Mosaicos florestais

0
22

Ageu da Silva Monteiro FreireEngenheiro florestal, mestre em Ciências Florestais e doutorando em Engenharia Florestal – Universidade Federal do Paraná (UFPR)ageufreire@hotmail.com

Amanda Brito da Silvaamandab_silva12@hotmail.com

Joaquim Custódio Coutinhojoaquimcustodiocoutinho@gmail.com

Engenheiros florestais e mestres em Ciências Florestais

Floresta – Crédito WWF Brasil

O conceito de sustentabilidade tem sido recorrente em todo mundo, pois o que antes era visto como desenvolvimento somente visando a parte econômica, passou a ser ultrapassado. O desenvolvimento sustentável é uma formar de unir os aspectos econômicos aos sociais e ambientais, pois os três estão conectados.

Conservar a fauna e flora no Brasil ainda exige muitos desafios, pois grande parte das nossas florestas sofrem influências antrópicas. Como exemplo, temos a Mata Atlântica, situada em regiões das principais cidades brasileiras, restando resquícios da floresta original em um ambiente tomado pela maior parte da população do Brasil, acompanhado da urbanização e industrialização desses lugares.

Evolução

O Brasil, por sua grande biodiversidade precisa se desenvolver, acompanhado de uma série de medidas que preservem a natureza, especialmente para que não tenhamos mais espécies ameaçadas de extinção.

A Criação de Unidades de Conservação é uma das principais formas de proteger nossas florestas, porém, em um país de dimensões continentais, precisamos de outras medidas, promovidas além dos órgãos públicos, pelos setores econômicos, sendo uma delas a criação de mosaicos florestais.

Os mosaicos florestais

Mosaico florestal é uma técnica aplicada na área ambiental que tem por objetivo manter os serviços ecossistêmicos e a biodiversidade do local, junto com as atividades econômicas e sociais da área envolvida.

No setor florestal, as empresas desse ramo, principalmente as que cultivam eucalipto para produzir papel e celulose, deixam disponível corredores ecológicos com o intuito de proporcionar trocas gênicas entre as plantas, como também a livre locomoção dos animais. 

Benefícios

Os mosaicos florestais são conhecidos por contribuírem para a manutenção e conservação dos solos, recursos hídricos e na biodiversidade que habita as áreas de cultivo (agronômico ou florestal). Além do que, esse conceito proporciona outros benefícios, que são desempenhados principalmente pelas florestas tropicais no mundo, como por exemplo, a mitigação da variação climática; a absorção do gás carbônico; a produção e liberação do gás oxigênio; proteção das nascentes; prevenção às erosões e degradação do solo; fornecimento de produtos florestais e ser moradia para várias espécies.

Os mosaicos florestais exprimem a realização de uma atividade econômica ambientalmente viável por permitirem a continuação da vida silvestre coexistindo num mesmo ambiente. Essa técnica é, em outras palavras, um quebra-cabeça, que proporciona uma paisagem que satisfaça várias necessidades ao mesmo tempo, devendo ela responder as seguintes perguntas: Quais áreas são adequadas para a atividade econômica a ser empregada? Quais locais devem ser conservados e preservados? E, por fim, quais locais devem armazenar carbono?

Quando todas as questões são respondidas, a equipe responsável ou as pessoas interessadas nesses projetos irão trabalhar para planejar o uso dos diferentes tipos de solos. O mosaico florestal, como atividade agrícola, deve ter uma área entre 50% e 75% do polígono ocupado com vegetação florestal e o restante com lavouras agrícolas permanentes ou perenes, pastagens e /ou silvicultura.

Principais mosaicos florestais no Brasil

Os principais mosaicos florestais brasileiros ficam por conta das grandes empresas dos setores florestais. Aqui serão citadas apenas três, que são as mais relevantes para o cenário nacional, e que já utilizam o conceito de plantio em mosaico, com a mescla de florestas plantadas (eucaliptos e pinus) e florestas nativas preservadas.

A pioneira no manejo florestal baseado no mosaico é a Klabin, que tem 46% de sua área reservada para florestas plantadas, enquanto que 43% corresponde às áreas de preservação (sendo divididas entre Áreas de Preservação Permanente (APP), Reserva Legal (RL) e Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN)).

Outra empresa que também tem se destacado com seu manejo em mosaico florestal é a Suzano, que hoje é uma referência global para os bioprodutos oriundos das florestas de eucaliptos. Possui cerca de 60% de áreas plantadas, enquanto que os demais 40% são destinados às áreas de preservação e conservação.

Por último vem a empresa Veracel, que tem 39% de áreas de plantio comerciais de eucaliptos e 45% para áreas de preservação permanente.

É importante ressaltar que esse conceito de mosaico adotado pelas empresas é, na verdade, um pilar sustentado pelo alinhamento econômico, ambiental e social. Esse alinhamento dos recursos financeiros, da conservação ambiental e o bem-estar da população se torna uma condição de sucesso para o setor florestal.

Bom para todos

A indústria de árvores plantadas presenciou o aumento de seu valor econômico através do manejo sustentável com o conceito de mosaico, aproveitando a diversidade biológica e os impactos socioeconômicos positivos gerados.

Exemplo disso, no ano de 2009, com a proteção de 8.000 hectares de floresta tropical por empresas parceiras, e dois anos depois resultou em 2.700 hectares recuperados em suas terras. A restauração conseguiu criar corredores que conectaram fragmentos isolados de floresta tropical, com impacto direto na renda da população local, por meio de geração de empregos.

Uma alternativa realizada pelas empresas florestais para fixar milhares de pessoas no campo são os programas de fomento para criação de empregos e renda que contribuem também de forma social com desenvolvimento das comunidades nas quais os plantios e as unidades industriais estão inseridos.

E as empresas florestais têm investido cada vez mais em programas de saúde, de educação, de cultura e de qualidade de vida, que tem alcançado cerca de 6,9 milhões de pessoas em todo o País, tornando-se um setor de grande relevância econômico.

Contribuições para o País

Pode-se observar as vantagens dos mosaicos florestais, principalmente associado aos plantios, fornecendo uma rede de fluxo gênico entre a fauna e flora, podendo ser adequado a um manejo que promova um desenvolvimento social no entorno.

Conectar fragmentos é importante para a toda população do Brasil, conservando nossos solos e recursos hídricos, além de fornecer produtos florestais não-madeireiros que melhorem as condições de vida de pessoas que trabalhem com eles.

Outro fator essencial é não deixar que plantas e animais se tornem ameaçados de extinção, pois é de conhecimento de todos a importância de todos seres vivos nos ecossistemas. Além disso, as empresas são fundamentais para conciliar esses mosaicos em suas áreas, pois as monoculturas são importantes para o desenvolvimento do País, mas atrelada com florestas nativas os benefícios são maiores.