Mulching otimiza plantio de abobrinhas

0
174

Autores

Maria Idaline Pessoa Cavalcanti
Engenheira agrônoma e doutoranda em Ciência do Solo – Universidade Federal da Paraíba (UFPB) idalinepessoa@hotmail.com
José Celson Braga Fernandes
Engenheiro agrônomo, doutorando em Biocombustíveis – UFU/UFVJM e fundador da Agro+
celsonbraga@yahoo.com.br
Créditos: Miriam Lins

O mulching é uma técnica na qual se utiliza o filme plástico para cobertura do solo, formando uma barreira física na superfície que garante benefícios ao agricultor em diversos aspectos. Entre eles, minimiza a utilização de defensivos agrícolas, reduz a incidência de pragas e controle da umidade do solo, o que diminui também a necessidade do uso de água para a irrigação, prática obrigatória em que manejo racional da água deve ser considerado (Oliveira et al., 2011), se tornando assim uma prática sustentável também.

O caso das abobrinhas

A abobrinha tem apresentado uma valorização crescente e importante para a diversificação da propriedade familiar, e como alimento que contribui para a nutrição e saúde da população (Filgueira, 2008; Ramos et al., 2010).

A baixa capacidade de competição desta cultura com as plantas daninhas, por causa da reduzida área foliar, requer, por parte do agricultor, o controle das plantas daninhas durante todo o ciclo da cultura.

O cultivo protegido permite a realização de cultivos em épocas que normalmente não seriam escolhidas para a produção a céu aberto (Purquerio; Tivelli, 2006), maximizando as taxas de crescimento das espécies vegetais e possibilitando a redução do ciclo da cultura (Silva et al., 2009).

Em cultivo protegido, além desses períodos, pode-se produzir no outono e inverno, em que o preço do fruto pode triplicar e a produção anual duplicar, dependendo das condições do ano de cultivo.

Benefícios

 A utilização de ambientes protegidos vem se tornando frequente para controlar as condições e crescimento das plantas em diversos aspectos, desde a regulação do desenvolvimento até a maturação. Em paralelo, pontos positivos devem ser ressaltados, como o aumento na demanda do setor produtivo por resultados de pesquisa que auxiliem não só na solução dos problemas enfrentados, mas também no incremento da eficiência do sistema.

Em contrapartida, surge a necessidade de estudo e confiabilidades desses resultados obtidos em experimentos conduzidos em ambientes protegidos. Experimentos neste sistema de cultivo, assim como em outras áreas, devem ser bem compreendidos e executados, pois a precisão caracteriza a qualidade das inferências dos resultados.

Outro ponto interessante do cultivo em ambiente protegido é que ele reduz a oscilação da umidade do solo, principalmente na camada superficial, e mantém a mesma próxima à capacidade de campo. Isto pode favorecer um maior desenvolvimento radicular na camada superficial do solo, com expansão do sistema radicular em forma horizontal e em menor profundidade, o que favorece a exploração desse solo para maior absorção de água e nutrientes.

Manejo

Normalmente a aplicação é feita de forma manual e o material utilizado no processo é um plástico (filme), que pode ter diferentes colorações. Os filmes plásticos para cobertura do solo são comercializados basicamente nas colorações branco, preto e prata, no entanto, podem ser encontrados em diversas outras cores.

Estas características impactam no solo e no cultivo de formas distintas, podendo reduzir a perda de água, controlar o microclima e diminuir infestações de insetos indesejados. O filme plástico de coloração preta aumenta o saldo de radiação na superfície (Schimel, 2010), enquanto que o plástico transparente reduz em, aproximadamente, 10%.

Porém, o uso de plástico transparente aumenta consideravelmente o fluxo de calor no solo e, como consequência, aumenta a temperatura do solo, quando comparado ao cultivo sem uso de cobertura do solo (Fan et al., 2017).

Resultados práticos

Estudos na cultura da abobrinha italiana (Cucurbita. pepo) mostram melhores resultados utilizando filme plástico transparente como cobertura do solo em relação ao filme plástico preto (Waterer, 2000).

Em outra pesquisa com C. pepo L., as coberturas com filme plástico de cor preta e jornal mais palhada de duas gramíneas (Poa pratensis L. e Lolium perene L.) proporcionaram maior número de frutos em relação ao tratamento sem cobertura do solo (Splawski et al., 2014).

As coberturas do solo de polietileno são recomendadas para o cultivo da abobrinha italiana objetivando a produção de frutos. As coberturas do solo com polietileno de coloração branca e papel reciclado são recomendadas para o cultivo da abobrinha italiana, em que há necessidade de diminuir a temperatura do solo (Silva, 2018).

Desvantagens

Algumas desvantagens não podem ser negligenciadas. O polietileno, devido à sua constituição química, não é biodegradável em condições naturais. Portanto, o filme plástico deve ser retirado do solo após o fim do ciclo da cultura.

Entretanto, se observa uma baixa taxa de recuperação do plástico (Liu; He; Yan, 2014). O acúmulo contínuo de resíduos plásticos pode levar à insustentabilidade no uso do solo e causar problemas ambientais.

Os principais problemas que podem acontecer são erros durante a colocação do plástico, o que acarreta impedimento da infiltração, percolação e translocação da água no solo, afetando o transporte de água e nutrientes, afetando negativamente no crescimento radicular, assim como formação de substâncias prejudiciais às plantas após a degradação do polietileno, tais como ésteres de ftalato, di-(2 etilhexil) ftalato, aldeídos, cetonas (Chen et al., 2013; Liu; He; Yan, 2014).

Existe uma busca contínua por componentes químicos que sejam biodegradáveis para constituir às coberturas do solo. Atualmente, as matérias-primas com grande potencial e altamente sustentáveis são as fontes de carbono renovável, tais como amido, celulose e óleos vegetais, contudo, o uso destes materiais é limitado devido ao alto custo.

Investimento

O plástico específico para o campo pode ser orgânico e inorgânico, podendo variar nas cores. O preço para cada mil metros varia entre R$ 750,00 a R$ 850,00. O mulching pode durar entre oitos meses a um ano e meio, dependendo dos cuidados do agricultor. Em relação ao preço, compensa, já que hortaliças como abobrinha podem ser colhidas em até 45 dias depois do plantio, o que já oferece retorno financeiro ao agricultor.

Todas essas vantagens são traduzidas em menor custo, maior produtividade e qualidade dos produtos. A produção aumenta consideravelmente e há melhoramento da qualidade e precocidade de colheita.