18.1 C
São Paulo
quinta-feira, agosto 11, 2022
-Publicidade-
Inicio Destaques Panorama nacional da produção de limão

Panorama nacional da produção de limão

Ana Claudia Costaanaclaudia.costa@ufla.br

Leila Aparecida Salles Pioleila.pio@ufla.br

Professoras do curso de Agronomia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Limão – Crédito: Pixabay

Atualmente, estima-se que existam aproximadamente 100 espécies de limão ao redor do mundo e embora o ‘Galego’ e o ‘Tahiti’ sejam limas ácidas, são consumidos e tratados como limões pela população em geral.

O ‘Tahiti’ é o fruto ácido de maior importância comercial no Brasil e no mercado internacional, portanto, trataremos tanto de limões verdadeiros como das limas ácidas, denominando todos como limões.

Tradição

O Brasil é um tradicional produtor de frutas cítricas. Dentre elas os limões são frutas muito comuns e conhecidas e que fazem parte da rotina do brasileiro, pois são usados em diferentes preparações e de diversas formas. É uma das frutas que mais benefícios traz para a saúde humana.

 Segundo a FAO, o Brasil ocupava em 2019 a quinta posição na produção mundial de limas ácidas e limões, produzindo aproximadamente 1,5 milhão de tonelada. É sabido, entretanto, que nesse cenário somente o México e Brasil são os grandes produtores de lima ácida Tahiti, sendo nosso país, portanto, o segundo maior produtor mundial dessa espécie.

São Paulo é o Estado que mais produz limão no Brasil, com área colhida de 30.563 ha e 1.117.348 toneladas produzidas em 2019, seguido pelo Estado do Pará, com área colhida de 5.341 ha e produção de 104.922 t e por Minas Gerais (4.567 ha de área colhida e produção de 84.319 toneladas).

Se considerarmos esses valores em porcentagem, teremos o Estado de São Paulo com 73,9%, Pará com 6,9% e Minas Gerais com 5,6%. Os demais Estados somam 13,6%. São Paulo se destaca não só em relação ao volume, mas também em tecnologia de produção, o que lhe proporciona um rendimento médio de 36,56 t de limão por hectare, muito acima da média nacional, que é de 26,75 t/ha. O valor da produção de limão, apenas no território paulista, chegou a R$ 1.152 bilhão no ano de 2019.

Exportações

Já se observa a produção de limão por região fisiográfica brasileira. O Sudeste se destaca com 81,8% de participação na produção, seguido do Norte com 8,0%, Nordeste com 7,1%, Sul com 2,2% e o Centro-Oeste com participação de apenas 0,8% na produção nacional.

Já em relação à exportação, o limão é a 3ª fruta mais exportada pelo Brasil em receita, garantindo US$ 104.617 milhões ao País em 2019. São Paulo lidera a exportação, responsável por 55% dos embarques, cerca de 104 mil toneladas em 2019 e de 70 mil toneladas em 2020.

Já em 2021, apenas no período de janeiro a junho, o volume foi recorde, totalizando 78,8 mil toneladas. A União Europeia é o principal destino da lima ácida Tahiti brasileira e há tendência de crescimento deste mercado.

De forma geral, o mercado interno ainda está enfraquecido no Brasil devido à crise fitossanitária e econômica. Além disso, o consumo per capta brasileiro de limão é de 0,549 kg/ano, enquanto o mundial é de 1,940 kg/ano, demonstrando elevado potencial para o crescimento no mercado externo.

Lucratividade

Atualmente, 91% da produção brasileira de limão fica no mercado interno e 9% é exportada (Prevideli e de Almeida, 2020).  Produtores estão tendo muito mais lucratividade no comércio exterior, visto que o dólar e o euro estão muito valorizados frente ao real.

Manejo

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.

Inicio Destaques Panorama nacional da produção de limão