35.1 C
Uberlândia
terça-feira, novembro 7, 2023
- Publicidade -
InícioArtigosHortifrútiMudas de porta-enxertos de citros - A importância de escolher bem

Mudas de porta-enxertos de citros – A importância de escolher bem

Walter dos Santos Soares Filho

Pesquisador e líder do Programa de Melhoramento Genético de Citros da Embrapa Mandioca e Fruticultura

Créditos Thatiane Padilha de Menezes
Créditos Thatiane Padilha de Menezes

Basicamente a enxertia refere-se ao uso de um porta-enxerto adequado à variedade-copa que se pretende explorar comercialmente. São diversas as vantagens do uso de um porta-enxerto adequado à implantação de um pomar de citros: indução de alta produtividade e qualidade de frutos, precocidade de produção de frutos, redução do porte da planta, tolerância à seca e à salinidade, resistência a doenças que afetam as raízes, como a gomose de Phytophthora, entre outros atributos de importância agronômica.

Para tanto, deve-se proceder a uma criteriosa escolha do porta-enxerto adequado à situação do citricultor.

Cavalos utilizados para enxertar a muda

Atualmente, no Brasil, o porta-enxerto mais utilizado ainda é o limoeiro Cravo. Outros porta-enxertos também vêm sendo empregados. No Rio Grande do Sul, por exemplo, ao contrário da maioria dos pomares cítricos do País, predomina o trifoliata (Poncirustrifoliata) e em Sergipe ainda é utilizado o limoeiro Rugoso, embora o limoeiro Cravo seja predominante.

Em São Paulo é cada vez mais crescente o uso do citrumeloSwingle, principalmente entre os citricultores de maior porte, que também têm utilizado a tangerineira Sunki.

Manejo da enxertia

Deve-se realizar a enxertia no momento adequado de desenvolvimento do “cavalo” ou porta-enxerto. Este deve ser feito no local da enxertia, que normalmente ocorre a 15 cm de altura, no caule, quando este tiver o diâmetro aproximado de um lápis. O ramo que fornecerá as borbulhas da variedade copa a ser enxertada deve ter diâmetro compatível com o do “cavalo”.

Cuidados

Devem-se utilizar variedades porta-enxerto de origem genética conhecida e livres de doenças (sadias). O mesmo se aplica às variedades copa.

A inserção da borbulha no “cavalo” é feita mediante um corte em T invertido no “cavalo”, na altura da enxertia. O “cavalo” deve estar bem nutrido e com um manejo adequado de água, para que haja bastante seiva circulante, o que favorecerá o pegamento da borbulha.

Após a enxertia, a região de inserção da borbulha deve ser protegida mediante o enrolamento de uma fita plástica, que favorecerá a fixação e pegamento da borbulha, curvando-se os cavalinhos imediatamente após o amarrio.

Cerca de 15 dias após a enxertia, a fita plástica deve ser retirada, deixando-se a borbulha brotar, dando origem à copa. Caso a borbulha não tenha vingado ” o que se percebe pela coloração escurecida da mesma, indicando sua morte ” a operação de enxertia deve ser repetida.

 Porta-enxerto de 'Limoeiro cravo' no ponto de enxertia - Créditos Thatiane Padilha de Menezes
Porta-enxerto de ‘Limoeiro cravo’ no ponto de enxertia – Créditos Thatiane Padilha de Menezes

Desempenho

Não se admite que plantios comerciais de citros sejam feitos sem o emprego de mudas, onde há a participação de duas variedades que interagem de forma complementar, cada uma com sua finalidade própria: o porta-enxerto e a copa.

As mudas devem ser sadias e obtidas em ambiente protegido, de forma a evitar sua contaminação por doenças, além de impedir que as próprias mudas sirvam de veículo de doenças de grande impacto, como o HLB (ex-greening), CVC (clorose-variegada-dos-citros), cancro-cítrico, entre outras.

Conforme dito anteriormente, a escolha adequada do porta-enxerto a ser utilizado trará vantagens como alta produtividade e qualidade de frutos, precocidade de início de produção de frutos, redução do porte da planta, tolerância à seca, à salinidade, resistência a doenças, como a gomose de Phytophthorae tristeza-dos-citros, entre outras.

Essa matéria você encontra na edição de junho 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

As algas marinhas e a florada dos citros

Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro...

O novo jeito de produzir do agricultor

 Passamos da condição de importador de alimentos para grande provedor mundial, um dos principais players do agronegócio.

Plantio de tomate exige profissionalismo

  João Roberto do Amaral Junior Engenheiro agrônomo, consultor e assistente técnico do Grupo Andrade de Monte Mor e Sumaré (SP) O plantio de tomate no Brasil...

Produtores rurais usam novos tipos de cisternas para plantio de alimentos em meio à seca

A escassez de água tem levado produtores rurais de diferentes regiões do país a usarem novos tipos de cisternas para manter ativo o plantio...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!