23.3 C
São Paulo
quinta-feira, junho 30, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Organominerais economizam até 50% em nutrientes

Organominerais economizam até 50% em nutrientes

 

Welington Adolfo de Brito

Engenheiro agrônomo e professor do UNICERP

wabto@hotmail.com

Crédito Paulo Machado
Crédito Paulo Machado

Os fertilizantes são divididos em classes para melhor entendimento de acordo com o Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA). Os orgânicos são obtidos por meio de matérias-primas de origem animal ou vegetal e devem ser isentos de misturas minerais. Destaca-se a turfa, resíduos animais e vegetais, podendo passar por processos de compostagem originando os compostos orgânicos, em que seus nutrientes são mobilizados e se tornam disponíveis para as plantas.

No processo de mobilização os nutrientes sofrem algumas interações biológicas que interferem na absorção pelo vegetal. Algumas substâncias são destacadas nesta transformação, como os inúmeros ácidos orgânicos.

Atualmente, são isolados pela indústria o ácido húmico, ácido fúlvico e a humina, importantes na complexação de nutrientes adicionados nos compostos, cuja denominação se tornará organomineral.

Portanto, a definição de organomineral é uma mistura de compostos orgânicos com a complementação de fontes minerais, cuja qualidade será determinada pela origem dos orgânicos e dos minerais utilizados.

Organominerais

Os fertilizantes organominerais, como mencionado, devem possuir os denominados ácidos orgânicos, em exploração industrial os ácidos húmicos, ácidosfúlvicos e parte integrante do carbono orgânico, ou seja, grupos carboxílicos e fenólicos, que exercem uma função anfótera (hora reage como base, hora como ácido), o que permitirá um melhor aproveitamento do nutrientes minerais complexados no solo, evitando possíveis perdas na assimilação vegetal.

São inúmeros estudos que comprovam uma melhor assimilação e aproveitamento destes nutrientes, que podem alcançar em torno de 50% a mais em relação aos nutrientes minerais.No entanto, vale ressaltar que em breve poderemos verificar melhor estes dados com os resultados de novas pesquisas e testes que estão sendo desenvolvidos.

Mais nutrição

Os complexos orgânicos solúveis estão associados aos seus teores de cátions de reação básica, onde se originam as cargas negativas, o que permite um maior e melhor aproveitamento dos nutrientes.

Outro aspecto que merece destaque é a redução da toxidez de Al3+ (a forma química mais tóxica para plantas) após a aplicação de resíduos vegetais e esterco de animais, condição observada em vários estudos citados por Miyazawaet al.(2000).

Tendência

Atualmente, o uso de organominerais tem se intensificado, no entanto, o seu uso tem se restringido em misturas de produtos e minerais, visto que o processo de industrialização (granulação) não permite um bom resultado por perder algumas características principais.

Uma saída para seu uso na agricultura é a peletização, mas com algumas resalvas para uso. Novos trabalhos destacam o uso de fertilizantes organominerais líquidos que ainda estão em fase de desenvolvimento e estudo, mas com ótimos resultados comerciais.

Vantagens

Algumas vantagens de organominerais a serem destacadas:

üAuxilia no aumento da eficiência do fósforo em função das frações orgânicas dos grupos carboxílicos e fenólicos e sua natureza anfótera;

üNeutraliza elementos tóxicos;

üEstimula a atividade dos microrganismos do solo, permite uma adubação equilibrada, pois possui grande atividade de CTC, melhorando a estabilidade dos nutrientes e evitando a lixiviação no solo;

üPermite a formação de um melhor sistema radicular, proporcionandomaior absorção de nutrientes e água, evitando possíveis transtornos com estresses ambientais.

Custos

Os custos dos fertilizantes organominerais geralmente se confundem com seus resultados. Em uma primeira vista são mais caros, no entanto, sãomais eficientes, o que pode torná-los mais competitivos.

Este importantíssimo fator dependerá da qualidade do organomineral e, principalmente, do posicionamento técnico comercial no campo para obter um custo-benefício melhor em relação aos fertilizantes minerais.

O uso dos organominerais será determinado da mesma forma que os fertilizantes minerais, utilizando-se de dados analíticos de amostragem, produção e remoção de nutrientes pela cultura por meio de laudos de análises de solo e folha das culturas, seguido de prescrição técnica dos mesmos.

Em uma síntese, a evolução dos organominerais no Brasil deve-se principalmente aos avanços tecnológicos de maquinários e indústrias, pois os resultados já são conhecidos desde o surgimento da agricultura com o uso de compostos orgânicos, e até mesmo em nossos quintais.

As vantagens são inúmeras, desde o uso racional até a obtenção de resultados satisfatórios na produtividade.

Essa matéria você encontra na edição de julho da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar.

 

Inicio Revistas Grãos Organominerais economizam até 50% em nutrientes