Nova cultivar de soja é ideal para regiões frias

0
80

Autores

Luís Paulo Benetti MantoanDoutor em Ciências Biológicas/Botânica – UNESP, Botucatu (SP)luismantoan@gmail.com

Carla Verônica CorrêaDoutora em Engenharia Agronômica – UNESP, Botucatu (SP)cvcorrea1509@gmail.com

Soja – Crédito: Shutterstock

Recentemente a Embrapa Trigo lançou a cultivar de soja BRS 5804RR com a promessa de ser a escolha ideal para o cultivo em regiões frias do Brasil, sendo recomendada para os produtores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e para as regiões frias do Paraná e São Paulo pertencentes à macrorregião sojícola 1 (REC 102 e 103).

Esta cultivar apresenta como diferencial a capacidade de tolerância a doenças como o cancro da haste, a mancha olho-de-rã, o mosaico comum da soja, a podridão parda da haste, pústula bacteriana e a podridão radicular causada por fitófora, sendo esta última muito recorrente em lavouras da região sul e em solos com alta umidade e sem rotação de cultura. Contudo, apresenta suscetibilidade a nematoides de cisto e galha.

A BRS 5804RR foi testada com outras cultivares em 22 locais durante três anos, tendo apresentado alta sanidade de raiz e rendimento superior a 6 mil kg/ha, o que significa um rendimento maior que 100 sacas por hectare.

Dentre as demais características gerais desta nova variedade estão o tipo de crescimento indeterminado, vagens com quatro grãos, resistência ao acamamento, porte médio, ciclo precoce com grupo de maturidade de 5.8 e capacidade de engalhamento.

Além disso, a BRS 5804RR apresenta como vantagem uma ampla janela de semeadura, sendo possível realizar o plantio tanto no início como no final do período recomendado. A ampla janela de semeadura também favorece o replantio desta cultivar em situações de adversidades climáticas e até mesmo quando se deseja fazer o escalonamento do plantio.

No campo

Segundo relatos de produtores do Rio Grande do Sul, a BRS 5804RR apresentou alto vigor no início do crescimento, se destacando das demais variedades comumente usadas que apresentam ciclos que variavam de precoce a tardio.

Durante a estiagem na safra 2019-20 que atingiu muitas lavouras no Rio Grande do Sul, a BRS 5804RR apresentou rendimento de 50 sacas por hectare, quando o rendimento médio esperado para o Estado era de 35 sacas por hectare, o que pode indicar que esta nova variedade pode ser tolerante à seca.

Na figura 1 é possível observar a performance da BRS 5804RR semeada em diferentes épocas, enquanto que na figura 2 é possível observar o rendimento desta nova variedade em diferentes localidades do Rio Grande do Sul.

Figura 1: Produtividade em sacas por hectare da BRS 5804RR semeada em diferentes épocas na safra 2018/2019.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.