23.6 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 21, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosFlorestasO que há de novo no Plano Nacional de Florestas Plantadas?

O que há de novo no Plano Nacional de Florestas Plantadas?

Aumento na demanda por matéria-prima florestal devido ao uso da biomassa florestal como fonte de produção de energia, avanço das novas fronteiras, entrada de novas indústrias e possível queda do preço de matéria-prima a longo prazo em algumas regiões. Estas são algumas decorrências previstas por Marcelo Schmid, diretor da Forest2Market do Brasil, com a aprovação do Plano Nacional de Florestas Plantadas (PNDF) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Segundo o especialista no setor florestal, entre os objetivos do PNDF está o aumento da participação do setor florestal na produção de energia. Para ele, a inclusão do setor florestal no plano de expansão da matriz energética do País representa um grande passo para o setor florestal. Como os leilões de energia do Ministério de Minas e Energia permitem contratos de longo prazo, entre 20 e 25 anos, isto provavelmente acarretará aumento na demanda por matéria-prima florestal.

Outra consequência da aprovação do PNDF é que novas fronteiras florestais, como o Matopiba (expansão de uma nova fronteira agrícola no Brasil baseada em tecnologias modernas de alta produtividade nos Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) se desenvolvam a partir da expansão da área plantada prevista no PNDF, em função das limitações de aumento da área plantada em Estados onde o setor florestal é tradicional (Paraná e Santa Catarina), por conta da concorrência com outros usos do solo (agricultura, áreas urbanas, etc.).

Além disso, segundo Marcelo, espera-se que novas indústrias se instalem, pois com o otimismo do setor e maior oferta de matéria-prima, algumas empresas já anunciaram expansões de suas fábricas neste primeiro semestre, e espera-se que novas indústrias se instalem no País.

Marcelo conclui que, em sendo as demais etapas do plano bem-sucedido, no longo prazo o maior equilíbrio entre oferta e demanda pode acarretar queda do preço da matéria-prima em algumas regiões.

O PNDF tem como meta ampliar a área ocupada com florestas plantadas, adicionando dois milhões de hectares até 2030, e trazer segurança jurídica para investimentos no setor.

ARTIGOS RELACIONADOS

Produtos biológicos controlam nematoides em alface

Autores Carlos Antônio dos Santos Engenheiro agrônomo e doutorando em Fitotecnia – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) carlosantoniods@ufrrj.br Júlio Cesar Ribeiro...

Silício na correção do solo e nutrição de plantas

Ernane Miranda Lemes Engenheiro agrônomo, mestre e doutorando em Fitotecnia, ICIAG-UFU ernanelemes@yahoo.com.br José Geraldo Mageste Engenheiro florestal, Ph.D. e professor do ICIAG-UFU jgmageste2@gmail.com   O silício (Si) é considerado um nutriente...

Matéria orgânica é alternativa à falta de insumos

Com a falta de insumos e/ou o elevado preço no mercado agrícola, os agricultores estão ...

“Quanto vale a matéria orgânica?”

Sob a condução do professor Vitti, da Esalq, a apresentação vai questionar a valorização da matéria orgânica para a agricultura e o meio ambiente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!