17.7 C
Uberlândia
sexta-feira, julho 12, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioLançamentosO papel do solo para a produção mundial de alimentos será debatido...

O papel do solo para a produção mundial de alimentos será debatido no Brasil em 2018

Fertilizantes organominerais aumentam a porosidade do solo - CréditoShutterstock
CréditoShutterstock

A cidade do Rio de Janeiro vai receber mais de 8 mil profissionais de 130 países, entre os dias 12 e 17 de agosto de 2018, quando acontecerá o XXI Congresso Mundial de Ciência do Solo (21st WCSS), promovido pela International Union of Soil Science e organizado pela Sociedade Brasileira de Ciência do Solo (SBCS), tendo como tema “Ciência do solo: para além da produção de alimentos e de energia“. De acordo com o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Flávio Camargo, presidente do 21WCSS, “o país e o mundo têm uma trajetória consolidada na produção de biomassa, que é a função primordial do solo. Entretanto, se as outras funções do solo não forem debatidas, consideradas e priorizadas, poderemos comprometer a sustentabilidade desta produção e da vida no planeta“.

O evento, que terá como sede o Windsor Covention & Expo Center (Barra da Tijuca), trará para o Brasil cientistas como o norte-americano Rattan Lal, presidente da União Internacional de Ciência do Solo, eleito por três anos seguidos (2014,15 e 16) pela Thomson Reuters um dos mais influentes pesquisadores do mundo. Outro nome confirmado é o também norte-americano de origem etíope Gebisa Ejeta, que, no começo de sua carreira, nos anos 80, trabalhando no Sudão, desenvolveu a primeira variedade comercial de sorgo híbrido resistente à seca da África. Seu esforço o levou a receber, em 2009, o World Food Prize. Em 2011 o então presidente Barack Obama o nomeou como membro do Conselho Internacional de Alimento e Desenvolvimento Agrícola. Também agraciado com o World Food Prize, em 2002, Pedro Sanchez, professor de solos tropicais no Departamento de Ciências do Solo e da Água da Universidade da Flórida (EUA) é um dos maiores nomes em solos tropicais do planeta, e também estará no Rio de Janeiro.

“Nas próximas décadas, a pesquisa em ciência do solo deverá propor práticas agrícolas resilientes que possam acomodar as alterações ambientas e climáticas e a segurança alimentar. O estudo do solo é essencial e estratégico para questões como a qualidade da água, a diminuição da pobreza e a produção de energia renovável“, lembra Camargo, ressaltando a importância do Brasil receber o XXI CMCS, que acontecerá pela primeira vez na América Latina. Por sinal, a candidatura brasileira foi aprovada no XIX Congresso, que aconteceu em Brisbane (Austrália), em 2010.

A Embrapa Solos (Rio de Janeiro-RJ) será uma das co-organizadoras, contribuindo na captação de recursos, na feira de solos, nas excursões técnicas de campo, nas ações de consumo responsável, inventário e neutralização de gases de efeito estufa e reciclagem de resíduos secos e úmidos no evento. “Na feira teremos a exibição de perfis de solos de todas as classes da terra brasileira, contaremos também com uma exposição histórica da Ciência do Solo Brasileira, com destaque para a parceria SBCS-Embrapa, iniciada há mais de 70 anos no Rio de Janeiro. Também faremos o lançamento mundial do Programa Nacional de Solos do Brasil, Pronasolos“, conta o chefe de pesquisa e desenvolvimento do centro de pesquisa carioca José Carlos Polidoro.

O site do XXI Congresso Mundial de Ciência do Solo está em www.21wcss.org .

ARTIGOS RELACIONADOS

Expedição Safra vai a Rússia e Israel acompanhar produção de trigo e irrigação de precisão

Projeto técnico-jornalístico vai conferir ainda a demanda por proteína animal brasileira no leste-europeu na última etapa da edição 2016-17 A Expedição Safra 2016-17 volta à...

Combinação de microrganismos pode aumentar a produtividade do feijão

A microbiologia do solo vem ganhando destaque entre as tecnologias no campo. Nos últimos anos, produtos à base de microrganismos e sistemas de manejo que visam incrementar a biologia do solo têm resultado em qualidade produtiva surpreendente. Embora a pesquisa agrícola já conheça o potencial dos agentes biológicos, o campo está descobrindo e aprovando esta ferramenta.

Florada e frutos ao mesmo tempo no café?

AutoresJosé Braz Matiello jb.matiello@gmail.com Marcelo Jordão Filho marcelo@fundacaoprocafe.com.br Engenheiros agrônomos da Fundação Procafé A florada do café é uma das épocas mais importantes...

Nutrição do café em tempos de estresse

Juliano Gullo de Salvo Engenheiro agrônomo, mestre em Solos e Nutrição de Plantas e coordenador técnico da Green Has do Brasil juliano.detec@greenhb.com.br Eurípedes Gomide da Costa Jr. Engenheiro...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!