26.6 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiNoz-pecã - A rainha das frutas secas

Noz-pecã – A rainha das frutas secas

As nogueiras-pecãs são nativas do Sul da América do Norte e crescem melhor em solo argiloso, profundo e rico em matéria orgânica. Suas sementes amanteigadas são consumidas in natura, processadas e fazendo parte de tortas e outras sobremesas doces, com alto valor agregado. O óleo, as cascas e a madeira também podem ser aproveitados

Carlos Roberto Martins

Pesquisador da Embrapa Clima Temperado

carlos.r.martins@embrapa.br

Marcelo Malgarim

Professor da Universidade Federal de Pelotas

Mauricio Bilharva

Rudinei De Marco

Doutorandos na Universidade Federal de Pelotas

 Crédito Pixabay
Crédito Pixabay

A cultura da nogueira-pecã (Caryaillinoinensis) se adapta com facilidade a regiões que apresentem um regime de frio adequado às exigências das plantas, e uma boa distribuição de chuvas ao longo do ciclo produtivo, sendo determinante após a floração até o período de enchimento do fruto.

O frio se contabiliza pela necessidade de horas de frio, sendo que sua qualidade é fator fundamental para que ocorrauma boa brotação e assegure a floração uniforme. O requerimento em horas de frio,abaixo de 7,2°C varia conforme a necessidade genética de cada cultivar, tendo, de uma forma geral, cultivares adaptadas às condições climáticas com números de horas de frio abaixo de 300, entre 400-600 e acima de 600 horas. Do contrário, se não forem atendidas estas condições, podem ocorrer problemas com abrotação, ramos pouco desenvolvidos e com folhas pequenas e com uma floração desuniforme, com reflexos na produtividade.

A temperatura média anual ótima para nogueira-pecã é de 20 a 30ºC. Temperaturas elevadas (acima de 35°C)influenciam na floração, podendo queimar tanto as flores masculinas quanto femininas. No enchimento do fruto, altas temperaturas podem afetar o tamanho da noz-pecã e o desenvolvimento da amêndoa (parte comestível), além disso, interfere no acúmulo de óleo. Em condições mais adversas pode ocorrer também o aborto do fruto, ou seja, a queda prematura.

O cultivo da nogueira-pecã concentra-se principalmente nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná - Crédito Carlos Roberto Martins
O cultivo da nogueira-pecã concentra-se principalmente nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná – Crédito Carlos Roberto Martins

As geadas e a umidade

Outra situação climática que requer cuidados diz respeito a geadas tardias, aquelas que entre setembro e outubro ocorrem na região sul do Brasil, o que compromete a floração e, por consequência, a produção de frutas. Neste interim, a escolha adequada do local de plantio é muito importante, pois regiões de baixadas estão mais propensas à formação de geadas.

A umidade excessiva interfere na polinização, afetandoa liberação do pólen e a receptividade do estigma. Dessa forma, devem ser evitados locais com umidade relativa do ar superior a 80% no período de polinização (setembro/outubro) devido à dificuldade da liberação do pólen das flores masculinas.

A precipitação média anual necessária para nogueira-pecãoscila entre 700 a 1.000 mm, no entanto, a necessidade de chuva é condicionada pelo estádio fenológico.

No período de floração a necessidade hídrica é mínima, contudo, no período de enchimento do fruto há aumento no requerimento de água. A implantação de um sistema de irrigação é crucial para evitar o abortamento de frutos e frutos de baixa qualidade, principalmente em regiões com períodos de estiagem.

No entanto, volumes excessivos de chuva propiciam a incidência de doenças e, em se tratando de solos úmidos, com dificuldade de uma rápida drenagem, pode inclusive comprometer a viabilidade das plantas.

Viveiro de mudas de noz-pecã - Crédito Carlos Roberto Martins
Viveiro de mudas de noz-pecã – Crédito Carlos Roberto Martins

Polinização

Embora a polinização da nogueira-pecã seja realizada pelo vento (anemófila), ventos fortes podem causar vários danos à cultura, principalmente na fase de formação do pomar, com a tortuosidade das plantas, quebra de tronco, galhos e ramos, além deinterferir na polinização.

Uma medida necessária, principalmente na fase de formação do pomar, é o uso de quebra-ventos, com espécies vegetais de rápido crescimento.

Manejo nutricional

O primeiro passo para atender as exigências nutricionais da nogueira-pecã se inicia pela realização de análise de solo. Primordial para o sucesso de qualquer frutífera, para a nogueira-pecã se evidencia ainda mais, haja vista o elevado porte da planta na plena fase produtiva, podendo superar 40 metros de altura.

De acordo com a análise química de solo, o pH deve ser elevado a seis(6,0 pH), pela aplicação de calcário, que deve ser realizada,no mínimo, três meses antes da implantação das nogueiras.

Tanto na implantação como na adubação de manutenção, podem ser utilizados adubos químicos e/ou orgânicos. De acordo com a interpretação da análise do solo, o fornecimento de fósforo e potássio pode ser utilizado em doses totais no momento do plantio, enquanto o fornecimento de nitrogênio deve ser dividido em três vezes. A primeira em setembro, quando há intensa brotação e início do período floral; a segunda em novembro, no período final da floração e quando começa a formação do fruto; e a terceira em fevereiro, com o intuito de enchimento da noz e de se obter reservas para a safra posterior.

Um cuidado especial deve ser dado ao zinco, elemento nutricional que, quando em carência nosnogueirais, apresenta folhas cloróticas, com margens onduladas, muitas vezes sendo necessária a aplicação via foliar para corrigir deficiências.

Conforme a severidade da deficiência aumenta-se o número de aplicações.No entanto, é necessária a realização de análises química de solo e do tecido foliar periodicamente para a correta interpretação, manutenção e correção.

Â É importante ressaltar a necessidade da presença de um profissional habilitado e qualificado para orientar desde a coleta de solo, tecido foliar, bem como para realizar o correto diagnóstico e as devidas recomendações de adubação e manejo do solo.

Plantio de muda de noz-pecã - Crédito Carlos Roberto Martins
Plantio de muda de noz-pecã – Crédito Carlos Roberto Martins

Manejo fitossanitário

A doença mais comum que ocorre na nogueira-pecã é a sarna (Venturiaeffusa) – com sinônimos:Fusicladiumeffusum,Cladosporiumcaryigenum, Cladosporiumeffusum e Fusicladiumcaryigenum, que ataca tecidos jovens, folhas (desfolha precoce), pecíolo, inflorescência e fruto. Nos frutos a amêndoa pode ficar mal formada, ou quando o ataque for severo pode ocasionar a queda dos mesmos.

Essa é parte da matéria de capa da revista Campo & Negócios Hortifrúti, edição de outubro 2017. Adquira a sua para leitura completa.

ARTIGOS RELACIONADOS

Geociclo inaugura a segunda fase da unidade de Uberlândia

Ampliação da unidade elevará a produção do Geofert para 140 mil toneladas por ano até 2016   A Geociclo, empresa nacional de biotecnologia, concluiu a ampliação...

Quais os avanços em melhoramento do trigo no Brasil?

Autor Lucas Alexandre Batista Graduando em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) lucaslabatista@gmail.com O crescimento populacional nas últimas décadas ultrapassou 7 bilhões de...

O cultivo de morangos no Brasil

  Carlos Reisser Junior carlos.reissser@embrapa.br Luis Eduardo Correa Antunes Pesquisadores da Embrapa Clima Temperado O morango é uma 'fruta' com um apelo de consumo dos mais elevados dentre as...

Sementes reanalisadas é tema de artigo técnico da Biogene® para o mercado

Preocupada em sempre levar informações técnicas de alto valor agregado para seus clientes e parceiros, a BioGene traz ao mercado um artigo técnico sobre...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!