23.3 C
São Paulo
domingo, julho 3, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Novos equipamentos modernizam análise de solo

Novos equipamentos modernizam análise de solo

Ronaldo Pereira de Oliveira

PhD em Agricultura de Precisão e pesquisador da Embrapa Solos

ronaldo.oliveira@embrapa.br

Gustavo M. Vasques

PhD em Mapeamento Digital de Solos e pesquisador da Embrapa Solos

gustavo.vasques@embrapa.br

 

Rabelis extendido
Rabelis extendido ” Créditos Embrapa Solos

A aquisição de um pacote tecnológico envolvendo diferentes sensores de campo, conhecidos como sensores proximais, e de um sistema contemporâneo de processamento de imagens, em breve fortalecerá a infraestrutura de pesquisa na Embrapa Solos e instituições parceiras, possibilitando medir e processar dados sobre solos e propriedades ambientais correlatas com eficiência, precisão e qualidade, diminuindo a necessidade de coleta de amostras e análises em laboratório.

O pacote proposto atende a uma demanda nacional pela informação de solos espacializada com menor custo e maior dinamismo, beneficiando vários projetos num contexto multiusuário, multidisciplinar e multi-institucional.

Esses projetos compartilham requisitos básicos no desenvolvimento científico e aplicado de plataformas multissensores que atenderão, entre outras, às atividades de modelagem quantitativa de atributos do solo, aplicada ao mapeamento digital de solos, e de monitoramento espaço-temporal intensivo, aplicado ao manejo agroambiental por sítio específico, um dos principais objetivos da agricultura de precisão.

Estas atividades estão em consonância com redes de pesquisa nacionais e internacionais, como a Rede Brasileira de Pesquisa em Mapeamento Digital de Solos, a Rede Nacional de Agricultura de Precisão, a Rede de Pesquisa em Solos Frágeis, o Arranjo de Projetos em Serviços Ambientais na Paisagem Rural da Embrapa, e o Consórcio Internacional GlobalSoilMap.net.

Para o produtor

Os sensores adquiridos, todos comercialmente disponíveis, permitirão gerar informações sobre características do solo como compactação, condutividade elétrica, presença de elementos no solo que geram campo magnético e teor de metais pesados. Além disso, o pacote inclui um radar de penetração, muito aplicado a prospecções geodésicas, que permitirá checar a profundidade do solo, tudo isso acompanhado de um software para processamento de imagens com base em objetos terrenos, que permite a identificação de alvos segundo sua forma, tamanho e relações topológicas de vizinhança.

Mais especificamente, os sensores proximais têm sido empregados para medir diretamente ou estimar indiretamente diversos atributos do solo. Citam-se como medidas diretas do solo e respectivos sensores de medição: teor de umidade (TDR), condutividade elétrica aparente (condutivímetros), suscetibilidade magnética (suscetibilímetros), refletância espectral (espectrorradiômetro), resistência à penetração (penetrógrafo), localização de camadas adensadas (radar de penetração) e teor de diversos elementos (espectrômetro por fluorescência de raios-X), inclusive gamarradioativos (gamarradiômetro).

A literatura apresenta bons resultados do uso de sensores proximais para a estimação indireta de diversos atributos do solo, como: teor de cátions trocáveis (cálcio, magnésio, potássio e sódio), capacidade de troca catiônica (CTC), frações granulométricas (argila, silte e areia), densidade do solo, acidez (pH), teores de carbono, matéria orgânica, nitrogênio, fósforo e enxofre. Além disso, os sensores têm sido usados para o delineamento de zonas de manejo e de tipos de solos na propriedade.

O uso destes sensores permitirá otimizar a observação e medição de propriedades de solos, economizando tempo e recursos em projetos e facilitando o processamento integrado dos dados.

Tais linhas de pesquisa já estão em pleno andamento em outras partes do mundo, o que evidencia a necessidade de investimentos nesta área, acompanhando a tendência mundial para manter o Brasil como referência na geração de conhecimentos sobre solos tropicais, área em que a Embrapa tem notável atuação.

Foto 03 - Rabelis & MiniTrich
Rabelis & MiniTrich ” Créditos Embrapa Solos

Modernização

No Brasil, o setor agropecuário é ainda carente de técnicas modernas de caracterização e mapeamento de solos que deem suporte à tomada de decisão nas áreas de cultivo. A utilização de sensores proximais é ainda incipiente no país, limitando-se a testes de sensores em implementos agrícolas e poucos estudos de variabilidade espacial de atributos do solo.

Entretanto, em países como Estados Unidos, Austrália e Alemanha, e também por meio dos esforços conjuntos da União Europeia, se observa o desenvolvimento de plataformas integrando vários sensores proximais para medição simultânea de diversas propriedades do solo.

Em sua fase atual, a pesquisa em sensoriamento proximal do solo para viabilizar a sua ampla aplicação na agricultura está focada no desenvolvimento, adaptação e validação de métodos de observação e análise, protocolos operacionais e sistemas de suporte à decisão.

Para isso, as ações de pesquisa contemplam objetivos estratégicos e desafios científicos e tecnológicos que visam: garantir o uso eficiente e sustentável do solo e da água; contribuir para o avanço da fronteira do conhecimento; aplicar novos conceitos e dispositivos de medição, simulação, modelagem e previsão, inclusive do impacto das mudanças climáticas nos sistemas agrícolas; incrementar o planejamento agroambiental na propriedade agrícola; e subsidiar o desenvolvimento sustentável do Brasil mediante a geração e consolidação da informação do recurso solo no país.

Vale lembrar que para cumprir plenamente esses objetivos ainda é necessário que o uso integrado destes equipamentos seja validado e os recursos humanos devidamente capacitados. Além disso, deve-se unir esforços com linhas correlatas de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

Essa matéria completa você encontra na edição de dezembro da revista Campo & Negócios Grãos. Clique aqui para adquirir já a sua.

Inicio Revistas Grãos Novos equipamentos modernizam análise de solo