23.3 C
São Paulo
quarta-feira, julho 6, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti O cultivo do morango na Serra Gaúcha

O cultivo do morango na Serra Gaúcha

O cultivo do morango passou por uma série de mudanças tecnológicas, entre elas, variedades melhoradas e adaptadas às condições climáticas locais e cultivo no sistema de hidroponia

 

Mauro Martini

Camila Elisabeth Scholl

Engenheiros agrônomos e consultores técnicos Agrosul Agropecuária

Crédito Mauro Martini
Crédito Mauro Martini

A cultura do morangueiro (Fragaria spp.) vem sendo cultivada na Serra Gaúcha desde a década de 70, quando iniciou a exploração comercial da cultura na região. O cultivo do morango passou por uma série de importantes inovações no decorrer do tempo, entre elas, variedades melhoradas e adaptadas às condições climáticas locais e ao sistema de cultivo e/ou cultivares com características sensoriais mais atrativas, cultivo em ambiente protegido e adesão a diferentes sistemas de cultivo ” hidropônico e com maior destaque na região, semi-hidropônico.

As principais causas destas mudanças estão relacionadas à exigência do mercado consumidor, busca constante por maiores produtividades e qualidade ergonômica para o produtor. Hoje é de conhecimento comum que o produtor que objetiva manter-se e crescer nesse mercado necessita adaptar-se e aderir a esta série de mudanças.

Manejo da cultura

É imprescindível, no plantio do morango, independente do sistema de cultivo utilizado, fazer uso de substrato equilibrado, com baixa quantidade de nutrientes e boas características físicas de porosidade e densidade.

Durante os ciclos são recomendadas limpezas periódicas de folhas para melhorar a ventilação, o que, consequentemente, irá beneficiar a polinização, além de obter maior êxito na aplicação de produtos fitossanitários. Ainda, aliada à renovação de folhas está a renovação de raízes, o que justifica a importância das podas.

Em cultivos de anos subsequentes são recomendadas podas mais drásticas para renovação da planta. Estas são feitas no início do outono nas regiões mais quentes, com possibilidade de produção durante o inverno, e final do inverno em regiões mais frias, com foco de produção na primavera e verão.

O período de floração do morangueiro é estimulado por temperaturas amenas e dias curtos e/ou neutros. Uma forma de melhorar esse estágio consiste em aplicar produtos com maiores níveis de fósforo e função enraizante. Em áreas testadas na Serra Gaúcha observou-se a antecipação e melhoramento de florada com esta prática.

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Nutrição

Como em qualquer cultivo, a nutrição é um dos aspectos mais importantes para o sucesso da cultura e garantia de produtividade. Além do fornecimento de nutrientes, deve-se compreender a necessidade da radiação solar para a fotossíntese, da água para o funcionamento das atividades fisiológicas e do gás carbônico (CO2) disponibilizado naturalmente pela atmosfera, para crescimento e desenvolvimento de biomassa.

Para que a planta possa assimilar as quantidades necessárias dos principais nutrientes e atingir as produtividades desejadas, é primordial que estes estejam em equilíbrio e devidamente adequados ao sistema e ao clima. A fonte mineral mais utilizada consiste em sais solúveis que garantem a disponibilidade dos nutrientes e melhores custos-benefícios. Existem diversas recomendações de nutrientes no mercado, referenciadas por vários autores.

No cultivo em sistema hidropônico ou semi-hidropônico a adubação deve ser ajustada conforme o clima, variedade e estágio fenológico por meio da adição de nutrientes de forma isolada. No inverno, por exemplo, a planta tem maior necessidade de nitrogênio e fósforo e a quantidade dos demais nutrientes também deve ser aumentada, atingindo condutividades elétricas (EC) de aproximadamente 1,6 mS/cm, uma vez que a transpiração da planta diminui, o que irá influenciar na diminuição da irrigação.

Por outro lado, no verão o maior aporte nutricional está concentrado no cálcio e todos os demais nutrientes diminuem de quantidade na solução, atingindo EC médio de 1,0 mS/cm em virtude da maior transpiração e aumento considerável da irrigação.

A nutrição é fundamental para a garantia de produtividade - Crédito Mauro Martini
A nutrição é fundamental para a garantia de produtividade – Crédito Mauro Martini

A importância da nutrição na firmeza do fruto

Como já descrito anteriormente, o morangueiro possui absorção facilitada de nitrogênio, com diferenciação para fases vegetativas e maior crescimento aéreo em períodos em que as temperaturas ficam mais elevadas, como primavera e verão.

Com este crescimento acelerado e transpiração elevada, a planta pode não absorver quantidades suficientes de cálcio para manter a parede celular do fruto firme. Esta característica de fruto mole diminui consideravelmente o tempo de prateleira e causa prejuízos a muitos produtores.

O distúrbio acontece geralmente com o uso de adubações desequilibradas e causa, além de perdas de frutos, déficits na polinização e problemas quanto à diminuição de resistência da planta a doenças e pragas. Como prevenção, indicam-se produtos à base de cálcio na fertirrigação, e em momentos de estresse climáticorecomenda-se a aplicação dos mesmosvia foliar.

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Essa matéria você encontra na edição de maio da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar.

Inicio Revistas Hortifrúti O cultivo do morango na Serra Gaúcha