28.6 C
Uberlândia
quarta-feira, abril 24, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesPesquisadores foram pioneiros na biologia molecular para resistência ao carrapato

Pesquisadores foram pioneiros na biologia molecular para resistência ao carrapato

Em 2006, antes ainda do sequenciamento do genoma bovino, pesquisadores já trabalhavam com a Conexão Delta G na coleta de materiais biológicos para a resistência ao carrapato

Antes mesmo do sequenciamento de genotipagem, a Conexão Delta G já ensaiava seus primeiros passos na coleta de materiais biológicos para o projeto de resistência ao carrapato. Criado em 2009 em parceria com o Gensys Consultores Associados e a Embrapa Pecuária sul, com apoio da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), os primeiros materiais utilizados no projeto remete ainda ao ano de 2006.

Mário Luiz Martinez
Créditos: Bernardo Potter

De iniciativa do pesquisador Luiz Alberto Fries, naquele ano ele contactou o pesquisador Mário Luiz Martinez, da Embrapa Gado de Leite, que trabalhava com resistência ao carrapato em gado leiteiro. “Já tínhamos as DEPs tradicionais de resistência ao carrapato e ele começava a trabalhar com biologia molecular. Na época não havia sido completado o sequenciamento do genoma bovino. E ele veio para cá e coletou em propriedades da Conexão sangue dos animais em avaliação de sobreano e os técnicos contaram carrapato, tendo genótipo e fenótipo”, destaca o presidente do Conselho Técnico da Conexão Delta G, Bernardo Pötter.

Os dois pesquisadores faleceram logo em seguida, entre os anos de 2006 e 2007, mas o trabalho deles não foi em vão. Todo o material coletado ficou guardado junto à Embrapa. O genoma bovino só foi completamente sequenciado em 2008 e no ano seguinte, em 2009, a Conexão Delta G juntamente com a Embrapa e o GenSys criou o projeto de seleção genômica para resistência ao carrapato. “Esse sangue ficou no banco de dados. Quando iniciamos o projeto com a Embrapa em 2009, foi solicitado este material coletado e que ajudou inclusive a fazer o volume para o início deste projeto, entrando já com genômica”, observa Pötter.

Atualmente a Conexão Delta G tem aproximadamente 12 mil genótipos de animais totalmente controlados e com fenótipo abastecendo a população de treinamento, a qual é a responsável pela estimação dos efeitos dos marcadores. A seleção genômica para resistência ao carrapato combina dados de contagens de carrapato e de genealogia com informações de DNA, de modo a identificar e selecionar aqueles animais mais resistentes.

ARTIGOS RELACIONADOS

Pesquisadores transformam excedentes de laranjeira em bioenergia

Transformando excedentes de laranjeira em uma fonte renovável de energia, pesquisadores abrem caminho para práticas sustentáveis e inovadoras.

Pesquisadores desenvolvem pitaia que se ‘autopoliniza’

Pesquisadores inovam ao desenvolver uma variedade de pitaia que se 'autopoliniza', desencadeando um novo capítulo na agricultura sustentável.

Pecuária brasileira tem prejuízos próximos a R$ 70 bilhões

É essencial fazer o controle estratégico dos vermes e carrapatos, onde é realizado um protocolo antiparasitário antes que exista uma alta carga parasitária.

Pesquisadores produzem bioinseticida contra moscas-das-frutas

Esse bioinseticida é o primeiro produto formulado com o fungo Metarhizium anisopliae para o controle da mosca-da-carambola. A eliminação do inseto hospedeiro ocorre por meio da aplicação direta do produto no solo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!