18.1 C
São Paulo
quinta-feira, agosto 11, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Mudas de morango: Por onde tudo começa

Mudas de morango: Por onde tudo começa

Autor

Heitor A. Pagnan
Engenheiro agrônomo da Maxxi Mudas
Fotos: Maxxi Mudas

Tudo evolui. E quando falamos de mudas de morango, observamos que a evolução é impressionante. Uma vez, no Brasil, só tínhamos mudas de morango nacionais e que estavam à disposição do produtor em março/abril. Em função delas não terem o mínimo de frio de viveiro, sua qualidade era uma dúvida e a produtividade baixa.

Hoje temos a opção de mudas que vêm de regiões onde existe frio abaixo de 7ºC, exemplo da Patagônia Argentina e da Segóvia-Espanha. Esse frio, junto com as condições de nutrição, é importantíssimo para fazer com que essa muda acumule reservas e tenha uma futura produção alta, bem como para torna-la mais resistente a doenças. É por isso que cada vez mais observamos produtores dizendo que, via de regra, as mudas da Patagônia Argentina e da Segóvia-Espanha ‘não morrem’.

Se falarmos de 20 anos atrás, a produção obtida das mudas nacionais não passava de 700 gramas por planta por ano. Hoje podemos falar, sem exagerar, em produções que alcançam quase o dobro. Isso se deve a variedades melhoradas e às técnicas de produção que tiveram um avanço excelente.

Cuidados

Basicamente, o cuidado básico que o produtor deve ter com essas mudas começa pela sua origem, ou seja, informar-se de onde vem essa muda. A fiscalização deveria ser mais rigorosa para com a produção de mudas nacionais. Assim, todos sairiam ganhando.

No entanto, o que se observa é uma fiscalização pesadíssima sobre o material importado e nenhuma fiscalização sobre o material nacional, voltando-se a afirmar que, em decorrência disso, todos saem perdendo.

A Maxxi Mudas

As mudas que a Maxxi Mudas traz para o Brasil são produzidas na Patagônia Argentina e na Segóvia-Espanha, onde se tem extremos de temperatura, que podem chegar a -17ºC no inverno, na cidade de El Maiten, na Argentina. As temperaturas negativas são um fator que faz as mudas serem tão sadias.

As circunstâncias geográficas ao Sul (Patagônia Argentina) e ao Norte (Segóvia-Espanha), combinando campo limpo, temperaturas negativas e clima seco, propiciam um ambiente excelente para produção de mudas, as quais ficam 100% limpas de doenças ou patógenos.

As principais características das mudas que trazemos para o Brasil referem-se à altíssima qualidade fitossanitária (sem doenças e insetos) e à alta qualidade genética, produzindo frutos grande e saborosos, ou seja, as mudas possuem um nível altíssimo de qualidade.

Qualidade é tudo

A maioria dos produtores do Brasil, infelizmente, não se dá conta de que se tiver uma muda de má qualidade pode colocar todo o projeto em perigo. Atualmente, o produtor tem à disposição uma muda nacional que pode produzir por alguns meses, porém, em quase 100% dos casos exige doses mais elevadas de agrotóxicos para manter um nível adequado de sanidade, diferente dos materiais comercializados pelas Maxxi Mudas. O produtor tem que se dar conta de que se ele usa agrotóxicos na produção de morango, o primeiro prejudicado é a sua saúde.

Temos as variedades San Andréas, Albion, Monterrey e Portolas provenientes do Viveiro Campinas, que está na Segóvia-Espanha, que começam a ser entregues no final de fevereiro. Em maio-junho temos a opção das variedades de dias curtos, Camino Real, Merced e Fronteras, bem como das variedades de dias neutros, San Andréas, Albion, Monterrey e Aromas, diretamente da Patagônia Argentina.

É importante dizer que, hoje, o produtor tem uma oferta de mudas desde o mês de fevereiro até princípios de julho, ou seja, houve uma melhora espetacular nas técnicas de produção de mudas, bem como nas épocas de entrega para os produtores.

Muda de qualidade é fundamental para o sucesso de uma lavoura de morangos. Hoje podemos afirmar, sem qualquer dúvida, que a Maxxi Mudas tem a melhor muda de morango para ofertar ao produtor do Brasil.

Inicio Revistas Hortifrúti Mudas de morango: Por onde tudo começa