existem vários caminhos a percorrer, e após a difícil seleção pelas mudas corretas, vem outra etapa não tão fácil – a definição do sistema e dos equipamentos necessários para o plantio.
Vamos lembrar alguns sistemas de produção de morangos mais comuns nas regiões brasileiras que se adaptam com certa facilidade e possuem bons resultados econômicos, sendo viáveis para os nossos custos. Confira:
Plantio tradicional: nos canteiros cobertos e, é claro, com mulching Avanti ou Ecolon, que podem ser encontrados no mercado com garantia de 12 meses. Isso é fundamental para longos períodos de colheitas. Para quem quer fazer um toalete e seguir conduzindo as plantas, existe o M24 com 24 meses de garantia, mas utilize sempre o dupla face preto e branco.
Para um melhor desempenho, as plantações de morangos devem ser cobertas com os mini túneis de filmes leitosos específicos para a cultura, com larguras de 2,20 m e comprimento de 500,00 m e na espessura de 75 micra.
Plantio nos slabs: os canteiros elevados são muito práticos para o dia a dia e contribuem com a qualidade de vida do produtor, que com certeza não terá mais dor nas costas para efetuar as colheitas, que é o pesadelo para quem não consegue mais trabalhar praticamente abaixado em boa parte do dia. Os slabs devem ter comprimento máximo de 1,50 m, tamanho ideal para se ter um bom número de plantas e, também, para ter um bom controle caso venha ocorrer ataques de certos fungos. E, caso isso ocorra, você pode eliminar os slabs sem grandes perdas. Uma dica é sempre se certificar, antes da compra deste produto, se ele possui 30 cm de diâmetro, 250 micra de espessura e garantia de 24 meses, o que evitará que você tenha “pesadelos” em seus sonhos.
A capacidade dos slabs é de 45 litros. Preencha-o com substratos bem compactados para que não fique nenhum ponto vago – isso facilitará que as raízes fiquem confortáveis e, principalmente, evitará o acúmulo de água no fundo, o que ocorre com slabs mal preenchidos ou aqueles retangulares, que não são ideais.
O sistema de slabs deve ser implantado em estufas, de preferência, com pé direito alto para melhorar o ambiente interno, sempre se preocupando com a temperatura. Sabemos que uma estufa com pé direito abaixo de 3,50 m não atende as necessidades de produção por longos períodos, principalmente quando o clima é de temperatura média ou elevada.
Agora, independente da estufa, você deve aplicar um filme difusor ou até mesmo um filme leitoso com menor bloqueio de luminosidade, como o filme utilizado no cultivo de plantas como as samambaias.
Consulte também um técnico especializado e, nem sempre, novamente reforçamos, o mais fácil ou próximo, e sim aquele que poderá lhe passar as informações corretas, analisando sua região, tipo de estrutura da sua estufa, entre outras importantes questões.
– Sistema cocho ou calhas: este sistema tem agradado muitos produtores, pela eficácia e praticidade. Os cochos são montados em estrutura de madeira, agregados com os famosos arames ovalados, que possuem maior resistência e durabilidade. Mas, é importante aplicar neste sistema as calhas fabricadas com filmes plásticos, com matéria-prima virgem e aditivos específicos que tenham tolerância, principalmente, ao contato com os sais.
Isso porque os nutrientes em contato com certos filmes podem se degradar e, neste caso, você já sabe do resultado… Portanto, vale, mais uma vez, pesquisar bem para não entrar em uma fria. Esse filme também deve ter tratamento UV e espessura suficiente para suportar o peso, que não será pouco quando o substrato estiver úmido e em plena safra.
É igualmente importante que ele seja dupla face (preto e branco), para o bom desenvolvimento das plantas.
Seja qual for o sistema a ser seguido, em todos é possível uma boa produção, quando conduzido e acompanhado bem de perto. Não se esqueça de que o morangueiro requer muita dedicação, como todas as culturas, mas, neste caso, um pouco mais, pela delicadeza dos frutos.
Esteja com seu planejamento em dia, preocupe-se também com onde e como irá vender sua safra, e não deixe para última hora, pois quando a safra chega, ela não espera.