Panorama do cultivo de abacaxi

0
1207
Foto: Shutterstock

Carlos Henrique Milagres Ribeiro

caarlos_henriquee_8@hotmail.com

Mariana Dias Vasconcelos

mariana.dias2@estudante.ufla.br

Mestrandos em Fitotecnia/Fruticultura – Universidade Federal de Lavras (UFLA)

O abacaxizeiro (Ananas comosus (L.) Merril), originário das Américas, é uma frutífera tipicamente cultivada em regiões de climas tropicais e subtropicais, pertencente à família Bromeliaceae.

Conforme os dados da FAO 2022, com relação ao ranking mundial, as Filipinas se destacam como o principal produtor, respondendo por uma produção de 27,02 milhões de toneladas no ano de 2020, seguindo pela Costa Rica, com uma produção de 26,24 milhões de toneladas.

O Brasil encontra-se na 3º posição do ranking mundial, apresentando uma produção de 25,26 milhões de toneladas no ano de 2020 (último levantamento), podendo ser observado a importância da cultura no País.

Território nacional

O cultivo do abacaxizeiro se encontra nas regiões norte (34,59%), nordeste (32,29%), sudeste (26,66%), sul (1,39%) e centro-oeste (5,07%).

Com relação à participação dos Estados produtores, no ano de 2021 observou-se que o Pará lidera a produção, com aproximadamente 357.021 (mil frutos), em seguida Paraíba 272.285 (mil frutos), Minas Gerais 173.583 (mil frutos), Rio de Janeiro, 143.454 (mil frutos), Tocantins 98.523 (mil frutos), São Paulo 77.071 (mil frutos), Alagoas 69.646 (mil frutos), entre outros.

Demanda

Mesmo o Brasil apresentando uma boa produção de frutos de abacaxi, a maioria da sua produção é para consumo interno. Mas, a partir de 2018 houve um aumento de sua exportação de forma in natura e até processada como suco para países como Argentina, Uruguai, Portugal e Bélgica.

Com relação à exportação, no ano de 2021, segundo dados da Comexstat/ME 2022, foi constatada a exportação de abacaxi desde os frutos frescos até conservados, podendo ser observado na Tabela 1:

O que esperar

O abacaxizeiro ocupa o terceiro lugar entre as principais frutas produzidas no Brasil e a tendência de produção é aumentar cada vez mais, podendo chegar a 2,9 milhões de toneladas na próxima década, acompanhando amplamente a demanda do mercado interno, que absorve a quase totalidade da produção.

O maior cultivo são das variedades Hawai e Pérola, as mais tradicionais do País. Atualmente, a demanda pela fruta fresca de abacaxi vem aumentando significativamente no mercado internacional nos últimos anos, como também na mesma proporção vem aumentando a demanda por suco concentrado.

O abacaxi apresenta uma diversidade de possibilidades de industrialização, expressas na fabricação de refrescos, sorvetes, néctares, sucos em garrafa, geleias, iogurtes, fatias em calda e polpa congelada.

Além dos produtos tradicionais industrializados do abacaxi, alguns estudos mostram a viabilidade de se produzir álcool de uso farmacêutico, vinhos, ácido cítrico, vinagre e amido comercial.

Investimento inicial da cultura

Para o planejamento de uma área cultivada com abacaxi, é necessário que o produtor desembolse um valor inicial de aproximadamente R$ 18.000,00, considerando itens básicos necessários para a área de produção de 1,0 ha (10.000 m2), visando produzir 40 toneladas por hectare.

O custo inicial de produção é relativamente alto, porém, se o produtor adquirir conhecimentos sobre o manejo da cultura, terá mais chances de fazer a produção render e ocasionar mais facilmente a rentabilidade.

Rentabilidade

Considerando uma produção média de 40 toneladas por hectare e um valor de R$ 1,00 por fruto ou quilo para o mercado interno, o resultado será de um acúmulo bruto de R$ 40.000,00 por hectare. A lucratividade do empreendimento pode variar com um índice de 35 até 55,0%.

O conhecimento dos fatores que influenciam economicamente nos custos de produção e rentabilidade do cultivo do abacaxi é essencial, pois fornece subsídios para o uso consciente dos recursos, de maneira a intensificar o retorno econômico da atividade.

O tempo de retorno do investimento se dará em cerca de 2,7 meses ou 0,82 operações (plantios).

Potencial de produção

De acordo com a Embrapa, o Brasil é um dos maiores produtores de abacaxi do mundo, contribuindo com cerca de 10% da produção mundial. Só que, mesmo com a alta produção, a participação do País é muito pequena no mercado mundial de produtos de abacaxi.

Isso acontece em virtude de destinarmos muito pouco às exportações, pois o mercado interno é muito atraente, absorvendo quase toda a produção brasileira. Esse fato evidencia a grande potencialidade do produto ainda nesse mercado.

Mesmo apresentando um grande potencial econômico e produtivo, a produtividade da abacaxicultura no Brasil é considerada baixa (39,3 t/hectare), quando comparada com alguns países destaques, cuja produção é voltada para o mercado externo e que apresentam produtividade de 50 a 60 t/hectare.

Prós e contras da produção

PRÓS:

–  O abacaxizeiro pode ser cultivado em todos os Estados brasileiros;

–  Crescimento rápido;

–  É uma atividade absorvedora de mão de obra no meio rural, contribuindo para a geração de empregos;

– A fruta tem teor de açúcar elevado e acidez moderada.

CONTRAS:

– Alta incidência de fusariose, causada pelo fungo Fusarium subglutinans f. sp. ananas, cuja presença é um dos maiores perigos para a cultura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!