O Fosfito proporciona mais eficiência e menos defensivos e fertilizantes

0
2
O Fosfito proporciona mais eficiência e menos defensivos e fertilizantes
O Fosfito proporciona mais eficiência e menos defensivos e fertilizantes

Autores

Lucas Anjos de Souza
Doutor e mestre em Biologia Vegetal, e professor do Polo de Inovação em Bioenergia e Grãos – IF Goiano, Campus Rio Verde
lucas.anjos@ifgoiano.edu.br
Leandro Campos Oliveira
Biólogo, pós-graduando em Bioenergia e Grãos – IF Goiano, Campus Rio Verde
leandro.campos@ifto.edu.br

Crédito: Jacto

Pesquisa recente mostra que a absorção do fosfito é da ordem de 90 a 98%, entre três a 20 horas após a aplicação. Essa mobilidade é fator preponderante para que os acompanhantes, sejam eles fertilizantes, defensivos ou herbicidas, tenham o efeito esperado, com redução substancial de doses e consequente baixa dos custos da aplicação.

O fosfito é um produto obtido da neutralização do ácido fosforoso por uma base, sendo rapidamente absorvido pela planta e translocado pelo xilema e pelo floema. No mercado existem diversas formulações disponíveis do produto em associação a outros nutrientes, como K, Ca, B, Zn e Mn.

Por ser um produto sistêmico e de rápida absorção pelas raízes, caules e folhas, é possível várias formas de aplicação, levando em consideração o tipo de planta e agente patogênico a ser controlado. Além disso, o fosfito possuí baixa toxicidade e contribui para a melhoria do estado nutricional da planta.

Outra vantagem é que esse produto possui baixo custo, previne e controla doenças causadas por fungo e absorção mais rápida quando comparado a outros produtos à base de fosfato. (Meneghetti, 2009).

Culturas beneficiadas

As formulações existentes podem beneficiar diversas culturas tais como cebola, milho, uva, algodão, soja e frutíferas. Por se tratar de um produto que auxilia a planta no combate a pragas e doenças por meio da ativação do sistema de defesa natural, o mesmo garante o equilíbrio nutricional sem provocar estresse, resultando em melhorias na produtividade.

Campos et al (2017) avaliou a utilização do fosfito na cultura da soja como adubação foliar e auxílio ao controle da Corinespora cassiicola e concluiu que a utilização de fosfito de potássio aplicados em conjunto com os fungicidas químicos, respondeu linearmente a todos os tratamentos utilizados e não provocou alteração no efeito dos fungicidas no controle da doença mancha alvo (Corinespora cassiicola).

Silva et al (2018), ao avaliar o controle de doenças foliares do milho com fosfito de potássio, observou que este diminuiu a severidade das doenças foliares de milho.


Dicas

A aplicação do produto deve respeitar a dose recomendada e o estágio apropriado da cultura. Assim, se esses requisitos não forem seguidos, é provável que os resultados não sejam satisfatórios. Por isso, é fundamental seguir a recomendação de um especialista no assunto.

A aplicação do produto representaria um fornecimento suplementar de nutrientes principalmente nos estádios de maior atividade metabólica, promovendo a melhoria no estado nutricional e maior vigor. No entanto, deve-se ter cuidado para que sua utilização seja realizada na fase correta para cada cultura, pois somente quando aplicado no momento certo poderá trazer benefícios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui