18.1 C
São Paulo
sábado, agosto 13, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Nova geração de tomates híbridos enriquecidos com licopeno

Nova geração de tomates híbridos enriquecidos com licopeno

Maria Esther de Noronha Fonseca

Leonardo Silva Boiteux

Pesquisadores da Embrapa Hortaliças ” Brasília (DF)

BRS Nagai - Crédito Leandro Lobo
BRS Nagai – Crédito Leandro Lobo

Importância do licopeno: o sinal vermelho contra o câncer ” o pigmento licopeno é um carotenoide que confere a típica cor vermelha dos frutos do tomateiro. Devido a sua estrutura química singular, o licopeno é um dos melhores e mais potentes antioxidantes.

Entre uma série de carotenoides avaliados, o licopeno mostrou-se um dos mais eficientes supressores biológicos de radicais livres. A forte ação antioxidante do licopeno faz com que dietas ricas nesta substância apresentem efeitos preventivos contra doenças degenerativas e cardiovasculares. Essa é a principal razão do consumo de tomate e derivados fazer parte da famosa “dieta do Mediterrâneo“.

Além disso, diferentes estudos clínicos e epidemiológicos têm confirmado que dietas ricas em licopeno apresentam comprovada redução do risco de desenvolvimento de câncer de próstata e ovário.

BRS Zamir - Crédito Leandro Lobo
BRS Zamir – Crédito Leandro Lobo

Fontes alimentares de licopeno

A principal fonte de licopeno na dieta humana é o fruto do tomateiro e produtos derivados, tais como sucos, geleias, sopas, molhos, extratos e ketchups. Além do fator nutricional, a concentração do licopeno nos frutos de tomate está relacionada a uma melhor percepção visual dos frutos e produtos derivados, existindo, portanto, uma forte demanda por aumentar os teores desse pigmento em frutos de cultivares, tanto para consumo em saladas quanto em diversos produtos processados.

Um fato interessante do licopeno é que ele é um composto termoestável (isto é, sua estrutura permanece intacta após o cozimento). Dados da pesquisa também indicam que a biodisponibilidade do licopeno na dieta humana aumenta nos produtos processados. Desta forma, molhos caseiros e extratos representam uma excelente e saudável fonte de licopeno concentrado na dieta.

Demandas por maiores teores de licopeno

Existe, nos diferentes segmentos da cadeia de agronegócio de tomate, uma demanda por produtos de maior valor agregado, combinando aroma, sabor e elevada pigmentação vermelha (conferida pela presença de licopeno).

A combinação desses fatores é essencial para alavancar os níveis de qualidade dos produtos derivados de tomate visando atingir nichos de elevado padrão de exigência, tanto no mercado doméstico quanto no exterior.

O mercado atual também está consciente da importância nutracêutica do licopeno e, nesse contexto, existe uma demanda por parte dos consumidores, varejistas e das agroindústrias de tomate no sentido de aumentar os teores desse pigmento nas variedades atualmente comercializadas.

BRS Zamir - Crédito Leandro Lobo
BRS Zamir – Crédito Leandro Lobo

Melhoramento genético

Uma das tarefas mais importantes dos programas de melhoramento genético tem sido diversificar o panorama varietal do tomateiro, disponibilizando aos consumidores cultivares e híbridos que combinem fatores nutricionais, principalmente o licopeno, sabor e aroma.

O desenvolvimento, em larga escala, de cultivares com teores mais elevados de fatores nutricionais, incluindo licopeno, tem sido um dos focos do programa de melhoramento genético da Embrapa Hortaliças.

Novas variedades

Diferentes estudos clínicos e epidemiológicos têm confirmado que dietas ricas em licopeno apresentam comprovada redução do risco de desenvolvimento de câncer de próstata e ovário.

A maioria dos tomates do tipo longa vida apresentam, em média, 30 mg/g de fruto. Os tomates híbridos ‘BRS Nagai’ (tipo saladete) e ‘BRS Montese’ (tipo italiano), desenvolvidos pela Embrapa em parceria com a iniciativa privada, apresentam o dobro desse valor (60 mg/g).

Dessa forma, o consumo de quase metade da quantidade de frutos de ‘BRS Nagai’ ou ‘BRS Montese’ corresponderia a igual valor de licopeno obtido pelo consumo de tomates do tipo longa vida. Em termos de acumulação de licopeno, o grande fenômeno do mercado brasileiro é o híbrido ‘BRS Zamir’ (do segmento ‘grape’).

Esse híbrido foi o que se destacou em análises conduzidas por uma equipe da Universidade Estadual de Maringá (PR) como tendo os maiores teores de licopeno (144 mg/g) entre vários híbridos comercializados no mercado brasileiro.

O híbrido do segmento ‘grape’ com valores mais próximos foi de 43 mg/g. Estudos clínicos têm recomendado um consumo diário em torno de 10.000 a 60.000 mg (10-60 mg) de licopeno para uma eficaz ação de proteção contra o câncer.

Fazendo um cálculo rápido, precisaríamos, em média, de cinco frutos de ‘BRS Zamir’ (em torno de 20 g cada fruto) para suprir as necessidades diárias mínimas de licopeno. Alternativamente, um molho concentrado de frutos dos híbridos ‘BRS Nagai’ e ‘BRS Montese’ também atingiria, facilmente, os valores mínimos preconizados.

Essa matéria completa você encontra na edição de novembro 2015  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

 

Inicio Revistas Hortifrúti Nova geração de tomates híbridos enriquecidos com licopeno