20.5 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 28, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosGrãosPor que a soja precisa do nutriente boro?

Por que a soja precisa do nutriente boro?

Autor

Amélio Dall’Agnol
Engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa Soja
amelio.dallagnol@embrapa.br
Crédito Shutterstock

O boro (B) é um elemento químico essencial para o crescimento vegetal. Sabemos que os solos ácidos, arenosos e pobres em matéria orgânica são, via de regra, deficientes em B, sendo necessário suplementá-los com o nutriente para atender as necessidades nutricionais de cultivos como a soja, que necessitam de pequenas quantidades para desenvolver-se normalmente.

O B é classificado como micronutriente, visto ser absorvido em quantidades muito pequenas pelas plantas, ante a quantidade demandada em macronutrientes (N, P e K). Apenas para ilustrar, para cada tonelada de grãos de soja produzida, são absorvidos pela lavoura cerca de 80 kg/ha de N, contra apenas 80 gramas de B.

Na ausência do nível de B necessário para a cultura, o solo precisa ser suplementado ou disponibilizado via foliar, quando sua deficiência for detectada. Dada a reduzida quantidade do produto requerida pela lavoura, sua distribuição uniforme no campo é dificultada.

Embora o B seja necessário em pequenas quantidades, ele é tão importante quanto os macronutrientes, uma vez que a produtividade de um campo de produção agrícola é determinada – não pela quantidade de fertilizantes disponibilizados à cultura – mas pelo nutriente indispensável e presente em menor quantidade. É a Lei do Mínimo, de Liebig.

Via de regra, os solos brasileiros são deficientes em B (o nível crítico no solo é 0,3 mg/dm3), mas sua deficiência em soja é rara e difícil de visualizar. As cultivares respondem diferentemente à falta ou excesso de B.

Sua falta nas lavouras pode promover abortamento de flores e vagens, redução do crescimento da planta e do seu sistema radicular. Sem a presença de B pode não haver produção, porque sua falta inibe a germinação do grão de pólen e o crescimento do tubo polínico, indispensáveis para a formação do grão. Eventualmente, pode ocorrer excesso de B no solo, o qual se manifesta pelo amarelecimento total das folhas.

Disponibilidade

O pH é fator determinante na disponibilidade de B, sendo que a máxima disponibilidade ocorre na faixa de pH entre 6,0 e 7,0. Acima ou abaixo desses níveis, podem ocorrer deficiências do nutriente, razão pela qual o excesso de aplicação de calcário pode tornar o solo excessivamente alcalino e determinar a deficiência de B. A mobilidade do B na planta é bastante restrita para a maioria das espécies de plantas, mas sua mobilidade no solo é alta.

O B é bastante necessário no metabolismo de carboidratos, na absorção de água, na síntese de proteínas e no desenvolvimento das raízes, entre outros. Sua presença é mais requerida na fase reprodutiva das plantas – pegamento de flores e granação, principalmente.

Além das condições do pH no provimento do nível de B necessário ao desenvolvimento normal das plantas, a presença de bons níveis de matéria orgânica no solo também contribui para o fornecimento do B requerido pelas mesmas.

O produtor deve monitorar a fertilidade de seu solo por meio de análises químicas periódicas, tanto de macro quanto de micronutrientes. No caso de suspeita de deficiência de B, o recomendado é fazer uma análise do tecido foliar.

Na eventualidade de identificar-se deficiência de B nas plantas de soja (pela análise foliar), a suplementação do nutriente deve ser realizada preferencialmente nos estádios V4 ou V5.

ARTIGOS RELACIONADOS

Pulverização da cebola – Erros que podem ser fatais

A aplicação de defensivos não se resume apenas em aplicar produto, mais sim na combinação de vários fatores (cultura, praga, doença, planta invasora, produto, equipamento e ambiente). Tendo em vista esses fatores, podemos dizer que vários erros ocorrem durante o processo de aplicação de defensivos na cebola e em outras culturas, de um modo geral.

Panorama nacional da produção de abacate

Autores Elisamara Caldeira do Nascimento Pós-doutoranda PPG – Agricultura Tropical – Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) elisamara.caldeira@gmail.com Glaucio da Cruz Genuncio Doutor e...

Cultivar apresenta suprimentos para a hidroponia

A Cultivar pretende expandir sua atuação na comercialização de produtos e serviços direcionados para os cultivos hidropônicos, e o Encontro de Hidroponia apresentou-se uma...

Lavanda: lavoura colorida, perfumada e rentável

O cultivo comercial de lavanda, embora consagrado em países como a França, Bulgária, Rússia e China, ainda se encontra em fase introdutória no Brasil. Estima-se que o mercado mundial de óleo essencial de lavanda seja em torno de 200 mil toneladas anuais produtores

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!