Os adubos verdes e o solo

0
71

 

Fabio Lúcio Martins Neto

Técnico em Desenvolvimento Rural ” EBDA, doutorando em Fitotecnia ” UFV

fabio.martinsneto@ebda.ba.gov.br

Tatiana Pires Barrella

Professora do IF Sudeste MG ” campus Rio Pomba

tatiana.barrella@ifsudestemg.edu.br

Adriano Perin

Professor do IF Goiano ” campus Rio Verde

perinrj@yahoo.com.br

Ricardo Henrique Silva Santos

Professor DFT/UFV

rsantos@ufv.br

 

Com a decomposição dos resíduos vegetais há formação de ácidos orgânicos e o alumínio pode ser complexado, diminuindo a sua forma tóxica às plantas - Crédito Elaine Wurtke
Com a decomposição dos resíduos vegetais há formação de ácidos orgânicos e o alumínio pode ser complexado, diminuindo a sua forma tóxica às plantas – Crédito Elaine Wurtke

O aporte de biomassa dos adubos verdes possibilita a elevação do teor de matéria orgânica do solo ao longo dos anos, o que vai resultar em aumento da CTC, que proporcionará maior retenção de nutrientes junto ás partículas do solo, reduzindo as perdas por lixiviação.

Com a decomposição dos resíduos vegetais há formação de ácidos orgânicos e o alumínio pode ser complexado, diminuindo a sua forma tóxica às plantas. A mineralização dos nutrientes contidos na biomassa dos adubos verdes aumenta a disponibilidade dos mesmos às plantas.

Algumas espécies possuem ainda a capacidade de solubilizar nutrientes minerais imobilizados no solo pela acidificação na região das raízes, o que contribui principalmente para a solubilização de fósforo (P).

Investimento

O investimento necessário na adubação verde é muito variável, dependendo da técnica de plantio, da espécie escolhida e do manejo adotado. Mas será necessária a aquisição das sementes, o preparo do solo e, para algumas espécies, uma capina para o melhor estabelecimento da planta.

O reduzido número de fornecedores de sementes, principalmente de leguminosas, dificulta a sua aquisição e encarece o custo de implantação. Por exemplo, a semente de mucuna custa cerca de R$ 4,00/kg, totalizando aproximadamente R$ 200,00/ha. Entretanto, se o agricultor produzir suas sementes e/ou se a espécie for perene, este desembolso somente ocorrerá no primeiro ano.

Custo-benefício

A sustentabilidade dos sistemas de produção agrícolas passa pelo cultivo de plantas de cobertura e adubos verdes. Assim, o custo de implantação desta técnica é pequeno perto dos benefícios adicionados ao sistema de cultivo, principalmente na diminuição de outros custos, como controle de plantas daninhas, de pragas e doenças, adição de nitrogênio e reciclagem de potássio e demais nutrientes.

Entretanto, o maior desafio na utilização de plantas de cobertura e adubos verdes é sua integração com o sistema de produção tradicionalmente adotado pelo agricultor.

 

Características de algumas espécies de adubo verde indicadas para a Região Centro-Sul do Brasil

Nome vulgar

Nome científico

Família

Época plantio

Ciclo

(dias até florescimento)

Biomassa

fresca

(ton/ha)*

Porte

Exigência fertilidade

Controle nematoides

Mucuna-preta e

cinza

Stiolozobium

aterrimum

leguminosa

verão

150 a 180

(anual)

40 a 50

trepadora

baixa

bom

Feijão-de-porco

Canavalia

ensiformes

leguminosa

verão

90 a 100

20 a 40

herbáceo

determinado

baixa

ruim

Crotalária juncea

Crotalaria juncea

leguminosa

verão

90 a 120

40 a 60

arbustivo ereto

baixa

bom

Guandu-forrageiro

Cajanus cajan

leguminosa

verão

150 a 180

20 a 40

arbustivo ereto

baixa

ruim

Soja perene

Glycine wightii

leguminosa

verão

perene

20 a 30

trepadora

média

Lablabe

Dolichos lablab

leguminosa

verão

120 a 150

15 a 30

trepadora

média

não

Calopogônio

Calopogonio

muconoides

leguminosa

verão

perene

20 a 30

trepadora

média

Leucena

Leucaena

leucocephala

leguminosa

verão

perene

20 a 30

arbustivo ereto

média

Cudzu

Pueraria

phaseoloides

leguminosa

verão

perene

20 a 30

trepadora

média

Amendoim

forrageiro

 

Arachis pintoi

leguminosa

verão

perene

20 a 30

trepadora

média

Nabo forrageiro

Raphanus sativus

crucífera

inverno

60 a 90

20 a 30

herbácea determinado

baixa

Aveia preta

 

Avena strigosa

gramínea

outono

inverno

70 a 130

30 a 60

touceira ereto

média

Milheto

Pennisetum

glaucum

gramínea

verão

60 a 90

40 a 50

touceira ereto

baixa

Tremoço branco

Lupinus albus

leguminosa

inverno

120 a 150

20 a 30

arbustivo ereto

média

Ervilhaca

Vicia villosa

Roth

leguminosa

inverno

140 a 160

20 a 30

trepadora

baixa

Estilosantes

Stylosanthes

spp.

leguminosa

verão

Perene

40-50

Semi-ereto

baixa

*Os valores da biomassa fresca são médios para a região centro-sul, podendo variar com o sistema de plantio e densidade de semeadura.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de Outubro da revista Campo & Negócios Grãos. Clique aqui e adquira já a sua.