25.8 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiO cultivo e o mercado de goiabas no Brasil

O cultivo e o mercado de goiabas no Brasil

Luiza Rocha Ribeiro

Engenheira agrônoma e mestranda em Horticultura – UNESP/Botucatu

luh_ribeiro@hotmail.com

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

A goiabeira (Psidium guajava L.) é uma planta da família das Mirtáceas e ocupa lugar de destaque entre as frutas brasileiras, por conta de seu aroma agradável, sabor e alto valor nutricional. A planta tem como seu centro de origem países como o México, Colômbia, Peru e Brasil. Atualmente é encontrada em diversas regiões subtropicais e tropicais do mundo devido a sua fácil adaptação a diferentes condições de solo e clima e facilidade de propagação.

O país com a maior produção de goiaba do mundo é a Índia, seguida pela China, Tailândia, Paquistão, México e Indonésia. O Brasil é o sétimo maior produtor de goiaba e o maior produtor de goiaba vermelha do mundo.

Segundo o Anuário Brasileiro de Agricultura 2018 (Agrianual 2018), em 2015 a produção brasileira de goiabas foi de 424.305 toneladas, sendo as regiões nordeste e sudeste as maiores produtoras, com 207.169 e 179.310 toneladas respectivamente.

Pernambuco é o Estado que mais produziu goiaba no País, com 144.909 toneladas no ano de 2015, correspondendo a 34% da produção brasileira de goiaba. O Estado de São Paulo vem logo em seguida, com 143.682 toneladas.

A área colhida no País no ano de 2015 foi de 17.603 hectares, cerca de 02 mil hectares a mais do que no ano de 2014. A produtividade média no Brasil nesse mesmo período foi de 24 t/ha. As regiões nordeste e sudeste apresentam a produtividade de 23 e 28 t/ha em média, respectivamente. Os Estados com maior produtividade são Pernambuco e São Paulo, com 31 t/ha.

 Fotos Luiza Ribeiro
Fotos Luiza Ribeiro

Manejos

Para a planta expressar seu potencial produtivo são necessários alguns manejos básicos, como a análise de solo para uma adubação correta. O software Fert-Goiaba®(http://www.registro.unesp.br/sites/cnd_goiaba/) é uma ótima ferramenta gratuita para recomendação de adubação que utiliza os resultados da análise de solo, a idade do pomar (implantação, formação e produção) e a produtividade esperada.

Esse programa foi desenvolvido pela doutora e professora Silvia Helena Modenese Gorla da Silva, em coautoria com Hugo do Nascimento Bendini e Eduardo Maciel Haitzmann dos Santos, da UNESP, campus Registro, juntamente com o doutor e professor. William Natale, da UNESP, campus Jaboticabal.

Obstáculos

Em relação às dificuldades na goiabicultura, a ocorrência do nematoide Meloidogyne sp. é de grande relevância, principalmente na região nordeste, onde grandes áreas tiveram que ser erradicadas.

Sendo assim, a Embrapa Semiárido foi pioneira no desenvolvimento de um híbrido intitulado como BRS Guaraça, o qual tem as raízes de um araçazeiro e a copa de uma goiabeira comum. Essa cultivar foi registrada no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e é uma opção para o enfrentamento da nematose da goiabeira, pois apresenta alta compatibilidade com as cultivares Paluma e Pedro Sato e resistência ao patógeno (Santos et al., 2018).

O Brasil é o maior produtor de goiaba vermelha do mundo - Fotos Luiza Ribeiro
O Brasil é o maior produtor de goiaba vermelha do mundo – Fotos Luiza Ribeiro

Em números

O volume total de goiaba comercializado no CEAGESP no ano de 2016, segundo o Agrianual 2018, foi de 12.206 toneladas. Desse total, apenas 9% é de goiaba branca (1.106 t). O preço inferior é uma das principais justificativas da baixa produção de goiaba branca, assim como pela preferência da população brasileira pelas goiabas vermelhas. O preço médio do quilo da goiaba vermelha no Ceagesp foi de R$ 4,20 no ano de 2016 e o da branca R$ 3,22.

Custos

O custo médio de produção, segundo o Agrianual 2018, foi estabelecido levando em consideração um pomar de goiabeira ‘Paluma’, com sistema de poda drástica e com safra a cada oito meses, irrigação e densidade de 286 plantas por hectare.

Os custos estimados foram divididos em operações mecanizadas, manuais, insumos e administração. O preço médio de venda da produção levou em consideração 70% do rendimento para indústria e 30% para mesa.

Na fase inicial da cultura as operações mecanizadas, como pulverizações, calagem, aração, roçagem, apresentam cerca de 62% dos custos estimados totais, que representam R$ 20.647,00, enquanto as operações manuais, como poda, análise de solo, capina manual, etc., apenas 20%.

Entretanto, para a manutenção da cultura, a partir do quinto ano ocorre uma redução nas operações mecanizadas e aumento nas manuais, correspondendo a 27% e 48%, respectivamente, do custo total estimado de produção R$ 16.344,00.

A produção brasileira de goiabas gira em 424.305 toneladas - Fotos Luiza Ribeiro
A produção brasileira de goiabas gira em 424.305 toneladas – Fotos Luiza Ribeiro

Essa matéria você encontra na edição de julho da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar.

Ou assine

ARTIGOS RELACIONADOS

Análises biológicas: Quais as inovações previstas?

Até recentemente, o solo foi visto e analisado de forma química e física. Contudo, já faz algum tempo que os pesquisadores da Ciência do Solo e os próprios produtores já veem indicando que existe algo a mais além destes dois fatores.

Chegou a vez das PANCs

Autora Cristina Maria de Castro Pesquisadora científica da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de...

Adubação foliar para espécies florestais funciona?

Roberta Camargos de Oliveira Engenheira agrônoma, doutora e PhD em Agronomia - Universidade Federal de Sergipe (UFS) robertacamargoss@gmail.com Fernando Simoni Bacilieri Engenheiro agrônomo e doutorando em Produção Vegetal,...

Cálcio previne apodrecimento apical em tomate

É muito comum encontrarmos em plantas de tomate, aparentemente saudáveis, os sintomas de fundo preto nos frutos. Por isso, conhecer suas características e causas é necessário para a aplicação correta das técnicas preventivas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!