Motosserras na colheita e exploração florestal

0
69

Ageu da Silva Monteiro FreireEngenheiro florestal, mestre em Ciências Florestais e doutorando em Engenharia Florestal – Universidade Federal do Paraná (UFPR)ageufreire@hotmail.com

Amanda Brito da Silvaamandab_silva12@hotmail.com

Joaquim Custódio Coutinhojoaquimcustodiocoutinho@gmail.comEngenheiros florestais e mestres em Ciências Florestais – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Motosserra – Créditos: Pixabay

A produção de madeira serrada no Brasil tem tido grande destaque nos últimos anos, com contribuição significativa do setor florestal na economia nacional nos últimos anos. Os principais produtos destacados da indústria de madeira processada mecanicamente são vigas, tábuas, pranchas, pontaletes, sarrafos, ripas, entre outros.

Além disso, a colheita florestal teve um avanço na modernização de máquinas, principalmente para aumentar a produtividade e diminuir os custos. Diferentemente, a exploração florestal ainda possui um sistema manual e semimecanizado.

Apesar do destaque para aplicação de tecnologias no setor florestal, temos a motosserra como ferramenta indispensável ao pequeno produtor e também para algumas empresas florestais.

Evolução

A máquina surgiu para substituir equipamentos manuais, como o machado, apresentando no início grande peso e operação por duas pessoas, sendo melhorada no decorrer do tempo, deixando-a mais leve e segura.

A importância dela é, principalmente, no manejo de pequenas áreas, devido à inviabilidade econômica de equipamentos tecnológicos de grande escala em pequenas propriedades rurais.

Uma das principais vantagens do uso da motosserra é a produtividade individual elevada, com baixo custo inicial. Contudo, essa atividade semimecanizada requer técnicas especificas de corte e segurança no manuseio para obter maior produtividade e não ocasionar acidentes.

Técnicas de corte e uso da motosserra

A motosserra atua essencialmente por um motor e um sabre de corte. O uso de técnicas de corte da árvore em pé consiste praticamente em dois cortes no tronco. O primeiro é relacionado à retirada de uma cunha (a partir de um ângulo de 90 graus e a cerca de 1/4 a 1/3 do diâmetro), isso na direção que se deseja a queda da árvore.

O segundo corte é realizado do lado oposto ao primeiro corte (podendo ser de 5,0 cm mínimo acima do corte em V inicial). Com isso, a árvore será derrubada na direção desejada (Lopes et al., 2001).

Erros na profundidade e ângulo podem ocasionar em rachadura da árvore no momento da derrubada. Caso o comprimento do sabre seja maior do que o diâmetro da árvore, o corte de queda pode ser feito em um movimento, mas se for menor, a posição da motosserra deve ser mudada várias vezes. É importante ressaltar que podem ser realizados cortes nas árvores já derrubadas.


Antes do corte, há algumas observações importantes a serem consideradas:

• Tipo de motosserra;

• Inclinação do tronco a ser derrubado;

• Distribuição da copa e situação de galhos;

• Limpeza ao redor da árvore (área de trabalho);

• Direção desejada para o tombamento;

• Rota de fuga;

• Localização dos colegas de trabalho;

• Uso da técnica de corte apropriada.


Tipo de motosserra

A escolha da ferramenta perfeita para o trabalho vai depender principalmente do serviço que será realizado e do local. Como exemplos para as pequenas áreas de plantação, uma ferramenta com motor a combustão de até 52 cilindradas pode ser essencial.

Já para uso em lugares internos, ou arborização urbana, a ferramenta elétrica pode ser uma boa pedida.

Escolha da motosserra

Nas diversas atividades do campo ou da cidade que exigem corte ou derrubada de árvores, desgalhamento, traçamento e destopamento, o uso de uma motosserra faz toda diferença, já que torna o trabalho mais fácil, rápido e simples.

Porém, cada tipo de serviço exige o uso de um equipamento específico. Para escolher a máquina exata para sua necessidade, é preciso primeiro saber o que deseja cortar e o local onde você vai trabalhar.

Existem vários tipos de motosserra que variam de acordo com a potência do motor e o tamanho do sabre. Em relação aos tipos de motores, temos aqueles a combustão (à base de gasolina), os elétricos e com baterias.

Se você procura motosserras que sejam capazes de cortar troncos com grandes diâmetros, trabalhos pesados ou fazer o uso de forma profissional, as melhores e as mais indicadas para esses tipos de serviços são as com motores a gasolina, devido à potência de trabalho.

Essas motosserras também vêm com uma variedade de comprimentos de barra para atender às exigências do seu trabalho. Em contrapartida, existem as motosserras elétricas e as de baterias, que são leves, compactas, fáceis de carregar, não emitem gases, são silenciosas quando comparadas às de motores a gasolina e ideais para ambientes fechados.

Normalmente, são usadas para aparar galhos pequenos de árvores, cortar pequenos troncos e outros afazeres de corte em sua casa ou quintal. Contudo, são limitadas: as elétricas precisam de tomadas e as com baterias têm um tempo específico de funcionamento.

Manutenção

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.