28.8 C
Uberlândia
quinta-feira, julho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesPecuária eficiente e sustentável começa com tecnologia nutricional diferenciada

Pecuária eficiente e sustentável começa com tecnologia nutricional diferenciada

Uso de aditivos naturais ganha força na bovinocultura de corte e de leite como ferramenta estratégica para pecuaristas aumentarem produtividade e lucratividade

Divulgação

Por não definirem o preço final da carne ou do leite que produzem, os pecuaristas precisam buscar estratégias para ganhar competitividade e garantir perenidade nos mercados cada vez mais competitivos em que estão inseridos. “Para o pecuarista permanecer de forma mais eficiente e sustentável na atividade, precisa investir em tecnologia. Com um aporte tecnológico bem empregado, crescerá a produtividade, que se refletirá na lucratividade”, destaca o zootecnista e Doutor em Agronomia José Leonardo Ribeiro, gerente de produtos de ruminantes da Guabi Nutrição e Saúde Animal. Segundo ele, todos esses resultados estão condicionados à nutrição adequada no momento e nas quantidades certas.

“Nos últimos anos, cresceu muito o uso de aditivos naturais, cujos resultados cada vez mais robustos estão respaldados por pesquisas científicas”, detalha o especialista, salientando que o objetivo é gerar aumento de produtividade no menor tempo possível, para garantir o bem-estar animal e a produção de proteína de altíssimo valor biológico de forma segura e que auxilie na obtenção de um planeta cada vez mais sustentável. A Guabi, que em 2024 completa 50 anos de atividades, começou no segmento com a produção de rações para bovinos de leite e de corte e, no início dos anos 2000, lançou sua linha de suplementos minerais Guabiphos, que atualmente representam a maior fatia de vendas no segmento de bovinos. Completam o portfólio as linhas de núcleos, concentrados e suplementos minerais proteinados. Ao todo, a Guabi conta com mais de 90 produtos disponíveis aos pecuaristas.

Estudos e pesquisas desenvolvidos pela Guabi em parceria com universidades embasam o desenvolvimento de soluções inovadoras e altamente tecnológicas para atender à constante evolução das necessidades do consumidor. “Fornecemos ao mercado soluções nutricionais em diferentes categorias de produtos para atender as mais variadas demandas, entre elas resultados zootécnicos, financeiros e sustentáveis. Cada vez mais, nossos produtos contemplam tecnologias como prebióticos para saúde intestinal, que incrementam a absorção de nutrientes; probióticos (leveduras vivas), que beneficiam o ambiente ruminal dos animais; adsorvente de micotoxinas; que previnem os efeitos danosos das micotoxinas ao animal e à produção; e minerais orgânicos – como cromo, selênio, zinco, cobre e cobalto”, explica o Doutor em Agronomia.

No ano do seu cinquentenário, a Guabi apresentará novidades ao mercado, como a nova linha de rações da linha Lactage (para gado leiteiro de alta performance), que incluirá um aditivo composto por uma mistura de óleos essenciais, exclusiva da empresa Agolin. Este pré-lançamento acontece na Megaleite 2024, de 11 a 15 de junho, no Parque da Gameleira, em Belo Horizonte (MG). “O objetivo do produto é reduzir a produção de metano, contribuindo para a redução da emissão de gases do efeito estufa, ao mesmo tempo em que aumenta a produtividade e a qualidade do leite”, ressalta Ribeiro.

Estratégia

De acordo com o especialista, cada produtor precisa avaliar, com assistência de profissionais especializados, quais são os produtos mais adequados para melhorar seus resultados. “O pecuarista precisa conhecer as exigências dos animais, a quantidade de nutrientes e o volumoso para poder ser assertivo no programa nutricional”, aponta. Ele cita que o volumoso participa com 45 a 50% da dieta do gado de leite, enquanto de 20 a 40% da dieta do gado de corte. Além disso, o criador precisa fazer o acompanhamento da dieta – tanto da composição das matérias-primas quanto das doses. Na estação mais seca do ano, a recomendação é utilizar diferentes tipos de suplementos minerais e proteinados em cada etapa (adensado, proteico, proteico-energético). “O ganho de peso depende da categoria de animal e do pasto, mas é possível chegar a até 1 kg por dia sem fornecer volumoso adicional, com a ração de semiconfinamento Guabitech Supripasto 28”, ilustra.

Rações especialmente formuladas para animais de alta performance garantem premiações a clientes da Guabi em exposições e pistas de bovinos de corte e de leite, em provas de conformidade corporal, ganho de peso e produção de leite. “O sucesso do cliente com animal com potencial genético diferenciado começa com produtos de nutrição de ótima qualidade no momento certo e em quantidade adequada, sem passar por estresse. É o resultado do tripé nutrição, manejo e genética mais a ambiência. Se um deles deixa a desejar, o animal não atinge o topo”, conclui Ribeiro.

Sobre a Guabi Nutrição e Saúde Animal

A Guabi Nutrição e Saúde Animal é uma empresa que está completando 50 anos de desenvolvimento e fabricação de produtos de alta qualidade, voltados para o bem-estar de todo o ciclo: animais, produtores, criadores e consumidor final. Investe na qualidade dos insumos e tecnologias de ponta que garantam o melhor resultado e hoje é uma das maiores empresas de nutrição e saúde animal do país. Tem forte atuação em todos os estados brasileiros, possuindo unidades fabris distribuídas pelo Brasil, Centros de Distribuição em diversos estados e o Escritório Nacional em Campinas/SP.

ARTIGOS RELACIONADOS

Cultivo de banana da terra garante lucro

José Clélio de Andrade Engenheiro agrônomo, DSc.em Agronomia e pesquisador da SEAPA/EPAMIG jclelio@epamig.br   A produção nacional de banana da terra, também chamada plátanos, é estimada em torno...

Produção de alho: O que você ainda não sabe

O alho (Allium sativum L.), pertencente à família Alliaceae, é originário de regiões de clima temperado da Ásia Central. É considerado uma das plantas mais antigas utilizadas na alimentação, seja na culinária, pelo aroma e sabor, ou por suas propriedades medicinais.

Fosfito aumenta área foliar da batata

Douglas José Marques Doutor e professor de Olericultura e Melhoramento Vegetal da Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS) douglas.marques@unifenas.br   A batata é uma fonte cada vez mais...

Há necessidade de colocar o fósforo em profundidade?

O sistema de cultivo e o manejo da adubação fosfatada influenciam a disponibilização do P no solo, seu acesso pelas plantas e, por fim, a produção das culturas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!