Nematoides da cenoura

0
830

Warley Peres da Silveira Biólogo e mestrando em Olericultura – IF Goiano – campus Morrinhoswarleyperes@hotmail.com

Gabriela Araújo Martins gabriela.martins@estudante.ifgoiano.edu.br 

Ana Paula Gonçalves Ferreira ana.goncalves@estudante.ifgoiano.edu.br

Rodrigo Vieira da Silva Engenheiro agrônomo, doutor em Fitopatologia e professor do Instituto Federal Goiano – Campus Morrinhos, Morrinhos – GOrodrigo.silva@ifgoino.edu.br

As crotalárias são alternativas para controlar os nematoides-de-galhas
Crédito: Sementes Piraí

A cenoura é a quinta hortaliça mais cultivada no Brasil, com produção estimada de 760 mil toneladas em uma área de plantio de mais de 20 mil hectares. Esta hortaliça está distribuída nos municípios do Alto Paranaíba, Triângulo Mineiro e Carandaí (MG), Cristalina (GO), Marilândia do Sul (PR), Caxias do Sul e Vacaria (RS), Irecê (BA) e São José do Rio Pardo (SP).

Algumas espécies de leguminosas, a exemplo das crotalárias, são utilizadas na adubação verde e apresentam importante papel no controle de fitonematoides. Estas plantas podem atuar como plantas armadilhas, não hospedeiras ou antagonistas aos fitonematoides, além de aumentar a atividade e diversidade biológica do solo.

Os nematoides são um problema sério no cultivo da cenoura em todo Brasil. Os prejuízos médios são da ordem de 20%, mas no caso de alta população do nematoide no solo, cultivar com grande suscetibilidade, além de temperatura e umidade favorável (25 a 30ºC e UR de 60 a 80% da capacidade de campo), estes podem chegar a 100%.

No Brasil, o problema maior é com o nematoide-das-galhas, que na maioria das vezes é ocasionado pelas espécies Meloidogyne incognita e Meloidogyne javanica, por estarem mais distribuídas pelas áreas cultivadas.

Os nematoides causam grandes perdas devido a reduzirem a quantidade e qualidade do produto colhido. Assim, as alterações no formato são ocasionadas pelas ações químicas e físicas em resposta ao ataque dos nematoides, interferindo diretamente na classificação comercial do produto.

Manejo de nematoides

A prevenção é sempre a melhor forma de controle do fitonematoides, uma vez que, presente em uma determinada área, a sua erradicação é muito difícil. A principal medida preventiva é evitar a entrada dos nematoides no sistema produtivo.

Após constatar a presença destes vermes na área, os produtores terão que conviver com esse problema, utilizando medidas para reduzir a sua população no solo, de modo a interferir o mínimo no cultivo da cenoura.

 Dentre as melhores práticas estão a rotação de culturas, uso de plantas antagonistas, utilização de adubação verde, variedades resistentes e controle químico e biológico.

A rotação de culturas é a prática mais convencional e efetiva na redução dos nematoides, e na maior parte é compartilhada com culturas não hospedeiras, principalmente as denominadas de adubação verde e que fornecem grande teor de matéria orgânica para o solo.

Plantas para adubação verde

Opções de rotatividade para a cultura da cenoura são: capim elefante (Pennisetum purpureum), mamona (Ricinus communis) e braquiárias (Brachiaria decumbens e B. ruziziensis). Caso a infestação esteja alta e tenha mais área para o plantio, fazer a rotação com gramíneas por pelo menos dois anos, enquanto se utiliza outra área para o plantio.

A utilização de rotação com plantas antagonistas também é uma excelente medida, que tem mostrado resultados significativos na redução dos níveis populacionais de nematoides em diferentes culturas. As crotalárias, em especial a Crotalaria spectabilis, C. juncea e C. breviflora, e o cravo-de-defunto (Tagetes patula, Tagetes minuta, Tagetes erecta), são exemplos de plantas antagonistas que podem ser usadas com sucesso para controlar os nematoides-de-galhas.

Contra nematoides da cenoura

As plantas de cobertura verde, a exemplo das espécies de crotalárias, podem funcionar como plantas armadilhas, em que ocorre a penetração dos juvenis de segundo estádio de Meloidogyne spp. (J2), mas não permitem o seu desenvolvimento até a fase adulta e nem a reprodução do nematoide, comportando-se como resistentes ou imunes.

Inicialmente, atuam como hospedeiras, atraindo os nematoides para as raízes, mas não permitem que se complete o seu ciclo reprodutivo. Outro mecanismo de ação das plantas antagonistas seria a liberação de compostos com atividade tóxicas aos nematoides que inibem a sua alimentação nas raízes das plantas pelos J2, a fase infectiva dos nematoides-de-galhas.

Um exemplo deste tipo de planta é o cravo de defunto (Tagetes spp.), que produz o alfatertienil. Devido à ação dessa substância, os nematoides-de-galhas morrem e a população do nematoides reduz drasticamente no solo.

Manejo

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.