Inicio Revistas Hortifrúti Polinização manual é diferencial nos pomares de maracujá

Polinização manual é diferencial nos pomares de maracujá

0
1276

 

Marco Antonio da Silva Vasconcellos

Professor da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

masv@ufrrj.br

 Polinização manual é diferencial nos pomares de maracujá - Foto SXC
Polinização manual é diferencial nos pomares de maracujá – Foto SXC

A polinização manual é a transferência de grãos de pólen das estruturas masculinas – asanteras -para a parte feminina da flor, os estigmas. Este processo pode ser realizado por vários agentes, como o vento, a água, insetos, morcegos e também pelo homem.

Tipos de polinização

As diferentes espécies do gênero Passiflora apresentam variadas espécies de polinizadores, que estão relacionados a características do florescimento destas plantas, como por exemplo,horário de abertura das flores (diurna ou noturna), tamanho das flores, distância entre antera e estigma, dentre outros.

A principal forma de polinização natural observada em cultivos do maracujazeiro amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa) e maracujazeiro doce (Passiflora alata) é a feita por insetos. Dentre estes, o mais eficiente e principal polinizador é o Xilocopa spp. (Hymenoptera: Anthophoridae), popularmente conhecido comomamangava ou mangangá.

A outra forma de polinização é a realizada pelo homem, ou seja, a polinização artificial, retirando o pólen da antera com o toque da extremidade dos dedos e

O melhor método

A polinização natural tem como principal vantagem o custo zero, pois o inseto naturalmente busca o néctar produzido nas flores para se alimentar e, neste processo, realiza a polinização.

Algumas desvantagens listadas podem ser:

– Dificuldade em polinizar flores do tipo PC (com parcial curvatura dos estiletes);

– Menor eficiência (número de frutos formados em relação ao número de flores produzidas e abertas diariamente) em comparação à polinização artificial;

– Na média, produção de frutos de menor tamanho que os obtidos na polinização artificial;

– Baixa população dos insetos devido aos desmatamentos, e mesmo sua existência nas diferentes regiões produtoras do país.

A polinização artificial tem como vantagens o maior número de frutos produzidose de maior tamanho, com maior rendimento de polpa. Já a desvantagem está relacionada ao custo da mão de obra e a exigência de conhecimento para realização da prática, uma vez que o maracujazeiro amarelo é autoincompatível.

Diferenciais da polinização manual

Ao realizar a polinização artificial, é depositada na superfície do estigma uma maior quantidade de pólen em relação ao que o inseto deposita. Como consequência,um maior número de pólens germinam e fertilizam os óvulos, formando, portanto, mais sementes.

Como o suco está preso entre o arilo e a superfície das sementes, quanto mais sementes, mais polpa, ou seja, mais suco, determinando frutos mais pesados.

Além disso, na polinização artificial praticamente todas as flores abertas no dia são polinizadas, diferentemente dos insetos.Logo, têm-se duas grandes vantagens: maior número de frutos produzidos e de maior peso (tamanho), que alcançam preços melhores no mercado.

Polinização manual é diferencial nos pomares de maracujá - Crédito Agrocinco
Polinização manual é diferencial nos pomares de maracujá – Crédito Agrocinco

A polinização

O ato da polinização artificial em si é simples. Com a ponta dos dedos (três dedos), retirar o pólen das anteras (passando o dedo na superfície da antera rapidamente), “sujando os dedos com pólen“, e passando o pólen para a superfície do estigma (também rapidamente).

Para o sucesso desta prática, um conhecimento é fundamental. O maracujazeiro amarelo é autoincompatível, ou seja, se colocarmos o pólen de uma flor nesta mesma flor ou em uma flor produzida nesta mesma planta, não ocorrerá a fertilização dos óvulos, logo não serão produzidas sementes, e não teremos a produção de frutos.

Dessa forma, o ideal é que se realize essa polinização com duas pessoas numa mesma linha, em que uma pessoa irá na planta do lado esquerdo da linha e retirará o pólen das flores ali presentes.

Imediatamente passará para as plantas que estão no lado direito da linha e fará a polinização. A outra pessoa fará o inverso. Dessa forma, estas pessoas estarão sempre em zigue-zague na linha de plantio e, portanto, diminuindo a possibilidade de autoincompatibilidade.

Importante lembrar que a presença de um pólen incompatível não impede a germinação do pólen compatível.

Essa matéria completa você encontra na edição de fevereiro/2015 da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua para leitura completa!

 

SEM COMENTÁRIO