15.2 C
Uberlândia
domingo, julho 14, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasPó de rocha é utilizado em confinamento e transforma dejetos em fertilizante...

Pó de rocha é utilizado em confinamento e transforma dejetos em fertilizante natural

Fino de Micaxisto (FMX) auxilia na decomposição e mineralização da matéria orgânica

Solo – Crédito: shutterstock

Já conhecido por melhorar a fertilidade e remineralizar o solo, o Fino de Micaxisto (FMX), também está ganhando espaço na pecuária. Além de melhorar a nutrição e proteção das plantas e regeneração do solo, o remineralizador FMX está sendo utilizado em confinamento com o objetivo de produzir um composto organo-mineral para pastagem ou lavoura, dentro do curral. Isso porque quando o bioinsumo entra em contato com os dejetos dos animais, além de aumentar os teores nutricionais do composto o pó de rocha auxilia na decomposição e mineralização da matéria orgânica.

O composto se transforma em fertilizante organo-mineral natural, rico em multinutrientes, minerais e matéria orgânica. Além de barato, o insumo natural oferece inúmeros benefícios para o solo, plantas e o Meio Ambiente, de uma forma geral. A cada dia, novos produtores e pecuaristas buscam essa ferramenta para otimizar o custo de produção e até rentabilizar com o comércio do insumo organo-mineral produzido dentro da propriedade.

Início do uso da técnica em confinamento

A prática começou em Goiás e Tocantins no ano de 2015, mas se expandiu e agora se consolida também em Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Mestre em agronomia e especialista em fertilidade do solo e nutrição de plantas, Saulo Brockes explica que no início as necessidades envolviam apenas a eliminação da umidade dos currais para melhorar o ambiente para os animais.

Mas outros pontos foram avaliados e os produtores começaram a relatar redução do mau cheiro causado pelos dejetos dos animais e também das moscas de chifre e estábulo. “Ainda que sejam consequências secundárias, esses resultados ajudam em muitos entraves com comunidade local”, explica o especialista.

O FMX tem elevada capacidade de retenção de água, na primeira experiência feita em confinamento um engenheiro agrônomo sugeriu colocar o material para evitar a lama no curral e melhorar o ambiente, como relata Brockes. “Ao final do ciclo dos animais, todo resíduo e dejetos foram amontoados para curtir. Foi observado então pelos proprietários e pecuaristas que os dejetos curtiram mais rápido e também estava sem cheiro. Foi aí que o engenheiro tomou a decisão de aplicar o composto na pastagem e em parte da lavoura”, explica o mestre em agronomia.

Resultados no campo

Depois do experimento, os resultados foram surpreendentes e foi a partir daí que o uso do FMX passou a ser rotineiro nestas atividades. A prática se expandiu para granjas de frango, nas quais já é costume utilizar a cama-de-frango ou esterco de frango na lavoura. Fonte de potássio e com alto teor de silício, o pó de rocha melhorara a fertilidade e remineraliza o solo. Além disso, o insumo nutre a planta e atua como indutor de resistência ao ataque de pragas e doenças.

“O FMX proporciona maior sanidade das plantas e reduz o número de aplicações de defensivos químicos, induzindo o equilíbrio do sistema produtivo, ciclagem de nutrientes e bioativação do solo. A integração lavoura-pecuária está cada vez mais forte devido a ferramentas como esta que promovem a sustentabilidade das atividades rurais”, finaliza Brokes.

Sobre o FMX TRATTO

O FMX TRATTO é um insumo agrícola, registrado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) como remineralizador e condicionador de solo. O FMX é natural e derivado de um pó de rocha de qualidade, desenvolvido para tratamento mineral, remineralização e condicionamento de solos.

O insumo fornece multinutrientes (K, Ca, Mg, Si, Mn, Fe entre outros minerais) para estruturação do perfil produtivo, além de atuar como fonte natural de minerais para os solos e plantas. O FMX TRATTO é produzido em Aparecida de Goiânia-GO e pertence ao Grupo Actualpar. É o primeiro remineralizador de solos registrado no MAPA e aprovado pela Associação de Certificação Instituto Biodinâmico (IBD) para uso na produção orgânica.

ARTIGOS RELACIONADOS

Por que investir na amontoa da batata?

    Carlos Ragassi Pesquisador da Embrapa Hortaliças A amontoa é o processo em que o solo é movimentado e direcionado para a base das plantas de batata...

Pêssego já pode ser cultivado em todo o Brasil

  Rafael Pio Professor de Fruticultura de Clima Temperado na Universidade Federal de Lavras (UFLA) rafaelpio@hotmail.com   Entre os vários tipos de frutíferas, o pessegueiro está entre aquelas que...

Ácidos húmicos é um estímulo às raízes secundárias

Autores Marihus Altoé Baldotto Lílian Estrela Borges Baldotto lilian.estrela@ufv.br Professores da Universidade Federal de Viçosa Os ácidos húmicos são substâncias que compõem a...

Lagarta-elasmo perfura a planta e provoca prejuízos

  Crébio José Ávila Engenheiro agrônomo, doutor em Entomologia e pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste crebio.avila@embrapa.br   A lagarta-elasmo, Elasmopalpus lignosellus Zeller, é uma praga que pode danificar plantas...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!