21 C
Uberlândia
sábado, julho 13, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiNutrição ideal do maracujazeiro

Nutrição ideal do maracujazeiro

Elisamara Caldeira do Nascimento

Talita de Santana Matos

Doutoras em Agronomia – UFRRJ

Rafael Campagnol

Professor de Olericultura – UFMT

Glaucio da Cruz Genuncio

Professor de Fruticultura – UFMT

glauciogenuncio@gmail.com

 

Fotos Agrocinco
Fotos Agrocinco

O maracujazeiro é uma das culturas mais promissoras e rentáveis da fruticultura e, quando conduzido com técnica e tecnologia, destaca-se pela possibilidade de se alcançar produtividades próximas a 45 t/ha.

Assim, a adubação correta, a partir do preparo do solo baseado na análise química e física, além do uso da irrigação por gotejamento, da condução por tutoramento, uma vez que a planta é uma trepadeira lenhosa de rápido crescimento e desenvolvimento e, do efetivo controle de pragas e doenças, e adoção do manejo integrado são variáveis técnicas fundamentais e necessárias para que o produtor alcance rentabilidade na cultura.

Por outro lado, o que se observa no Brasil são as baixas produtividades para a cultura, com média de 15 t/ha. Um dos fatores que favorece é o inadequado manejo nutricional, somando-se a irrigação inadequada, com deficiência hídrica para a cultura.

Exigências

O maracujazeiro é exigente em termos nutricionais, sendo o N, o K e o Ca os macronutrientes de maior demanda e o Fe, Mn e B os micronutrientes mais demandados.

De modo geral, para um cultivo com 380 dias e 1.550 plantas/ha, existe uma necessidade de, aproximadamente, 200 kg de N/ha, 190 kg de K/ha, 160 kg de Ca/ha, assim como 0,80 kg de Fe/ha e 0,30 kg de Mn e B/ha. Vale ressaltar que o K se apresenta como o macronutriente mais exportado pela cultura, no momento da colheita.

Estes dados são fundamentais, pois o K e o B são os elementos que em deficiência afetarão o conteúdo de sólidos solúveis totais no fruto do maracujazeiro. Assim, suprir de forma adequada todos os nutrientes e, em especifico estes dois, é a forma de garantir o Brix do maracujazeiro, que deve ser acima de 16.

Critérios qualitativos

É importante ressaltar que, para a indústria, características organolépticas como rendimento de suco (acima de 40%), índice de fecundação, tamanho, diâmetro equatorial, pH da polpa (Entre 2,7 e 3,1), acidez titulável (5% de ácido cítrico) e constituição dos açúcares (conteúdos de sacarose, glicose, frutose) são critérios qualitativos para a aquisição do fruto para a produção de sucos.

Assim, cabe ao produtor garantir tais qualidades organolépticas com a adubação adequada, assim como o uso de genética apropriada, manejos adequados de irrigação e fitossanidade, adequado tempo de colheita (ponto de colheita agronômico) e eficiência no armazenamento pós-colheita.

Fotos Agrocinco
Fotos Agrocinco

Preparo de solo

A análise química do solo é de fundamental importância para a cultura, e é a partir dela que há a recomendação apropriada de calagem e adubação.

Por se tratar de uma cultura frutífera de ciclo médio, existe a necessidade de adubação de plantio e adubações de desenvolvimento, as quais visam atender a demanda de fases (vegetativa e reprodutiva).

Estas adubações também são denominadas de cobertura. As recomendações para o maracujazeiro estão bem estabelecidas nos manuais de adubação por Estado e são variáveis de acordo com o que é observado no solo.

Por exemplo, para o Espírito Santo, caso na análise do solo o técnico constate uma quantidade de K (mg/kg) entre 45 a 80 e de P entre 10-20 (mg/kg), a recomendação das doses de N, P2O5 e K2O é a de 30-40-30 g/cova ou g/planta, respectivamente, com N e K2O parcelados em 30, 60 e 150 dias.

Já para o Rio de Janeiro, as recomendações de N e K2O são: aos 30 dias após plantio (DAP) 10 g de N/planta, aos 60 DAP, 15 g de N/planta, aos 90 DAP 20 g de N e K2O/planta e aos 120 DAP 30 g de N e de K2O/planta. Esta recomendação é considerada para a fase vegetativa da planta. Estes dados estão descritos no livro intitulado ‘Maracujá: produção e qualidade na passicultura’, cujos autores são Lima & Cunha (Embrapa, 2004).

Manejo

Os adubos mais utilizados para o maracujá são, na forma de sais simples: ureia, supersimples e cloreto de potássio ou adubos em mistura, os famosos NPK. Porém, com a tecnificação da cultura e a adoção da fertirrigação, os fertilizantes devem possuir pureza e solubilidade.

Dentre os mais utilizados, podemos elencar: nitrato de cálcio, de potássio e de magnésio, MAP, MKP, sulfato de potássio e cloreto de potássio branco. Ressalta-se, ainda, que algumas empresas estão investindo em formulações prontas para a cultura.Assim, tem-se a formulação proposta para a cultura mais o nitrato de cálcio (devido à incompatibilidade do cálcio com o enxofre e o fósforo), fe-quelatado e micronutrientes.

Essa matéria completa você encontra na edição de março 2018  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

ARTIGOS RELACIONADOS

Alcachofra – Alta rentabilidade e mercado garantido

De alto valor agregado e dona de um sabor inestimável, a alcachofra tem conquistado um mercado disposto a pegar mais por seu valor nutracêutico...

Algas melhoram o teor de ºBrix do limão

Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro...

Associação entre mulching e TNT no controle da mosca-branca

  Diego Tolentino de Lima diegotolentino10@hotmail.com Daniel Lucas Magalhães Machado danielmagalhaes_agro@yahoo.com.br Engenheiros agrônomos e doutorandos em Produção Vegetal - ICIAG-UFU Ernane Miranda Lemes ernanelemes@yahoo.com.br Roberta Camargos de Oliveira robertacamargoss@gmail.com Engenheiros agrônomos e doutores...

A importância da calagem e gessagem na cultura do cedro australiano

  Eduardo Stehling Biólogo e gestor de melhoramento da Bela Vista Florestal   Talvez por ser biólogo, tendo trabalhado como professor por alguns anos, gosto de escrever para...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!